Trupe DuNavô faz apresentação especial para o Dia das Crianças

No próximo domingo, em comemoração ao dia das crianças, a Trupe Dunavô fará uma apresentação especial do espetáculo Refugo Urbano, atualmente em cartaz no Centro Cultural São Paulo, utilizando recursos de audiodescrição, possibilitando que pessoas portadoras de deficiência visual, possam participar. Nesse dia, a apresentação é aberta à população, com ingressos gratuitos. Ótima oportunidade de conferir o trabalho do grupo que está em cartaz até o dia 25 de outubro!

unnamed

ESPECIAL DIA DAS CRIANÇAS: AUDIODESCRIÇÃO E ENTRADA GRATUITA

A Trupe DuNavô, convida o público para conhecer o seu espetáculo Refugo Urbano, que vem atraindo muitos olhares e atualmente está em cartaz no Centro Cultural São Paulo. Em comemoração ao dia das crianças, no próximo domingo, dia 11 de outubro, às 16h00, o grupo fará uma apresentação especial, utilizando recursos de audiodescrição e com entrada gratuita.

A audiodescrição é um recurso de acessibilidade comunicacional que amplia o entendimento das pessoas com deficiência visual em todos os tipos de eventos, por meio de informação sonora. Transforma o visual em verbal, abrindo possibilidades maiores de acesso à cultura e à informação, contribuindo para a inclusão cultural, social e escolar. Além das pessoas com deficiência visual, a audiodescrição amplia também o entendimento de pessoas com deficiência intelectual, idosos, pessoas com déficit de atenção, autistas, disléxicos e outros.

Os equipamentos utilizados são fones de ouvido e receptores e as informações sonoras sobre cenário, caracterização dos personagens, figurinos, ações, iluminação e outros recursos cênicos, são transmitidas pelos audiodescritores, com um roteiro previamente preparado. Nesse dia, a responsável será Lívia Maria Villela de Mello Motta, que trabalha como audiodescritora e professora de cursos de audiodescrição desde 2005, tendo sido responsável pela exibição da primeira peça e da primeira ópera com audiodescrição no Brasil, e desde então vem promovendo a acessibilidade comunicacional.

O espetáculo Refugo Urbano conta a história de dois palhaços vindos de universos particulares e completamente distintos, que a partir de um encontro improvável, passam a conviver e lidar com suas diferenças. Pamplona e Claudius se encontram em um beco esquecido da cidade, e a partir desse encontro, o inexplicável abre espaço para que essas duas personagens se reinventem pelo convívio e o atravessar dos afetos. O divertido convívio em meio ao improvável, é fio condutor da obra, construída sob a ótica dos seres “invisíveis” que habitam as grandes cidades.

“Chamamos ‘invisíveis’ tudo aquilo que está ao nosso redor, mas que preferimos ignorar a existência, por não ser agradável aos olhos ou porque nos habituamos a ficar em nossa bolha individual”, diz Gislaine Pereira, integrante da Trupe DuNavô. “O que ambicionamos foi criar uma obra capaz de dialogar com todos os cidadãos, propondo uma reflexão sobre o que há nas ruas e qual é a nossa capacidade de ressignificar o que nossos olhos já se habituaram a ignorar”, ela complementa.

A atriz Gabi Zanola, integrante da Trupe DuNavô, que recentemente foi convidada pelo Grupo Esparrama, para atuar como protagonista do espetáculo “Minhoca na Cabeça”, na janela de um apartamento no Minhocão, conta um pouco sobre as pretensões enquanto grupo para esse espetáculo: “O que aproxima Refugo Urbano do público é sua humanidade! O espetáculo é cheio das nossas mais sinceras tolices humanas, que podem ser bem engraçadas ou muito dolorosas e cruéis! Refugo urbano é uma permissão de dois mundos muito diferentes, que se deixam levar juntos para um mesmo propósito, o que os torna iguais! A partir da solidão e da individualidade de cada mundo, esses dois palhaços tão distintos, e ao mesmo tempo tão iguais, criam um universo único!

