“- Você é louco? / – Não, sou poeta”: 20 de Outubro, dia do Poeta

Cena do longa The Dead Poet Society. Img: Divulgação.

Cena do longa Dead Poets Society, de Peter Weir. Img: Divulgação.

Iniciados neste texto pelas palavras de Mário Quintana em “Simultaneidade”, hoje, 20 de outubro, comemoramos no Brasil o dia do poeta. O dia daqueles que, com versos simples, ou por vezes obtusos, têm o poder de nos tirar do sério e de arrancar os mais sinceros e absurdos sentimentos quando os lemos. Para fazer parte desta comemoração, o Livre Opinião – Ideias em Debate selecionou as entrevistas de alguns poetas que já passaram pelo site. Confira abaixo:

Livre Opinião entrevista Sérgio Vaz: “Recitar trouxe à tona novamente a poesia”

img_19241

Em 2014, o Livre Opinião – Ideias em Debate participou da cobertura da 9ª edição da Balada Literária, evento realizado na cidade de São Paulo entre os dias 19 e 23 de novembro. Na ocasião, o poeta Sergio Vaz participou de uma mesa literária, realizada na Livraria da Vila e conversou conosco sobre seu trabalho. Membro fundador da Cooperifa, sarau realizado em Taboão da Serra, Vaz falou da importância do evento para os jovens poetas da região: “A Cooperifa tem uma responsabilidade. Existem muitos saraus hoje inspirados na Cooperifa”. Leia: https://livreopiniao.com/2014/11/29/livre-opiniao-entrevista-sergio-vaz-recitar-trouxe-a-tona-novamente-a-poesia/

Anderson Petroni e Le Tícia Conde ao LOID: “Trepe com as palavras que um dia gozará poemas”

10822352_10205516882826630_1634408492_nComo andava a cena literária de São Carlos? Com eventos como a Balada Literária, que neste ano já vai para sua décima edição em São Paulo, a inusitada e necessária Flipobre, iniciativa literária que caminha para sua segunda edição, os saraus da Cooperifa e Suburbano Convicto pululando em suas regiões e motivando cada vez mais iniciativas semelhantes, nos perguntamos: a quantas anda a terra natal do Livre Opinião – Ideias em Debate?

Para descobrir, entrevistamos os escritores Anderson Petroni e Le Tícia Conde, que na ocasião participavam do Sarauvá. Com perfis e trabalhos completamente diferentes, os dois jovens poetas falaram um pouco sobre como chegaram até a poesia e como é levantar a bandeira da literatura na cidade dos ventos uivantes. Leia: https://livreopiniao.com/2014/12/03/anderson-petroni-e-le-ticia-conde-ao-loid-trepe-com-as-palavras-que-um-dia-gozara-poemas/

“Uma didática da invenção”, despedida ao poeta Manoel de Barros

10425494_378145665682897_3971473446995689836_nNuma triste despedida, a um dos últimos grandes poetas, o Livre Opinião – Ideias em Debate prestou uma homenagem a Manoel de Barros convidando os autores Maria Rezende, Mia Couto, Ivana Arruda Leite, Marcelino Freire, Celso Borges, Demétrios Galvão e Andrea Del Fuego, para se despedirem e contarem a importância do poeta na literatura brasileira. Leia: https://livreopiniao.com/2014/11/15/uma-didatica-da-invencao-despedida-ao-poeta-manoel-de-barros/

Sacolinha: “A literatura não te salva de uma morte física, te salva de uma morte alienada”

img_1575Ademiro Alves de Souza, o Sacolinha, é romancista, contista, cronista e poeta. Autor de Graduado em Marginalidade e 85 Letras e um Disparo, Sacolinha ganhava a vida entregando panfletos nos faróis e trabalhando como cobrador de lotação no Metrô Itaquera – e daí surgiu seu pseudônimo. Desenvolvendo um importante trabalho de recuperação de detentos através da literatura – especialmente a poesia – nas Fundações CASA e em presídios federais, Sacolinha mostra a força da palavra literária e também – através de belos exemplos ao longo de sua carreira e de si mesmo – o poder da escrita para transformar vidas. Leia: https://livreopiniao.com/2014/11/12/sacolinha-a-literatura-nao-te-salva-de-uma-morte-fisica-te-salva-de-uma-morte-alienada/

“Esta África tomou conta de mim desde menino”, diz Mia Couto em entrevista ao Livre Opinião

Mia CoutoAqui um poeta que muitas vezes passa esquecido deste título, já que seus romances se tornaram tão arrebatadores. O autor de Raiz de Orvalho (1983) – seu livro de estreia, não por menos um livro de poesias – , Terra Sonâmbula (1992), Estórias Absensonhadas (1994) e A Confissão da Leoa (2012), esteve no Brasil para participar da edição 2014 do Fronteiras do Pensamento, em São Paulo, e nós fomos lá entrevistá-lo. Leia: https://livreopiniao.com/2014/09/03/esta-africa-tomou-conta-de-mim-desde-menino-diz-mia-couto-em-entrevista-ao-livre-opiniao/

