‘Pequenos enlouquecimentos diários’, por Aline Bei

outro dia,

conversando com amigas antigas,

era domingo sem correria, domingo à tarde sem muito mais o que fazer a não ser esperar

a segunda-feira abridora de Rotina, a anfitriã da

maçada semanal que é sempre um pouco diferente a cada dia, mas

não o suficiente pra ser genuinamente

Nova, Então nós

tentamos

nos lembrar das vezes em que morremos

de rir e estávamos

juntas.  Já ríamos, só de falar do assunto.

Teve aquela vez no cinema do filme chato metido a bom,  só eu lembrava dessa, a Bia,

A Paula,

A ana, elas não recordavam desse dia, e olha que eu descrevi direitinho o momento em que a gente mais riu: quando o filme ficou sem fala por uns 3 minutos que pareceram anos.

A Paula disse daquela vez

No laboratório de informática do colégio, os professores

sérios, cansados, e a gente

Cascando o bico tanto que precisamos pular pro’s corredores pra não explodir no riso e tirar nota 0 por tamanha bagunça.

Foi divertido a beça. Mas engraçado, eu achei que estávamos com o uniforme do colégio, nesse dia. a ana disse que a gente estava de jaleco. A Bia

Nunca mais usou all star.

Lembramos de algumas Risadas, não todas,

que memória é recorte e também memória é

invenção.

Sempre que paro pra Lembrar,

me conto e me uso do ponto

em que estou agora, na vida. É impossível lembrar igual das mesmas coisas.

Aliás,

lembrar é impossível.

Voltar no passado pra dizer do que aconteceu exige uma porção de mentiras para que a história se encaixe. Porque a historia não se encaixa, ela nem é mais 1  historia, ela foi,

Agora a lembrança é apenas uma sombra chamada

Sensação.

O que aconteceu

De fato

Ninguém sabe, por isso é que Deus foi inventado.  Para termos algum ponto de referência da verdade que nos interessa, já que deus não fala e por isso nunca descorda de você, ou seja,

deus é

você.

Pergunte pr`um amigo

de alguma memória que vocês tenham vivido juntos: o relato será em cores

inéditas,

como balões fugidos do barbante que tingem

o céu mas não se cruzam, apenas seguem

em frente.

A vida é uma invenção curtinha. O tamanho de planeta que a gente dá

Pra ela é culpa da nossa falta de apego ao presente. Porque só o que existe é o presente e o presente é feito

de mini-segundos.

O vivemos intensamente quando ele já é passado,

Quando ainda é presente o fato acontece tão rápido que não dá tempo nem pro desfrute.

O desfrute

É sentimento de Depois que,

grávido,

dá a luz para a

Nostalgia. A nostalgia é uma nuvem tão grande. Ela transforma até as tristezas

num leve sorriso de lembrar.

A Nostalgia é

Perigosa. Ela Distorce,

faz carinho sem mágoa na dor. Mas distorce

o que, exatamente? E essa dor,

que cor ela tem? É como me disse um amigo, outro dia, num bar, ele me disse que a verdade

não existe quando eu disse

-É verdade.

Para algo que ele tinha me dito anteriormente e que me pareceu muito real, era 1 frase do tipo:

– Não vou deixar de viver vida só porque o amor acabou.

Ele me disse que a verdade é uma palavra vazia e morta, o que   Existe é teu corpo

em relação com o mundo numa questão eterna de

interpretação.

– É verdade.

eu disse, e que se foda.

Aline Bei

A busca ou o processo.
(nunca o pronto)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s