O responsável pela dramaturgia é Nereu Afonso, que já atuou como professor de teatro, na conceituada escola de Philippe Gaulier e no Conservatório de Arte Dramática de Champigny-sur-Marne (França). Em seu histórico estão trabalhos com os Doutores da Alegria, é fundador da Vai Antonio! Cia de Teatro, é um dos criadores da Ocupação do Riso ao Choro (Funarte-SP) e como escritor, lançou Correio Litorâneo (Ed. Record), livro de contos vencedor do Prêmio Sesc de Literatura 2006. Atualmente é baterista do Circo Zanni e orientador de Núcleo e Formador no curso de Humor da SP Escola de Teatro.

Quem assina a direção é Suzana Aragão, atriz, diretora, professora de teatro e palhaça. Suzana, que já trabalhou com nomes como Teatro da Vertigem, atuou no espetáculo Folias Galileu com direção de Dagoberto Feliz, no Galpão do Folias, dirigiu espetáculos da Cia. Orbital, Núcleo Dois Tempos de Teatro,  Grupo de Teatro da Universidade São Judas e, atualmente, é Formadora Residente da SP Escola de Teatro no curso de Humor e atriz da Cia. Vagalum Tum Tum. Sobre o espetáculo Refugo Urbano, Suzana, ela questiona: “Ainda há um resto de escuta em cada um de nós, que permita nos abismar com o desconhecido?”.

Refugo Urbano é uma fábula que traz para o palco o resultado dos experimentos anteriores da trupe, pesquisando a máscara do palhaço e realizando intervenções urbanas, onde entraram em contato com a realidade das ruas do centro de São Paulo e de algumas periferias. Com esse espetáculo, a Trupe aprofunda suas pesquisas em torno do tema do refugo urbano, colocando sobre essa realidade outra perspectiva, explorando o que há de mágico no trágico da crueza das ruas. Após propor ao público um mergulho em seu processo de criação, a trupe agora convida o público para conhecer o resultado final!

Com brincadeiras circenses, corpo cômico, malabarismo e o divertido jogo do palhaço, a Trupe DuNavô diverte e surpreende o público com uma possível história de amor.

SOBRE A TRUPE DUNAVÔ

unnamed (1)

A Trupe DuNavô, formada por Gabi Zanola, Renato Ribeiro e Gis Pereira, nasceu em abril de 2010 dentro do Programa de Formação de Palhaços para Jovens (PFPJ – dos Doutores da Alegria), partindo do desejo de aprofundar a linguagem do palhaço, colocando em prática os ensinamentos de aula, somados às referências e vontades pessoais de cada integrante do grupo.

Desde então, a Trupe se consolidou e se apresentou em diversos lugares. Em 2011, realizou apresentações no “Revirando São Caetano”, “Dia de Brincar São Caetano do Sul”, “III Entoada Nordestina SCS”, “Brilha São Caetano”, “CEU Butantã”. Ainda em 2011 estreou o seu primeiro espetáculo “É mesmo uma palhaçada!”, apresentando-o na Comunidade Casa Verde, Mostra de Cenas Curtas do SENAC, Ação Cultural pelos 458 anos de São Bernardo do Campo.

Em 2012 seguiu com intervenções na “IV Entoada Nordestina SCS”, “Virada Cultural Paulista de São Caetano do Sul” e “Jogos Estudantis de São Caetano do Sul”. No mesmo ano, apresentou o espetáculo “É mesmo uma palhaçada!” na Ação Cultural do Riacho Grande, Colégio Nova Diretriz e na Comemoração de 45 anos da Fundação das Artes de São Caetano do Sul, e em 2013 no  Sesc Belenzinho, 8º FESTCAL (Festival Nacional de Teatro de Campo Limpo), Virada Cultural de São Paulo e Festival Baixo Centro.

