Coluna 32: “Status: sozinha e muito bem acompanhada”, por Lucimar Mutarelli

unnamed

Atuar é brincar

O professor precisa descer do palco e se aproximar do aluno, provar que vale a pena ouvir o que ele tem pra falar

Se um aluno ou espectador consulta o celular na aula, no teatro ou no filme, significa que o ali não está verdadeiramente tão interessante. O professor fala sozinho

Quando converso com um amigo e ele fica olhando para o jornal, tela do computador, TV ou para a panela no fogo, não quer dizer que eu não sou interessante para o meu amigo. Não me incomoda. Mesmo. O mundo mudou e talvez tudo esteja acontecendo realmente ao mesmo tempo agora

Estou na aula e quero muito estar aqui

Simultaneamente, queria estar sozinha no cinema, em casa com meu marido e meu filho, fuçando Netflix, Whatsap ou Facebook enquanto Lourencinho joga e escreve no computador, prepara aula e desenha no caderno

Queria estar agora comendo um milhão de brigadeiros, foto para Adriana Simão, andando na Paulista para baixar o colesterol, tomando chá na casa dos padrinhos Marina e Dirceu, no troca-troca de fotos, almoço com a Dri, primeira afilhada, pede só um gole na cerveja do Otinho porque você fica bêbada muito fácil, sessão da tarde com o Anderson e a alegria contagiante do Marcio, primeiro afilhado, porque a zueira tem uma hora que stops mas nunca never ends, lanche de sexta na Maria Lucia. Marcia, por favor me ajuda, reza por mim, depois que aconteceu aquilo, não consigo mais, pedacinho da novela com a Marli, passa toda a roupa e me anima: vai lá fazer suas palhaçadas. No curso de teatro, fiquei tão ofendida por ser chamada de palhaça e é isso mesmo que você gosta de fazer, só porque tirei a foto da placa do Sonda? Tio Lou precisa saber que estou aqui com você e pensando nele também – carinha amarela, aquela que tem os corações no lugar dos olhinhos

Jessica tem ou não tem acento? Faz muito tempo que não troco um texto com a Alline, será que ela concluiu a oficina? Cadê o batom da Gika e olha o Rafa mandou parabéns no Dia dos Pais e vamos fazer mais um vídeo pra Alice porque eu tenho medo que ela esqueça dos padrinhos, escreve pra mim, Felipe, e esse vídeo de gatinho? Vi na página do Elvis, vamos combinar Aline, marca o Rafa, a Jessica e a Regina, ela nem é da família, é sim, da minha família de amigos, a receita da torta é da Dona Iracema, lembra da Aninha e da Sônia, saudades da Isolina, das histórias e da filosofia do Hermes, série com Karla e Lusia, São Tomé com Neia e Regi, cadê o Mateus?

– Olha, tia, a latinha com o nome dele

Aline faz a foto, por favor, não posso porque estou comendo, essa é das minhas, muito obrigada Gabriela, gratidão é palavra boa, tio Lou usa sempre, aprendi com ele

Almoçando e comendo bolinho de chuva que a minha mãe fazia e vamo, Lalinha que hoje não vai dar tempo de fazer o almoço e dorme um pouco, minha filha, para de fazer tanta faxina, senta aqui comigo, vamos brincar de casinha, imagem e ação, massinha com Pedrinho e Laís, e ela não deixa ninguém chegar perto da Lara, mentira, fiquei um pouquinho com cada um, sempre gostei de dividir, mentira, e aquela tortinha de morango que você ficou comendo sozinha e deixou o Lou só olhando, isso foi antes do Francisco, você confunde ele com o Lino e brinca de dinossauro, escolinha e jogo da memória e a Dri parece muito com você, só fisicamente porque ela é prática, e decidida

– Você é mais forte do que pensa, tia

Olha meu sorriso de coruja, a blusa da Amanda, chat com Louise, agora, nesse momento

Jogo da velha com Lara e Lino, não ensinei pro Murilo, corre, olha a bola, cuidado, Lucas e Melissa, fiquem por perto porque preciso de conforto e segurança, muito obrigada, pra sempre, precisa agradecer tanto? Gratidão, menina, aprende!!! Fala obrigado, com licença, desculpa e por favor, não é frescura, é gentileza

Olha quantas letrinhas, sundae de chocolate, cobertura extra, macdonalds com Lourencinho, me divertir no shopping sem gastar um centavo te mandando fotos no whatsap porque lembrei de você, experimentar todas as roupas possíveis na Renner e comprar só um chinelo para afilhada Laurinha, meias e cuecas para o Chico, e antes que eu esqueça, obrigada por ter ido e pela carona e por brincar de verdade com as crianças e a Amanda, da parte da Laura, diz: a Laís adora o Chico e a mãe coruja: quem não adora o Chico? E a Mansinha ri e tirou minha foto pescando porque a moça tinha boa vontade mas não era boa e anotei uma frase que dizia que a princesa estava dormindo e, claro que na hora olhei pro céu e mentalizei a Marina e mais uma para marcar no face, para que ela veja assim que acordar e você viu a Melissa tirando um cisco do olho? Marcelino cobra os detalhes, será que o Lucas está estudando? Manda pra ele o aplicativo do vestibular e você queria jogar de novo 94% e não conseguiu baixar, faz uma selfie espontânea

– Tia, selfie é quando você tira a foto de você!!!

