POEMA LIVRE: ‘criação’, de Geruza Zelnys

criação

 
I
implodiu algumas pedras no meio do meu corpo rochoso
e plantou, ali, um coração
 
 
II
cascata vermelha desabando silenciosa entre duros vãos
de finos fios ferrosos, nome
nada
 
 
III
duas asas levemente pousadas na dureza da mão, pesado
impulso de voo preso
solo
 
 
IV
cerro os cílios sobre a superfície de ramos frágeis, cilício
sobre pele, calcário
careado
 
 
V
turbante em prata enrolado no topo da ideia, nebuloso
batismo de lágrimas
gelado
 
 
VI
fogueira plantada no alto queimando o vento, andarilho
perpétuo é o pé
exilado
 
 
VII
adornada de primaveras e abelhas lilases, uma semente
mantra imantado
no peito
 
 
VIII
explosão de fagulhas, lava escalando o túnel da garganta
cinzas de um deus
dormente
 
 
IX
curvo meu corpo alto de terra sobre tua terra derretida
lama, por que me fez
tão humana?
 
 
[in: Quintais, Patuá, 2016, prelo]
GERUZA

 

2 comentários sobre “POEMA LIVRE: ‘criação’, de Geruza Zelnys

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s