17 comentários sobre “O Holocausto Português

  1. Esqueceu-se o autor de incluir que quem financiava Dom Manuel era Isaac de Pinto, a quem o rei pediu que se mudasse para Amsterdam para nao ser persseguido no reino e assim poder continuar a tratar das financas do rei mas desde Amsterdam. Nos arquivos da snuga portuguesa de Amsterdam esta toda a correspondencia entre eles.
    Os Dominicanos foram pioneiros na expulsao dos judeus da peninsula iberica assim como os jesuitas, pois o que estes queriam era confiscar os bens dos judeus assim como os postos de comercio espalhados pelo globo…No Japao e no Siao(Tailandia actua) lixaram-se pois estes povos jah eram mais civilizados e desenvolvidos e como tal nunca foram colonizados pelos europeus.
    Quem lucrou com esta expulsao foi Londres, Antuerpia,Hamburgo,Paris e mais tarde Rio, Nova York, cidade do Cabo, Cochim; Em quase todas estas cidades existem snugas portuguesas ainda desse tempo.
    Ou seja a “TAL” expansao portuguesa no globo soh funcionou enquanto os judeus viveram pacificamente em Portugal, pois os judeus que conseguiram escapar levaram os seus conhecimentos, fortuna e contactos consigo e enriqueceram esses paises que lhes deram refugio…
    A pericia de lapidacao de diamantes para Antwerpia, o comercio das especiarias para Hamburgo, e comercio em geral de sedas, metais preciosos para Londres, etc e assim comecou o principio do fim do tal Imperio “portugues”…
    Soh o Marques do Pombal se deu conta disto e tentou compor a situacao, mas como visionario que era pagou bem caro…

    • Ó Manuela. sem pretender pôr em dúvida as sua teses, diga-nos por favor porque razão eram os judeus desse tempo, segundo as suas palavras,tão imprescindíveis?Terá havido outra razão que não fosse o facto de eles terem enriquecido através da usura?

    • Texto interessante, mas tenho um apontamento a fazer qd refere Marques de Pombal como um homem visionário… espero que tenha a noção que está a falar do maior genocida da historia portuguesa pois esse homem ordenou o exterminio de muitas tribos indigenas no brasil. É referido frequentemente como um heroi por ter reconstruido Lisboa depois do terramoto e por ter segurado o país qd o Rei não era capaz, mas é das personagens mais negras da nossa historia…

    • É impossível sintetizar num só artigo a velhacaria premeditada da guerra das religiões. Obrigada Manuela MCMoura, pelo acrescento dos pormenores que no fundo explicam como o Rei da Pimenta se encontrava totalmente cercado pela hipocrisia religiosa e por um ultimatum dos reis de Castela que não podemos minimizar. Foi a nação que perdeu, mas não esquecemos o horror perpetuado por quem sabia exactamente o que estava a fazer e pelos que se encontravam inebriados pela matança e pelo jorro de sangue. A estrela de David lembra-nos que é solo vermelho mesmo ao pé da igreja católica, ali à esquerda encontra-se o palácio da independência e à direita a tal igreja. Se acrescentarmos o massacre de S.Bartolomeu entre cristãos em terras próximas, verificamos que continuamos a ser tão pequenos. Eu também o sou, pequena.

    • Pogroms acontecem por todo o lado do mundo bem antes de 1500. É possível notar Pogrom anti jew na Inglaterra nos anos 1300 como também ainda antes na antiguidade no Middle East. Ainda hoje me questiono a razões pra tantas chacinas. Lembraremos Sefer Reis(sinan the Jew) sefardita aliado ao grande comandante Barbarosa do Ottoman empire, que renovado com conhecimento sefardita combateram as naus portuguesas no indico resultando em elevadas perdas. Foi o início do fim no domínio do mar asiático. Relembro também a perda intelectual, Espinosa sefardita exilado na Holanda. Relembro uma terra a beira mar na Inglaterra, onde Inda hoje é possível detectar nomes de ruas de um especial navegador sefardita, que deixou grande legado lá, Inda hoje bem possível de tracear. Cromwell estadista inglês se apercebeu também da importância destes comerciantes.

  2. Massacrados andamos todos e todos os dias, pior que morrer rápidamente, é morrer lentamente, conhecido por Massacre de Lisboa 2008, data da sua iniciação.

  3. The way I heard the story, the faithful were having a procession when some Jews started mocking them for their faith. Tempers snapped and the massacre followed. Seeing how some ( certainly not all ) Jewish folks feel free to mock Christianity ( John Stewart ), I am inclined to believe it. It’s hogwash to think all 16th century Christians were neanderthals or bigots.
    Nor were Christians of the past given to superstition while all Jews were enllghtened 21st century geniuses ahead of their time. I ain’t buying it.
    And I am not buying that the Dominicans and Jesuits had it in for Jews. Maybe Jews had it in for Catholics? Rumor has it that they helped the Moors cross over into Iberia. Who knows? I just am not buying into some anti-Catholic , PC , narrative put out by either a secularist or a self loathing Christian.

    • Despite all the motives, nothing can justify violence… you refer John Stewart, but with freedom of speech has to come the ability to look at our own religion with sense of humor…

  4. Pingback: o holocausto português | AICL - Ass. Int'l dos Colóquios da Lusofonia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s