POEMA LIVRE: ‘Colo e Útero’, de Nayara Fernandes

Colo e útero

a fuga a fúria a fera
o belo refúgio do mistério
o verbo o vício o verso
a branda revelia da mescla
do sangue do sexo do eixo
realejo a tocar a alma do desejo
lugarejo a abrigar a ternura do afeto

o silêncio o sentido o sensível
a ponta da faca trovando o abismo
o destino o desígnio o arbítrio
o som do osso mordendo a vida

tão bonito o monstro imoral
tão bonito o mantra imortal
tão de tão tudo
tão de tão única
tão de tão mundo

música musa mulher
manha maneira mania
de ser universo sob pele
o sagrado e o profano
o mais límpido sentimento do homem
mulher é o colo e o útero da liberdade.

Nayara Fernandes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s