É tão bonitinho quando eles me ensinam e respondo com um monte de kkkkkkk e John, não fica chateado porque a tia lembrou da Paula e esqueceu de você e vem olhar meu notebook que tá travado e arruma umas figurinhas novas porque estou ficando repetitiva, brinco sozinha e eles entram no reservado e confidenciam no mercado: eu gostei, tia, te amo. Manda mais textos, Juninho e obrigada pelas fotos e pelo vídeo – cadê as mãozinhas formando o coração?

Dá um espaço agora porque esse texto está ficando meio sufocado, você disse que não tinha assunto e agora que começou não acaba nunca, olha a concordância, quanto erro gramatical, você é escritora, tem que saber escrever tudo certo, não precisa, Kely, tem uma revisora que concerta, conserta, meu próximo aniversário vai ser da Moranguinho e ela riu do meu copinho: Ai, não aguento essa Lucimar

Fala tanto e não fala nada, esqueceu de contar: a Marcia e a Lorena me levaram pra ver a Maria, elas falam só Maria. A Auri fala Malu e muito obrigada pela torta e mesmo não indo no passeio, você se fez presente, acredita que Deus tá vendo e fica feliz pra gente porque, eu já te contei aquela do cartão de aniversário da Iracema?

Se você fica feliz, eu fico feliz. Se você fica triste, eu fico triste. Então fica rica, porra!!!

Eu gosto do nome completo, Maria Luiza, pedi e a Mery deixou, me chamou de tia e fiquei toda boba, fizemos a foto naquela poltrona onde todo mundo sente, olha o corretor de novo, senta

– Lembra dela?

– Quem?

– A Vó Maria, pra você é bisa, ela ia ficar toda orgulhosa de ter uma bisnetinha nascida bem no dia do seu aniversário

Finge que acredita que lá do céu ela tá vendo

Tio Lou acalmou: eles seguem vivos dentro de você, a árvore ficou cheia, a Marcia compartilhou: quando a raiz é forte, os galhos podem ser livres. Tem no Google: As sete lições do bambu, para ler todos os dias

Cantar enquanto lava louça, acordar cantando, fazer aula de dança e imitar Clarice, Lorena, Melissa e Laurinha dançando funk, axé e valsa, olha Francisco, encaixei o funk no texto, entrar no face ou whats para conversar de verdade e compartilhar o mesmo  tempo com seu marido, filho, sobrinhos, seus irmãos, seus amigos

– Sabia que a Vó Maria tomava uma garrafa de vinho enquanto fazia o almoço de domingo?

O passado também veio. A peteca e o sorvete, daqueles antigos, ouvir a história do Ailton. Ser contemporâneo

– Não tem gosto de nada!

É sobre essa nada que estamos falando. O bolo de nada é o mais gostoso. Não é o sabor, é um conceito

Madeleine proustiana

– Tia, não fala difícil!

– É isso. É provar um sabor, um perfume, uma música que te transporta no tempo. O livro: Em busca do tempo perdido

Três, seis, uma dúzia de janelas de bate papo abertas

Seu marido pedir um beijo, falar que está com saudades do seu feijão, para comer a sua coxinha, mas fala que a receita é da Marina, lembrar de dar o crédito na foto, a receita do bolo é da nossa Adriana? O recheio da Nestlé, eu já conhecia, é da Zeia, irmã da Tata, não conhece? Que pena, Marcinha, seriam grandes amigas porque as duas tem uma calma, bondade e tranquilidade, a mãozinha da Ellen na Wanderléa, delícia, fresquinha, quero aprender Naldinho, ser séria no trabalho, brincar na hora certa e agir quando precisa, menos palavras e mais ação, desculpa, não consigo, é assim mesmo, tia, cada um ajuda de um jeito – menina, flor, lua, estrela e coração. Figurinha extra pra você

Três figurinhas resumem o final de semana: família, casa, coração

Escrever é falar sozinha

Ou não

lucimar-mutarelli2

Confira mais textos da Lucimar Mutarelli

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s