Realizada em abril, 16ª Semana de Imagem e Som tem como temática “Estéticas da Violência”

12472743_1003682259710466_5539857478456055316_n

A Semana de Imagem e Som da UFSCar é um evento anual que em 2016 chega à sua 16ª edição. A semana promove fruição, discussão e reflexão acerca da realização audiovisual nos espaços da universidade e da cidade de São Carlos, como uma maneira de ampliar a formação de todos os interessados.

O evento ocorrerá entre os dias 4 e 9 de abril de 2016, e toda sua programação é gratuita e aberta a todos que por ela se interessarem. Haverá diversas palestras, debates exibições de filmes, mostras e oficinas culturais.

Neste ano, com a temática “Estéticas da Violência”, a SeIS buscará abordar a violência no audiovisual enquanto ação transgressora. Para isso, contará com a participação de diversos nomes importantes do meio, como a diretora Renata Pinheiro, a youtuber Jout  Jout, o crítico cinematográfico Sérgio Alpendre, dentre outros.

A SEMANA DA IMAGEM E SOM
A Semana de Imagem e Som (SeIS) surgiu no ano de 1999, por iniciativa dos alunos do curso de Imagem e Som da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), tendo se tornado um evento anual do curso a partir de 2003. Ao longo de suas quinze edições já realizadas, o projeto buscou, sempre, fomentar as discussões sobre o audiovisual, aliando o saber acadêmico com a experiência profissional, proporcionando uma oportunidade singular para alunos e demais entusiastas do setor.
Nesse sentido, é importante observar a diversidade de temas adotados em cada edição, pois estes serviram de norte para a orientação das discussões. Ao longo dos anos, questões variadas foram enfocadas, desde a produção independente e as novas tecnologias e iniciativas de produção e distribuição de audiovisual, até aspectos como a representação da sexualidade e do medo. Em sua edição mais recente, a SeIS.15, optou-se por um tema bastante amplo, “América Latina”, que problematizou a produção cinematográfica latino-americana e a posição do Brasil dentro deste mercado. Durante esta edição, foi possível entrar em contato com diversas produções internacionais que não são, sempre, de fácil acesso. Vê-se que a proposta do evento é bastante ampla, permitindo um trabalho contínuo de investigação e difusão das produções.
A partir dessas temáticas, a programação é formada de modo a contemplar o desenvolvimento das habilidades e discussões de forma ampla. Tradicionalmente, a SeIS investe em oficinas, palestras, mesas redondas e exibições de filmes, em uma proposta plural de abordagem dos temas. Para dar suporte a este ideal, sempre buscamos convidados que sejam referências para os participantes, como, por exemplo: o teórico Ismail Xavier, fundamental para as discussões sobre cinema; o cineasta José Mojica, ícone dos filmes de terror brasileiros; o cineasta Hilton Lacerda, diretor do filme “Tatuagem” (2013) – que foi exibido na décima quarta edição em uma sessão seguida de debate com o cineasta. Além deste filme, outras produções nacionais também foram exibidas no projeto, como é o caso do filme “Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios” (2012), que também contou com a presença dos realizadores Renato Ciasca e Beto Brant.
À medida que o projeto evoluiu, cresceu também sua sensibilidade à inclusão da cidade de São Carlos em suas atividades. A proposta do evento compreende que, como uma atividade de extensão, é preciso ir além dos muros da Universidade, se espalhando pelo ambiente urbano e promovendo a difusão do conhecimento e a atração do público. Para tanto, presa-se pela dispersão dos locais de acontecimento das oficinas, palestras e exibições através da manutenção de parcerias com pontos de cultura locais, como a Oficina Cultural Sérgio Buarque de Hollanda e o SESC de São Carlos.