No mesmo ano, a Trupe DuNavô foi contemplada pelo VAI (Programa de Valorização de Iniciativas culturais de São Paulo) com o projeto: “Amigos… Colegas… Seres humanos… Palhaços” e em 2013, contemplada pelo mesmo edital, com o projeto: “Trupe DuNavô Descortina a Rua”.

Em 2014, a Trupe usou suas experiências com intervenções urbanas, para a criação de um novo espetáculo, inovou abrindo o seu processo de criação e convidou o público para participar. Realizou apresentações no Galpão do Folias e Funarte, com enorme sucesso de público, que enviou sugestões e ajudou a trupe a lapidar o seu espetáculo.

Em 2015, a Trupe DuNavô apresentou o espetáculo “É mesmo uma palhaçada” na Fábrica de Cultura, e a convite do Grupo Esparrama também esparramou a sua arte pela janela mais famosa do Minhocão! Os atores Renato Ribeiro e Gabi Zanola, além de participar junto com Ronaldo Aguiar da intervenção “O Herói Torto” criado especialmente para a temporada Esparrama Amigos pela Janela; foram convidados a integrar o elenco do espetáculo “Minhoca na Cabeça”, que teve enorme sucesso de público e de crítica, atraindo mais de mil pessoas em cada apresentação.

Com isso, a trupe aprimorou sua pesquisa em experimentos e intervenções urbanas, e levou sua linguagem particular para a janela do Grupo Esparrama. Agora a trupe chega ao Centro Cultural São Paulo, para mostrar o resultado final de toda essa jornada!

A Trupe DuNavô tem como objetivo difundir sua pesquisa para além do estereótipo coletivo do palhaço bonitinho e ingênuo, brincando em qualquer lugar, a qualquer hora e de várias formas, desbravando o caminho do ser Palhaço hoje.

unnamed (2)

 

SINOPSE – REFUGO URBANO
Dois mundos excêntricos, caos e ordem, ligados pela ação da transformação. Dois seres intrigantes e complexos. Claudius é organizado, comedido e cuidadoso. Pamplona é vibrante, emocional, e guarda consigo um universo único debaixo de seus sacos plásticos e papelões.
Eles não se conhecem… ainda! Porém juntos, descobrirão o que há de mágico na trágica crueza das ruas.

A Trupe DuNavô apresenta-nos uma história de sentimentos, humanidade, sonhos, amor… e palhaços!
Com divertidas intervenções circenses e brincadeiras entre dois palhaços, que acabam por construir o seu ambiente, com objetos descartados.

Quando: Dia 11 de outubro, às 16h00, apresentação especial com audiodescrição e entrada gratuita
Temporada: até 25 de Outubro de 2015 – Aos sábados e domingos, às 16h00
Duração: 55 minutos
Local: Centro Cultural São Paulo – Sala Jardel Filho (320 lugares) – Rua Vergueiro, 1000 – Paraiso – S. Paulo Classificação: 5 anos
Ingressos: R$10,00 – a venda disponível na bilheteria. Horário de funcionamento: terça a sábado, 13h às 21h30, domingos, 13h às 20h30) Meia Entrada: Aposentado, Idoso acima de 60 anos, alunos e professores da rede publica. Os ingressos podem ser adquiridos através do site: www.ingressorapido.com.br

FICHA TÉCNICA

Atores criadores:  Gabi Zanola e Renato Ribeiro
Direção: Suzana Aragão
Ass. de direção: Gis Pereira
Dramaturgia: Nereu Afonso
Direção musical: Célio Colella
Preparação corporal: Ronaldo Aguiar
Preparação de boneco: Rani Guerra

Cenário e adereço: Bira Nogueira

Costureiras: Francisca Rodrigues e Cidinha

Assessoria de imprensa: Luciana Gandelini

Figurino: Trupe DuNavô

Operação de som e Produção: Gis Pereira
Criação de luz e audiovisual: André Grynwask e Pri Argoud

Operação de Luz: Rafael Araújo

Fotógrafa:  Sissy Eiko

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s