Abertura da Balada Literária terá show de Chico César no Auditório Ibirapuera

Chico-Cesar

Chico César apresenta o show do mais recente trabalho da carreira, o álbum Estado de Poesia, marcando a abertura da décima edição da Balada Literária. No palco, o cantor e compositor – que participou da primeira edição do evento, em 2006 – será acompanhado pela banda formada por Xisto Medeiros (baixo), Helinho Medeiros (teclado), Gledson Meira (bateria) e Lívia Mattos (sanfona).

Neste ano a homenageada é a cineasta Suzana Amaral, diretora dos filmes A Hora da Estrela (1985), Uma Vida em Segredo (2001) e Hotel Atlântico (2009), todos feitos com base nas obras de Clarice Lispector, Autran Dourado e João Gilberto Noll, respectivamente.

Segundo Marcelino Freire, criador, curador e diretor-geral da Balada Literária, a escolha de Suzana se deu já que neste ano a ideia era homenagear alguém do cinema e que tivesse relação com a literatura. “Aí foi fácil chegar ao nome dela”, explica. “Seus três filmes foram feitos a partir de livros […] É uma apaixonada pela palavra. E essa paixão tem a ver com o espírito da Balada”, diz.

O evento tem ainda a participação das atrizes Roberta Estrela D’Alva, que recitará poemas de autoria própria e um do poeta mineiro Donizete Galvão (1955-2014), e de Marcélia Cartaxo, que há 30 anos deu vida à personagem Macabéa no filme A Hora da Estrela e ganhou o Urso de Prata de Berlim como Melhor Atriz pelo papel. “Pedi para que Marcélia abrisse o coração. É o que ela fará”, conta Marcelino. “Será surpresa”, diz.

Durante a abertura da décima edição da Balada Literária haverá, pela primeira vez, a entrega do Prêmio Donizete Galvão; e o premiado será o poeta, crítico, ensaísta e professor Carlos Felipe Moisés. “Queremos celebrar a memória do Donizete”, conta Marcelino. “A ideia é que todo ano a gente entregue o prêmio a algum poeta veterano”, explica.

Depois da abertura no Auditório Ibirapuera, a Balada Literária prossegue em outros endereços da cidade, até o dia 22 de novembro, misturando, de acordo com Marcelino Freire, tribos, artes e ofícios. “A Balada é para todos. É agregadora”, conclui. A programação completa da décima edição está disponível no site baladaliteraria.com.br.

Dia:18 de novembro
Horários: às 20h
Duração: 90 min (aproximadamente)
Ingressos:gratuito [os ingressos serão distribuídos uma hora e meia antes da apresentação]
Classificação Indicativa:livre para todos os públicos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s