Aline Bei: Viramos ex. amigos

Untitled

eu tive 1 relógio.

Estranhamente ele era azul mas dentro estava escrito Praia do Rosa.

os ponteiros eram em formato de seta então eles não diziam da hora: Apontavam pra ela, uma espécie de

guia. Eu me programava

compacta

através do meu relógio sem caos, às 2 tenho que estar no

Inglês, às 4 eu tenho que tomar café,

às 8 eu já deveria ter terminado de ler

esse livro sobre a revolução dos

bichos, amanhã a professora vai perguntar um monte de coisa sobre o enredo, vou dizer que não sei porque dormi de hora

perdida.

Quando acordava de manhã pro colégio, eu colocava o relógio no pulso mas não era enfeite.

Eu lia

Praia do Rosa

E imaginava aquele céu de fim de tarde depois de um dia muito quente,

um céu com partes em azul,  partes em cor

de rosa e partes em 1 cor totalmente Nova chamada Rozul.  Talvez uma praia rosa num relógio azul não fosse uma contradição tão grande assim.

Talvez

eram só 2 cores sendo 1 como o Mar que ninguém de verdade sabe se é verde ou

Se é

azul. Algumas pessoas têm olhos assim.

Eu tinha ganhado esse relógio de aniversário da minha mãe. Tinha pedido um

Relógio pra ela

porque muitas garotas da escola tinham e

as que tinham

eram sempre as que todo mundo ficava olhando com amor quando elas passavam pelos corre(dores).

Eu também queria amor.

Achei que o relógio ajudaria e

ajudou

um pouco, fiquei mais Confiante com o tempo enjaulado no pulso, as pessoas me perguntavam carinhosas:

-Que horas são, por favor?

Até na rua, ele era 1

Relojão. Pedi o presente mas Ainda assim eu não esperava um relógio tão especial que fosse Rozul pra mim e só azul pro’s outros que o viam com olhos pequenos ou não liam que dentro

do vidro

estava escrito praia

do rosa, além do cheiro de verão.

Um dia um menino novo na escola começou a ser meu amigo e eu de relógio. Ele percebeu.

me disse:

– Conheço essa praia.

Na hora meus olhos ficaram intensos, ele foi o primeiro que reparou. Eu perguntei da cor que ele tinha em mente, achei que estávamos falando de

Imaginação.

– Não.

A Praia do Rosa existe de verdade. – ele me disse. – Fica em Imbituba, Santa Catarina.

E eu pensando que esse papo era de

lúdico. Que Praia do Rosa era metáfora de céu

quando o dia tinha sido memorável de verão porque calor tem muita vida por ser

Possível de entrar

no mar mesmo com água fria.

Meu amigo me disse que a Praia do Rosa era tudo isso

sim, como todas as praias que são Bonitas com

vento, só que o mar não era rosa muito menos o céu.

Eu

quase não o ouvia mais, estava

tão triste, expliquei pra ele que

eu queria guardar o tempo de relógio num lugar que não existe fora da minha cabeça, por isso eu gostava tanto do meu relógio escrito Praia do Rosa, porque eu pensava

que aquele lugar tinha sido inventado por mim. Meu amigo me disse:

-não entendi.

E depois disso nunca mais conversamos além dos pequenos Ois no corredor até o fim

da escola.

Aline Bei

A busca ou o processo.
(nunca o pronto)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s