Aline Bei: O batom na bochecha foi um beijo que eu ganhei da minha tia

olhar os adultos do alto do meu tamanho

menor

me dava a

impressão de que ia chover mais tarde se fosse a céu aberto, eu via

a cabeça deles

entre

as nuvens. dentro das nuvens têm água em gota esperando pra ser

chuva, me disse um dia a minha vó numa história que ela contou

especialmente pra eu

dormir. funcionou, pensar em nuvens tem a ver com morrer que tem a ver com dormir.

se eu olhasse um adulto dentro de casa o lustre

ficava em

evidência na minha cabeça, aquela luz e a pessoa Alta

falando comigo, fazendo uma voz

que não era a mesma que atendia o telefone contando sobre como está demorando a reforma do escritório, muito mais que o esperado e que merda

isso era, não vai dar pra viajar.

os adultos sabem que horas são e o que isso

significa, sabem quando usar o aspirador e não

a vassoura,

quando dizer

oi, abrem a porta, fazem

churrasco, mandam a criança dormir.

eu subia as escadas.

tinha visita na sala e no vão dos cômodos eu ficava

escondida.

os adultos falavam como uma música que eu nunca ouvi por isso não sei a letra e também não a entendo de pronto,

eles reclamavam

a maior parte do tempo, não usavam brinquedos mas

riam, bebiam seus

drinks, eu imitava colocando gelo no meu guaraná e fingindo uma conversa com as minhas

bonecas todas sentadas em conferência na cama.

eu pensava que quando fosse adulta e tivesse 40 anos tão velhos quanto um dinossauro, eu

não iria gastar meu tempo

conversando com outros adultos,

eu ficaria de frente para 1 criança assim ela me veria de baixo e junto ela veria

o céu

ou o teto que é o céu de uma casa e isso Sim é  bonito,

alguém te fazendo levantar o olho a ponto de ver algo que é maior do que você e está

muito longe, mas

existe

tanto quanto teu peito que respira.

a criança quando eu for adulta vai me achar uma gigante.

mas se ela me perguntar qualquer coisa não aprendida na escola,

então

eu não saberei responder e serei uma tampa,

menor que uma tampa, os adultos

não tem respostas pra perguntas do tipo por que o cocô é sempre marrom não importa a cor das coisas que comemos?

os adultos não sabem

porque ninguém respondeu pra eles quando eles

eram crianças e a cabeça

morreu oca. hoje,

documentos moram lá.

quando os adultos abaixam pra falar comigo, eles estão

enrugados e com cara

grande então prefiro eles de pé e prefiro ainda mais quando eles não estão apesar que os adultos sempre estão porque eles moram dentro daquilo que um dia eu serei.

alinebei

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s