Grupo Seis Canta e cantor Rubi fazem shows e encerram o Toca Brasil de março do Itaú Cultural

O instituto apresenta dois espetáculos diferentes em que a música popular brasileira está no centro. O primeiro, com o sexteto formado por cantores e um percussionista convidado, questiona o cotidiano da metrópole por meio de repertório variado e a revelação ao público, em primeira mão, de quatro músicas da nova turnê do grupo; o segundo, é o show ROUBE-me, RUBI em que o cantor mescla teatro, poesia e canções
a77ec0e6-e70e-4dbf-a86c-d84512b8a64a
No final de semana de 25 a 27 de março, o Itaú Cultural apresenta mais dois shows da série Toca Brasil. No feriado da sexta-feira (25), às 20h, o grupo de canto popular Seis Canta sobe ao palco com o show Meio Fio – Repensando os Limites na Metrópole. O repertório eclético leva a plateia a questionar o cotidiano urbano, por meio de canções de diversos gêneros e épocas, desde o tradicional ao contemporâneo, rap e samba. No sábado (26), às 20h, e no domingo (27), às 19h, Rubi faz o show solo ROUBE-me, RUBI. Acompanhado de seu violão, declama poesias e interpreta composições de Nelson Cavaquinho, Gero Camilo, Caetano Veloso, Jorge Mautner, Cazuza, Ednardo e Michael Jackson. As duas apresentações têm entrada gratuita.
A série Toca Brasil leva com frequência à Sala Itaú Cultural artistas brasileiros de diferentes estilos. Na apresentação de sexta-feira (25), o espetáculo apresentado pelo grupo Seis Canta é dividido em blocos, que abordam cultura popular, sociologia da cidade, política, subjetividade, voz da periferia e, para finalizar, uma mensagem de esperança. “Buscamos, por meio das músicas, dialogar sobre a vida do ser humano na grande metrópole”, explica a soprano Ana Ferrini. “É como um espelho para a plateia, que se identifica com temas como a pressa, indiferença, solidão e conflitos sociais”, continua. O espetáculo é dividido em blocos, que abordam cultura popular, sociologia da cidade, política, subjetividade, voz da periferia e, para finalizar, uma mensagem de esperança.
O grupo surgiu em 2012, na Escola do Auditório Ibirapuera, dirigida pelo Itaú Cultural, e é formado majoritariamente por alunos e ex-alunos de canto popular da instituição. Além de Ana, integram a banda Amanda Temponi (contralto), Everton Dantas (baritenor), Paulla Zeferino (contralto), Raquel Bernardes (soprano), Wilson Alves (baritenor) e George Ferreira na percussão com pandeiro, cajon, caixa, chimbau, caxixi, agogô e moringa.
No repertório do show no Itaú Cultural o sexteto mostra seus arranjos para canções como O Que Sobrou Do Céu (Marcelo Yuka), Panis Et Circense (Caetano Veloso e Gilberto Gil), Tempo Tempo (Gilberto Mendes), Brasil Com P (GOG), Não Existe Amor Em SP (Criolo), De Onde Vem A Calma (Marcelo Camelo), O Morro Não Tem Vez (Tom Jobim e Vinícius de Moraes) e Credo (Milton Nascimento e Fernando Brant).
Na performance urbana, ao cantar Brasil com P, do rapper GOG, por exemplo, todo o grupo se utiliza de percussão reciclável – canos de PVC, chaves, máquina de escrever, aros de roda e ferragens de bicicleta. Entre uma canção e outra, recitam textos do baritenor do grupo, Everton, e de Clarice Lispector, dando unidade ao espetáculo.
O grupo ainda apresenta ao público quatro músicas inéditas que farão parte do novo projeto a ser lançado ainda neste semestre, cuja temática será identidade. Maria de Vila Matilde, de Douglas Germano, O Canto das Três Raças, de Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro, Zambi, de Edu Lobo e Quem Tem Coragem, de Everton Dantas, são as novidades que encerram a apresentação.
ROUBE-me, RUBI
No sábado (26) e no domingo (27), às 20h e às 19h, respectivamente, o cantor e ator Rubi apresenta a turnê que mescla suas três bases artísticas – teatro, música e poesia –, tocando apenas violão. Em ROUBE-me, RUBI, o artista começa recitando versos inéditos de Gero Camilo, depois canta Music and Me (Michael Jackson), Fala (João Ricardo e Paulo Mendonça), proclama trecho do livro Ascese – os salvadores de Deus, de Nikos Kazantizakis, e continua com a música Graça Divina (Caetano Veloso e Jorge Mautner), Como Dois e Dois (Caetano Veloso) e Que Rei Sou Eu? (Marco Michelângelo). No repertório, Rubi ainda interpreta Black Bird (Paul MacCartney e John Lennon), Maurício (Renato Russo) e Folclore (Chico César).
Lançada em 2015, a turnê ROUBE-me, RUBI já passou por diferentes espaços culturais de São Paulo, além de Recife, Brasília e Curitiba e festivais em Pernambuco. Natural de Goiânia, criado em Brasília e radicado em São Paulo desde 1992, Rubi é bacharel em Artes Cênicas pela Faculdade Dulcina de Moraes, do Distrito Federal. Em 1998, ele lançou seu primeiro CD produzido por Mário Manga. Em 2004, deu início ao projeto de música infantil com o espetáculo Felizardo e a banda Cia Banda Mirim, com os quais venceu o 8° Prêmio Visa de Música. Selecionado no Rumos Música 2007-2009, por meio do qual gravou o DVD Sons do Cerrado, em agosto de 2008, na sede do instituto.
Lançou os CDs Infinito portátil (2005) e Paisagem Humana (2007) e, em 2014, o show Pertinho do Ouvido do Olhar, com o músico Estevan Sinkovitz, que celebrou seus 30 anos de carreira e 10 de formação da Cia Banda Mirim.
Repertório do grupo Seis Canta (sexta-feira, 25, às 20h)
Show Meio Fio – Repensando os Limites na Metrópole
1. Axé Acappella (Dani Black e Luisa Maita)
2. Maracatú (Everton Dantas)
3. O que Sobrou do Céu (Marcelo Yuka/ arranjo: Wilson Alves)
4. Panis Et Circense (Caetano Veloso e Gilberto Gil)
5. Tempo Tempo (Gilberto Mendes)
6. Seu Moço (Everton Dantas)
7. Classe Média (Max Gonzaga)
8. O Que Há? (Wilson Alves)
9. De Frente pro Crime (João Bosco e Aldir Blanc /arranjo: Sérgio Simões)
10. Brasil com P (GOG / arranjo: Wilson Alves e George Ferreira)
11. Numa Cidade Muito Longe Daqui (Franco Lattari, Arlindo Cruz, Acyr Marques, Leandro Sapucahy e Marcelo D2 / arranjo: Wilson Alves)
12. Não Existe Amor em SP (Criolo / arranjo: Wilson Alves)
13. Esquadros (Adriana Calcanhotto / arranjo: Everton Dantas)
14. De Onde Vem a Calma (Marcelo Camelo / arranjo: Everton Dantas)
15. Clube da Esquina nº2 (Milton Nascimento, Lô Borges e Márcio Borges)
16. Lata D’água (Luiz Antônio e Jota Júnior / arranjo: Marcos Leite)
17. O Morro Não Tem Vez (Tom Jobim e Vinícius de Moraes / arranjo: Wilson Alves)
18. RAP (Os Mulheres Negras, Skowa e a Máfia e Titãs / arranjo: André Protásio)
19. Credo (Milton Nascimento e Fernando Brant / arranjo: Daniel Reginato)
20. Maria de Vila Matilde (Douglas Germano / arranjo: Wilson Alves)
21. O Canto das Três Raças (Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro / arranjo: Wilson Alves)
22. Zambi (Edu Lobo / arranjo: Everton Dantas)
23. Quem Tem Coragem (Everton Dantas / arranjo: Everton Dantas e Wilson Alves)
Repertório de Rubi (sábado, 26, às 20h; domingo, 27, às 19h)
Show ROUBE-ME, RUBI
1. Texto inédito de Gero Camilo
 