A Semana da Imagem e Som é uma atividade tradicional do curso de Imagem e Som e conta com o apoio de professores e alunos do departamento, comunidade acadêmica, profissionais, e instituições de São Carlos, que percebem neste evento uma oportunidade concreta de aproximação, discussão, e formação audiovisual. Este é um momento que ultrapassa a sala de aula e se permite dialogar com o mercado de trabalho e com a experiência com a recepção do público externo para as produções. Seguindo seu propósito de explorar a linguagem audiovisual, suas formas, significações e espaço social.
A SEIS.16
A 16ª Semana de Imagem e Som da UFSCar pretende dar continuidade ao projeto que vem sendo desenvolvido, promovendo o conhecimento, a discussão e a reflexão sobre o audiovisual, destacando sua relevância na sociedade e integrando alunos do bacharelado de Imagem e Som com o restante da comunidade acadêmica e do município de São Carlos. Na 16ª edição, pretendemos dobrar o atendimento ao público, expandindo a média de 1000 pessoas por edição do evento. Para isso, buscaremos enriquecer e diversificar sua programação ao trazer realizadores, pesquisadores, críticos e profissionais do audiovisual de destaque na área e com propriedade para debater sobre a representação da violência no audiovisual.
Pensando na plena compreensão do tema escolhido, serão promovidas palestras e mesas redondas acerca do tema, assim como exibição de obras cinematográficas marcantes ao longo dos cinco dias de evento. Serão ofertadas oficinas que visam complementar a formação dos discentes de Imagem e Som e aproximar a comunidade externa com as práticas do audiovisual. Por esse caráter formativo, as atividades não necessariamente precisarão ter ligação com o eixo temático, mas buscarão na medida do possível relacionar-se com ele.
Toda a programação da SeIS será gratuita e aberta a todos os que por ela se interessarem. As atividades, que acontecerão nos períodos diurno e noturno, estarão concentradas principalmente no campus sede da UFSCar para atender a maior demanda universitária, mas também se espalharão por diversos pontos culturais de São Carlos, como a Oficina Cultural Sérgio Buarque de Holanda, com quem já temos parceria firmada, a fim de envolver a população da cidade.
A programação diária da SeIS terá início pelas manhãs com as oficinas, que possuem de 4h a 8h de duração de conteúdo teórico-prático. Pesquisadores renomados, críticos e realizadores da região se unirão para formar o painel de palestrantes da SeIS.16. As palestras e mesas redondas ocorrerão à tarde e à noite, serão realizadas nos auditórios da Biblioteca Central da UFSCar, no Teatro de Bolso do Departamento de Artes e Comunicação e no anfiteatro Bento Prado da UFSCar.
A exibição de produtos audiovisuais é o ponto alto de integração entre comunidade acadêmica e população, e da proposta de promoção de culturas cinematográficas alternativas para novos públicos. A SeIS.16 terá sua abertura oficial no auditório Florestan Fernandes da UFSCar, com a Mostra de Curtas Metragens, com a exibição de trabalhos de novos realizadores de produções em que a violência se faça presente, de forma temática ou através da própria linguagem. Enquanto a última noite da SeIS.16 será marcada por um evento especial, o Noitão. Em uma sala de cinema comercial, no centro de São Carlos, a população será convidada a virar a noite em uma sessão dupla de filmes.
