Sesc São Carlos apresenta espetáculo ‘Caranguejo Overdrive’

4b8bbbc9-7e61-4115-b007-67aba8d0d544

“Conhecida por obras impregnadas de arrojo cênico, a Aquela Cia. de Teatro alcança plenamente neste drama a harmonia tão frágil entre comunicação com o público e desbravamento sem concessões | Caranguejo Overdrive: espetacular montagem da Aquela Cia. de Teatro mescla linguagens com efeito avassalador.”
Rafael Teixeira

 

Num fluxo de tempos e formas , não se dá trégua à estimulação sensorial . Da exposição direta de um ator falando ao microfone ao desenho traçado diretamente nos corpos, o espaço de ver e ouvir se decompõe em cenas estilhaçadas , capturadas como possibilidades de sensações visuais e auditivas intensas. (Macksen Luiz , O Globo, sobre Caranguejo Overdrive)

 

Em Caranguejo Overdrive, Marco André Nunes e Pedro Kosovski traçam uma instigante conexão entre o Rio de Janeiro da segunda metade do século XIX e o Manguebeat. | Marco André Nunes extrai de uma espacialidade básica imagens poderosas (como a de um homem coberto de lama imóvel).”
Daniel Schenker

 

“Bem escrito, contendo ótimos personagens e uma ação (não-linear, fragmentada) que prende a atenção do espectador desde o início, Caranguejo Overdrive exibe mais uma boa direção de Marco André Nunes | Sob todos os aspectos, estamos diante de uma das montagens mais instigantes da atual temporada.”
Lionel Fischer

 

“Portanto, vale frisar, uma forma teatral nova se impõe, uma nova forma de atacar velhos problemas de sempre, mas de uma maneira tal que se possa promover uma mudança de consciência, um outro estado de reflexão. Por isto, a vertigem, o teatro em vertigem, uma circularidade voluptuosa de falas, cenas, músicas, dramatizações, repetições, jogos expressivos e dor, histórica dor. Impossível descrever ou analisar este trabalho através de ferramentas críticas arcaicas. Há um cálculo pós-dramático e hiper-dramático que se instala desde o início da representação. Mas não é mais a representação cartesiana, do século XIX, de Brecht. Transversalidades pontilham a cena.”
Tânia Brandão

 

“Nessa disposição polifônica de palavra, música e imagem, uma coisa fica clara: a complexidade de nossa história não permite o conforto de um ponto de vista estável que fosse capaz de abarcar tudo com uma só mirada ou um só discurso. A meu ver, o novo teatro político, que reconhece a impossibilidade de diagnósticos redutores e de soluções simplistas para os problemas do presente, encontra em Caranguejo Overdrive um exemplar de rara suculência.”
Patrick Pessoa

Marcada pelo desenvolvimento de uma linguagem artística própria com forte impacto visual , por uma dramaturgia sempre inédita e colaborativa, com forte referencial na literatura e um atravessamento da música com a cena, Aquela Cia. De Teatro vem celebrando os dez anos de existência com uma ocupação do Espaço Sesc em junho/julho de 2015 onde estreou Caranguejo Overdrive  e Laio & Crísipo  . Em Janeiro de 2016 realiza uma segunda ocupação, apresentando  seu repertório na reabertura do Teatro Serrador .  Caranguejo Overdrive   participou ainda da reinauguração da Casa da Gávea em agosto , do festival Interculturalidades em setembro e do FIAC (Festival Internacional de Artes Cênicas  da Bahia) em outubro. Esse espetáculo , depois de obter um enorme sucesso de público e crítica, recebeu 4 indicações ao Prêmio Shell ( direção , texto , ator e atriz), 4 ao Prêmio Cesgranrio(melhor espetáculo , direção , texto e ator) e 5 ao Prêmio Questão de Crítica ( melhor espetáculo , direção , texto , atriz e direção musical) e foi eleito um dos melhores espetáculos de 2015 pelo jornal O Globo e pela revista Veja.

Caranguejo Overdrive  conta a história de Cosme, ex-catador de caranguejos no mangue carioca da metade do século XIX. Convocado para integrar as forças brasileiras na Guerra do Paraguai, enlouquece no campo de batalha, volta ao Rio e encontra uma cidade em grande transformação.

A peça traz os traços de linguagem que caracterizam o trabalho muito original d’Aquela Cia – dispositivos hipertextuais,  a relação com a cultura pop contemporânea.  “Caranguejo Overdrive” dialoga com o movimento manguebeat e a obra do Geógrafo Josué de Castro”, descreve o diretor Marco André Nunes. “Procuro criar um universo que soe familiar e que ao mesmo tempo traga algo de surpreendente, seduzindo o espectador para além do que está sendo informado ou compreendido, que lance dúvidas e o instigue a questionar o mundo em que vive”.

SERVIÇO

Caranguejo Overdrive

Dia 14, sábado, às 20h.

Dia 15, domingo, às 19h.

Galpão

Ingresso – R$17,00 / R$8,50 / R$5,00

Não recomendado para menores de 16 anos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s