“A mão que afaga é a mesma que apedreja”, cem anos da morte de Augusto dos Anjos

augusto-dos-anjosPara relembrar o centenário de morte do poeta Augusto dos Anjos, mais uma vez convidamos uma série de escritores para darem pequenos depoimentos sobre a influência do escritor em suas vidas, suas escritas. Desta vez os convidados foram Marcelino Freire, Le Tícia Conde, Lucimar Mutarelli, Wladimir Cazé, Bruno Brum e Vanessa Trajano. Leia: https://livreopiniao.com/2014/11/12/a-mao-que-afaga-e-a-mesma-que-apedreja-cem-anos-da-morte-de-augusto-dos-anjos/

Em entrevista, poeta Marco Pezão fala sobre a força dos saraus da periferia

Poeta Marco Pezão

Poeta Marco Pezão

Mais uma força poética que surge da periferia. Poeta e agitador cultural, Marco Pezão é um dos grandes nomes dos saraus da periferia de São Paulo. Junto com o poeta Sergio Vaz, fundou o Sarau da Cooperifa, no bar Garajão, em Taboão da Serra. Atualmente, Pezão coordena o “Sarau a Plenos Pulmões”, o projeto manifesta, por meio da poesia, a luta e desenvolvimento cultural das artes da periferia. Leia: https://livreopiniao.com/2014/08/10/em-entrevista-poeta-marco-pezao-fala-sobre-a-forca-dos-saraus-da-periferia/

“Shakespeare é infinito”, comenta professor de Literatura Inglesa sobre os 450 anos do mestre dramaturgo

William Shakespeare

William Shakespeare

Na comemoração dos 450 anos do maior poeta e dramaturgo inglês – e, por que não, um dos maiores do planeta -, entrevistamos o professor Nelson Viana, da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), que comentou a importância do escritor inglês na literatura de todos os tempos. Leia: https://livreopiniao.com/2014/04/23/shakespeare-e-infinito-comenta-professor-de-literatura-inglesa-sobre-os-450-anos-do-mestre-dramaturgo/

Abertura da 18ª Jornada de Letras contou com a presença do cordelista Varneci Nascimento

img_1233Cordel é poesia, mas poesia não é cordel – nem repente. Ou será o contrário? Deixamos de lado as definições e, em 2014, entrevistamos o arretado Varneci Nascimento. Da vasta obra de Varneci destacam-se a adaptação de Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis; A Escrava Isaura, de Bernardo Guimarães; além dos cordéis de autoria própria, como a trilogia A história de Joãozinho, Perguntas Idiotas Tolerância Zero e  As Mulheres do Cangaço – este em parceria com Nando Poeta. Na entrevista, Varneci aborda a questão das definições e vai mais longe, remontando às origens do cordel. Leia: https://livreopiniao.com/2014/10/28/abertura-da-18a-jornada-de-letras-contou-com-a-presenca-do-cordelista-varneci-nascimento/

Em entrevista, escritores cabo-verdianos falam sobre sua literatura e os laços com o Brasil

Os escritores cabo-verdianos Danny Spínola, Fátima Bittencourt, Corsino Fortes e Vera Duarte.

Também em 2014, tivemos a oportunidade de entrevistar os escritores cabo-verdianos Corsino Fortes (Pão e Fonema, 1974), Danny Spínola (Os Avatares das ilhas, 2008), Fátima Bettencourt (Um certo olhar…, 2001) e Vera Duarte (poeta e Ministra da Educação), quando estiveram no país para falar sobre as interculturalidades e intertextualidades entre Cabo Verde e Brasil. Corsino Fortes é considerado o maior poeta da literatura cabo-verdiana e, infelizmente, faleceu neste ano vítima de um câncer. Leia: https://livreopiniao.com/2014/05/21/em-entrevista-escritores-cabo-verdianos-falam-sobre-sua-literatura-e-os-lacos-com-o-brasil/

Fabián Severo ao Livre Opinião: “a literatura foi o melhor lugar que encontrei para existir”

fabian_2Fabián Severo nasceu em Artigas, no Uruguay, cidade que faz fronteira com o Brasil, em 1981. Autor de Noite nu Norte (2010), Viento de Nadie (2013) e NósOtros (2014), o escritor da fronteira tem uma particularidade: escreve seus poemas em portunhol. Nascido num espaço geográfico em que o portunhol é amplamente utilizado, Fabián aprendeu suas primeiras palavras neste idioma, começou a construir sua história neste idioma tratado com desdém por muitos. Leia: https://livreopiniao.com/2015/08/04/fabian-severo-ao-livre-opiniao-a-literatura-foi-o-melhor-lugar-que-encontrei-para-existir/

Em entrevista, Wilson Alves-Bezerra comenta sobre seu novo livro: “Vertigens”

IMG_6616A.JPG © Mari IgnatiosEm entrevista para o Livre Opinião – Ideias em Debate, Wilson comentou sobre seu novo livro, Vertigens: “Nas Vertigens, há a noção de que não há uma realidade pré-linguística, na qual as imagens se dão”. O autor também falou sobre a escolha do estilo escolhida para a obra: “Os poemas em prosa remontam a Charles Baudelaire, em meu caso; mas a linguagem destes poemas em especial bebem nas águas do James Joyce do Finnegans Wake e em seus afluentes, como o brasileiro Wilson Bueno”. Leia: https://livreopiniao.com/2015/07/22/em-entrevista-wilson-alves-bezerra-comenta-sobre-seu-novo-livro-vertigens/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s