Em caráter de diálogo com outras expressões artístico-culturais, o projeto também montará uma mostra fotográfica, que permanecerá em exibição (em local ainda não determinado, mas preferencialmente em um ponto cultural no centro da cidade) durante todos os dias do evento com acesso livre a toda a população. Esta mostra tem como objetivo difundir os olhares de profissionais, iniciantes e emergentes sobre as pluralidades da representação da violência, tanto com objetivo de criticidade e problematização dela quanto como seu uso estético. Para a seleção das fotos, abrirse-á um edital com 6 meses de antecedência do evento, proporcionando um período adequado para a difusão da proposta, envio de material e seleção do conteúdo a ser exposto. É importante ressaltar que tal exposição não possui caráter competitivo, de forma que os trabalhos selecionados serão tratados de maneira igual durante a exposição e nenhum prêmio será distribuído.
Outro aspecto importante é o interesse em abrangir todas as áreas possíveis relacionadas ao audiovisual. Para tanto, serão incluídos na programação debates e mesas que contem com a participação de profissionais atuantes em plataformas virtuais, como sites de vídeo e streaming online, e produção musical. Esse esforço esta fortemente dedicado à ampliação da visão dos participantes acerca das possibilidades de trabalho com audiovisual.
aaca5794-2b5e-44f6-9f1a-8e0b7ca87909
PROGRAMAÇÃO COMPLETA
SEGUNDA-FEIRA – 04/04
Dia Inteiro – Mostra Fotográfica – BCo
9h às 12h – Oficina: Super 8 (com Moema Pascoini; local: “Oficina Cultural Sérgio Buarque de Holanda”)
14h às 16h – Sessão SeIS: Favela Gay (local: Florestan Fernandes)
16h às 18h – Chá da SeIS: Cinema Queer (com Mateus Nagime e Gilberto Alexandre; mediador: Henrique Rodrigues Marques; local: Teatro Florestán Fernandes)
19h às 22h – Abertura/VI Mostra de Curtas da SeIS (local: Florestan Fernandes)
TERÇA-FEIRA 05/04
Dia Inteiro – Mostra Fotográfica – BCo
9h às 12h – Oficina: Super 8 (com Moema Pascoini; local: “Oficina Cultural Sérgio Buarque de Holanda”)
15h às 17h – Chá da SeIS: O Mercado AV para um Ex-IeS (com Giovanna Rubim, Matheus Cury, Lígia Borba, Maurício Zatonni; local: Auditório A3 BCo; mediadora: Ana Luiza)
18h às 20h – Palestra: Experiências e Noções sobre Roteiro Audiovisual (com Pedro Aguilera; local: Auditório A3 BCo)
20h30 às 22h30 – Sessão SeIS: “Branco Sai, Preto Fica” (local: Auditório A3 BCo)
QUARTA-FEIRA – 06/04
Dia Inteiro – Mostra Fotográfica – BCo
13h às 17h – Oficina de Crítica Cinematográfica (com Sérgio Alpendre; local: Oficina Cultural Sérgio Buarque de Holanda)
14h às 16h – Sessão SeIS: O Som ao Redor (Teatro Florestan Fernandes)
16h às 18h – Chá da SeIS: Estéticas da Violência no Audiovisual – Um olhar Psicanalítico (com Eduardo Pinto, Vera Lúcia Rigo e Maria Auxiliadora; local: Auditório A2 – Bco UFSCar, Mediador: Filipe Salles)
QUINTA-FEIRA – 07/04
Dia Inteiro – Mostra Fotográfica – BCo
9h às 12h – Oficina: A Trilha Sonora no Cinema (com Gustavo Palma; local: “Oficina Cultural Sergio Buarque de Holanda”)
14h às 16h – Sessão SeIS: “Sem Pena” (local: Teatro Florestan Fernandes)
16h30 às 18h30 – Palestra: Quadrinhos e a Violência Justiceira – Um debate sobre a violência na indústria cultural (com Diego Garcia; local: Auditório A3 BCo)
19h às 21h – Palestra com Julia Tolezano (Jout Jout) (local: Teatro Florestán Fernandes)
 
SEXTA-FEIRA – 08/04
Dia Inteiro – Mostra Fotográfica – BCo
9h às 12h – Oficina: A Trilha Sonora no Cinema (com Gustavo Palma; local: “Oficina Cultural Sergio Buarque de Holanda”)
13h30 às 16h00 – Sessão TC6 (com IeS 012; local: Teatro Florestan Fernandes)
16h30 às 18h30 – Roda de Conversa: Representação da Violência Social por Meio do Rap (com Projeto TORRE; local: Auditório A1 UFSCar)
19h30 às 22h – Sessão SeIS: O Rap pelo Rap (com Pedro Fávero; local: Palquinho)
SÁBADO – 09/04
Dia Inteiro – Mostra Fotográfica – BCo
9h às 12h – Oficina: Direção de Arte (com Monica Palazzo ; local: “Oficina Cultural Sergio Buarque de Holanda”)
14h às 18h – Oficina: Direção de Arte (com Monica Palazzo ; local: “Oficina Cultural Sergio Buarque de Holanda”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s