20 anos sem Tom Jobim

Tom Jobim

Tom Jobim

Há vinte anos a música brasileira perdia Tom Jobim (1927-1994), maestro soberano, membro-criador da Bossa Nova e ajudou a difundir o gênero para o mundo inteiro, marcando na história como um dos mais importantes movimentos musicais do país e Tom Jobim o maior expoente de todos os tempos da área musical.

Como a música diz, foi na rua Nascimento Silva, 107, que tudo começou a engatinhar para o surgimento da Bossa. Tom, junto a seu eterno parceiro, o poetinha Vinicius de Moraes, compôs e escreveu clássicos da música brasileira, sendo o mais conhecido e se tornou o hino da Bossa Nova: Garota de Ipanema. Em 1956, os dois se conheceram na pré-produção do espetáculo musical “Orfeu da Conceição”, escrita por Vinicius e arranjos musicais elaborados por Tom. Anos depois, a parceria se tornaria célebre com o lançamento do clássico álbum “Chega de Saudade”, na voz de João Gilberto, e o resto é história!

Tom consagrou-se com arranjos musicais inovadores reconhecidos no mundo todo. Álbuns marcantes com parceria nacionais e internacionais, como Chico Buarque, Edu Lobo, Elis Regina, Frank Sinatra e Stan Getz.

O Livre Opinião selecionou cinco canções que marcaram a carreira do maestro soberano, parcerias que destacaram a genialidade de inovar a música clássica com misturas das diversas culturas que o país apresenta. Da Bossa Nova ao samba, Antonio Carlos Jobim moldou  a música brasileira, respeitou as tradições e construiu uma identidade em nossa cultura.

ÁGUAS DE MARÇO

Registro histórico de dois gênios da música brasileira do século passado. A voz soberana de Elis Regina com os arranjos e letra de Tom Jobim marcaram este clipe de 1974, transmitido pelo programa Fantástico da Globo. No mesmo ano a parceria estaria registrada em um dos álbuns mais consagrados da música brasileira: Elis & Tom. No disco, clássicas canções como “Corcovado”, “Só Tinha de Ser Com Você”, “Fotografia” e a considerada a melhor canção brasileira de todos os tempos “Águas de Março”. Minuciosamente a letra da canção focava no conturbado período em que o país vivia no comando do governo militar, em que Tom foi bastante perseguido pela censura.

GAROTA DE IPANEMA

Outra parceria consagrada, Tom e Vinicius compuseram a canção no ano de 1962, enriquecendo a música na época e ultrapassou a fronteira percorrendo o mundo inteiro. A versão mais conhecida de Garota de Ipanema está imortalizada na voz de Frank Sinatra. Como todo clássico, existe uma lenda por trás da criação da canção, a garota de Ipanema que tanto encantava Tom e Vinicius é a modelo Helô Pinheiro, que sempre passava no local. Música atemporal, sempre contendo versões inovadoras, Garota de Ipanema tornou-se o marco da Bossa Nova.

SABIÁ

Escrita por Chico Buarque – que também se tornaria parceiro de diversas canções consagradas -, e com arranjos de Tom Jobim, “Sabiá” foi vencedora do  III Festival Internacional da Canção, de 1968. A genialidade juvenil de Chico se uniu à maestria de Tom para compor uma versão mais pessimista do poema “Canção do Exílio”, do poeta Gonçalves Dias. Na canção, nota-se o eu-lírico nutre o desejo de querer voltar para a sua terra, mas se torna impossível o regresso devido o período conturbado da Ditadura Militar. O exílio foi bastante marcado nessa época, artistas, intelectuais e políticos para fugir da perseguição do governo militar decidiram sair do país. No entanto, a canção ainda transmitiu no período a esperança da volta à terra natal, fato histórico que somente aconteceu em 1979 com a Lei de Anistia. 

WAVE

Tom Jobim não é chamado de maestro à toa, com Wave ele mostrou sua aptidão na criação de músicas clássicas. Lançada no álbum homônimo de 1967, Wave foi a consagração de Tom Jobim na música mundial – posteriormente lançaria outro disco histórico “Stone Flowers”. Wave é uma mistura de música clássica com Bossa Nova, sendo imortalizada nas vozes de diversos cantores, como Elis Regina, Gal Costa, Frank Sinatra, João Gilberto, Ella Fritzgerald e Oscar Peterson.

SAMBA DE UMA NOTA SÓ

Parceria pouco conhecida e uma das primeiras de Tom Jobim. Junto com Newton Mendonça, compositor e um dos grandes responsáveis pelo início da Bossa Nova, Tom executaria clássicas músicas no começo de sua carreira. Nesta canção, Newton e Tom elaboram uma explicação de como é o ritmo da Bossa Nova, deixando evidente a influência do samba no movimento bossa-novista. Newton Mendonça faleceu precocemente em 1960, aos 33 anos, mas deixou sua marca na história da música brasileira, como “Samba de Uma Nota Só” e outra clássica imortalizada por João Gilberto: “Desafinado”.

Um comentário sobre “20 anos sem Tom Jobim

  1. Olá boa tarde…
    Livre .
    Quem não gosta deste cantor e compositor,levante a mão, eu adoro suas músicas.
    Considerado um dos grandes compositores de música popular do século 20, as raízes de Tom Jobim encontram-se no jazz, em Gerry Mulligan, Chet Baker, Barney Kessel e outros músicos da década de 1950. Ao mesmo tempo, Jobim sofreu influências da música erudita, principalmente do compositor francês Claude Debussy, e dos ritmos do samba. Os bons têm que ir para os ruins ficarem e aprenderem como é bom está vivo.
    Grata por compartilhar e indique seus post mais vezes, pois gosto muito de apreciar e votar, e em algumas ocasiões comentar. Desejando um ótimo dia. Abraços sempre.
    ClaraSol

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s