“Walmor y Cacilda 64 – Robogolpe” terá duas apresentações em São Carlos

Foto: Folha de S. Paulo

Foto: Folha de S. Paulo

O Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona traz ao Sesc São Carlos a peça “Walmor y Cacilda 64 – Robogolpe”. A peça é baseada na vida e obra da atriz Cacilda Becker e do ator Walmor Chagas, último marido de Cacilda. O Teat(r)o Oficina também incorpora elementos de sua própria história como símbolo de resistência e revoluções libertárias (tanto nos palcos como na sociedade) durante a década de 1960 e também hoje, ao interpretar e reler fatos históricos importantes do Brasil.

Cacilda foi importante por dar um dos passos mais importantes na profissionalização do ator no país, ao exigir, em 1948, ser contratada como atriz profissional para substituir Nydia Lícia na peça “Mulher do Próximo”, do Teatro  Brasileiro de Comédia. Também fundou, em conjunto com Walmor Chagas, a compahia de teatro chamada Teatro Cacilda Becker (TCB), que foi de extrema importância por introduzir dramaturgos universais como Albee, Becket, Dürrenmatt e Ionesco nos palcos brasileiros.

Durante a apresentação do espetáculo Esperando Godot, que encenava com Walmor Chagas, em 6 de maio de 1969, Cacilda sofreu um derrame cerebral e foi levada para o hospital ainda com as roupas de seu personagem. Morreu após 38 dias de coma e foi sepultada no Cemitério do Araçá, com a presença de uma multidão de admiradores.

As apresentações acontecerão no Ginásio de Eventos do Sesc São Carlos, nos dias 20 e 21/09, as 20h e 19h respectivamente. Os ingressos devem ser comprados na unidade do Sesc São Carlos e os preços são de R$6, R$15 e R$30 reais (sócio, meia-entrada ou inteira).

Sinopse:

O suicídio de Getúlio Vargas, as Reformas de Base, a censura aos Teatros, o depoimento dos artistas ao DOPS e o financiamento da ditadura por parte das classes de Poder estão em cena, junto à Copa do Mundo e às manifestações recentes nas ruas do Brasil. Poesia, música e política criam uma ação/palavra/cantada que leva o público a viver uma experiência única, capaz de jogar luz numa relação de 50 anos com o imaginário da Ditadura Militar e seus efeitos para a arte no Brasil.

Ficha Técnica:

Espetáculo: Walmor y Cacilda 64 – Robogolpe
Duração: 150 minutos
Classificação etária: 14 anos
Direção e Dramaturgia: José Celso Martinez Corrêa
Conselheira Poeta: Catherine Hirsch
Direção Musical: Adriano Salhab, Montorfano e Giuliano Ferrari
Trilha Sonora Original: José Celso Marinez Corrêa, Cia Oficina Uzyna Uzona e atores da Cia Oficina Uzyna Uzona e Universidade Antropófaga

Um comentário sobre ““Walmor y Cacilda 64 – Robogolpe” terá duas apresentações em São Carlos

  1. Pingback: Eça de Queirós nos seus 169 anos | Livre Opinião - Ideias em Debate

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s