o Fuzilamento, por Aline Bei

(foto via nothing to say/reprodução)

(foto via nothing to say/reprodução)

Acordei no meio da noite: de novo.

devia ser umas 2 da matina, abri o olho de um pornô-sonho devastador, eu

me afogava emergencialmente no gozo de um sujeito que, há meses, penso que amo ou

a maria.

E nós demoramos tanto pra foder que

quando fodemos,

ele não parava mais de gozar, um Acidente.

O jato era Infinito tipo

Mangueira de torneira quebrada e eu mergulhada perdida na porra sem escape, uma piscina

com cheiro

de Cândida, era difícil demais pra Respirar.

Perdi meus cabelos, 1 pedaço da teta e ele

mirando em mim mas não por mal

só tinha nós 2 e 1 quarto, o mundo

era eu ele e o quarto, seu pau me fuzilava com o jato e também ele

estava morrendo, o cara

secava e já se transformava numa figura triste depois de horas

de gozo

contínuo.

Ele era crânio e pica. Eu era Gorda

Inchada em tom off White quando

Finalmente

acordei de Sobressalto.

Olhei assustada ao redor do meu quarto, tudo

normal. Os pôsters, as fotos, minha carteira. A pele estava

do jeito que eu deixei antes de ir deitar, ninguém estava no quarto além de mim.

Respirei com a mão no peito. Levantei da cama, fui fazer um chá de erva

cidreira. Olhei a lua, sempre impassível a todos os desastres da natureza, não importa o que aconteça

a lua nunca vai te ajudar, apesar de

Linda. Deus é um sujeito preguiçoso. Criou coisas Preguiçosas, feito eu que sentei um pouco ao invés de

cama. A insônia depois do sonho tem me acontecido frequentemente.

ando ansiosa pra ver se Sim e não só no amor, eu digo

ansiosa pra tudo.

Não posso comprar um apê, tenho que esperar pra ver se terei dinheiro.

Não posso arrumar um emprego, tenho que esperar pra ver se gostam dos meus

escritos.

Não posso ler Angústia, antes tenho que terminar 100 anos

De solidão.

 

 

Esperar.

 

 

 

Esper(ando)

 

Enquanto isso, Sinto que alguma coisa no Amor se rompeu. Vejo

o quanto é difícil as pessoas se gostarem depois de 15 minutos sentadas na mesma

mesa do

bar. O mofo de cada um incomoda. A vida agora

é individual.

Tenho poucos amigos, pou

quíssimos. Se eu casasse ia ser barato, fora que eu não teria madrinha nenhuma. Casar

é um circo. Tanto laquê pra depois nas núpcias

se lambuzar com o gozo do recém marido e é melhor aproveitar inclusive, que esse gozo

não deve durar muito mais do que 2 anos, logo

o amor

fica blue.

Melhor seguir carregando minhas sacolas de mercado, à espera de dias e principalmente noites melhores,

pelo menos Noites com sonhos que não me acordem ou terei que comprar na farmácia aqueles

Rollons anti olheiras da l`oréal.

O presente

depois de virar presente,

nunca é bom do jeito que achávamos que seria quando pensávamos nele como Futuro, ou seja,

 

Ilusão.

Aline Bei

A busca ou o processo.
(nunca o pronto)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s