2. Music and Me (Michael Jackson)
 
3. Fala (João Ricardo e Paulo Mendonça)
 
4. Texto de Nikos Kazantizakis, do livro Ascese – os salvadores de Deus
 
5. Graça Divina (Caetano Veloso e Jorge Mautner)
 
6. Como Dois e Dois (Caetano Veloso)
 
7. Muito Romântico (Caetano Veloso) e poema de Gero Camilo
 
8. Que Rei Sou Eu? (Marco Michelângelo)
 
9. Pavão Mysterioso (Ednardo)
 
10. Black Bird (Paul MacCartney e John Lennon)
 
11. Ritual (Cazuza e Roberto Frejat) e Andrea Doria (Renato Russo)
 
12. Sem Tempo (Juliano Holanda) e Maurício (Renato Russo)
 
13. Negro Gato (versão de Three cool cats de Lieber/Stoler, por Getúlio Cortes)
 
14. A Lina (Felipinho Caos, Gustavo Galo e Ciça Góes)
 
15. Folclore (Chico César)
 
16. Juízo Final (Nelson Cavaquinho)
 
17. Extra (Gilberto Gil)
 
SERVIÇO:
Toca Brasil – Grupo Seis Canta
 
Dia 25 de março de 2016 (sexta-feira), às 20h
 
Duração: 60 minutos
 
Classificação indicativa: Livre
 
Sala Itau Cultural (249 lugares)
 
Entrada franca (ingressos distribuídos com 30 minutos de antecedência)
 
 
Toca Brasil – Rubi
 
Dia 26 de março de 2016 (sábado), às 20h
 
Dia 27 de março de 2016 (domingo), às 19h
 
Duração: 80 minutos
 
Classificação indicativa: Livre
 
Sala Itau Cultural (249 lugares)
 
Entrada franca (ingressos distribuídos com 30 minutos de antecedência)
 
 
Estacionamento: Entrada pela Rua Leôncio de Carvalho
 
R$ 15 pelo período de 12 horas.
Se o visitante carimbar o tíquete na recepção do Itaú Cultural, 3 horas: R$ 7;
4 horas: R$ 9; 5 e 12 horas: R$ 15.
Com manobrista e seguro, gratuito para bicicletas.
 
Acesso para deficientes físicos
 
Ar condicionado
 
 
Itaú Cultural
 
Avenida Paulista, 149, Estação Brigadeiro do Metrô
 
Fones: 11. 2168-1776/1777
 
atendimento@itaucultural.org.br
 
 
 
 
 
 
 
 
Assessoria de imprensa:
 
Conteúdo Comunicação
 
Fone: 11.5056-9800
 
Carina Bordalo: carina.bordalo@conteudonet.com
 
Cristina R. Durán: cristina.duran@conteudonet.com
 
Karina Betencourt: karina.betencourt@conteudonet.com
 
Roberta Montanari: roberta.montanari@conteudonet.com
 
No Itaú Cultural:
 
Fone: 11.2168-1950
 
Larissa Correa: larissa.correa@mailer.com.br
 
 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s