Debates sobre HQ’s, encontros com quadrinistas e oficina na Ocupação Glauco

7E1AB4C64B7C438DBEF85B6D0A03D0E4

O Itaú Cultural promove algumas atividades relacionadas ao mundo dos quadrinhos, que é o de Glauco: na série Caminhos da HQ, todas as quartas-feiras de junho, quadrinistas como Marcatti e Klebs Junior, entre outros, conversam com o público sobre o tema; na Banca de Quadrinistas, um espaço de convivência e feira de quadrinhos, o público interage com os expositores; e o quadrinista Gus Morais, ministra oficina  de Brincando de Montar Quadrinhos, no primeiro Fim de Semana em Família do mês.

No dia 6 de julho começa a série Caminhos da HQ em que, até o fim do mês, o Itaú Cultural dedica as quartas-feiras a debates com artistas do meio, como Marcatti e Klebs Junior, nesta primeira mesa, e Carol Rosetti, Fábio Coala, Alexandre de Maio, Daniel Esteves, Ana Recalde e Marcelo D’Salete, nas demais. A programação abre a discussão sobre o mercado brasileiro para quem trabalha com quadrinhos, o cultivo de público em rede, a vida real nas HQs e questões ligadas a raça e gênero. A atividade faz parte da Ocupação Glauco, que abre no sábado dia 9.

O objetivo é enriquecer a conversa com autores que seguem em caminhos distintos. Também, cada um produzirá, antecipadamente, uma HQ de até duas páginas sobre o tema do dia. As histórias inéditas serão ponto de partida dos debates. Quando o palestrante for roteirista, mostrará um trabalho sem os desenhos, exatamente como seria entregue para um desenhista.

Neste primeiro encontro, dia 6, o público conhece as experiências de dois quadrinistas que, além de produzir HQs, atuam em outras frentes: Marcatti, tão autoral que imprime muitas de suas revistas em um offset próprio; e Klebs Junior, que atua em equipe e ainda dirige um estúdio/escola/editora. Os projetos de ambos são independentes, inclusive com financiamento coletivo, e também publicados por grandes editoras. Com o tema Viver Quadrinhos, os dois falam sobre o mercado de quadrinhos no país, como a parte criativa afeta a mercadológica e vice-versa.

Marcatti contabiliza quase 40 anos de produção desde a publicação de sua primeira HQ em agosto de 1977, a revistaPapagaio. Recebeu, em 1988, o troféu Jayme Cortez (AQC­ESP) em reconhecimento ao seu apoio aos quadrinhos nacionais. Nos anos de 1980, colaborou para revistas como Chiclete com Banana, Circo, Mil Perigos e Monga. Atualmente, trabalha na adaptação de Os Miseráveis, de Victor Hugo, para a Cia das Letras. A HQ, com mais de 650 páginas, pode se tornar a mais importante empreitada de sua carreira. Além disso, já ganhou cinco prêmios HQ Mix e três Angelo Agostini.

Ilustrador e quadrinista, Klebs Junior colocou seus desenhos nos jornais O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo, e nas revistas Veja, Época, Isto É, Playboy e Placar. Produziu ilustrações para o filme Castelo Ra-Tim-Bum, publicou quadrinhos nos Estados Unidos pelas editoras Dc Comics, Marvel, Malibu e Valiant, e lançou os próprios personagens nas revistas brasileiras Metal Pesado e Brasilian Heavy Metal.

Escreveu, desenhou, finalizou e editou Lilo, a primeira revista do selo Impacto, agora Instituto HQ, em parceria com a editora Trama. Hoje, é proprietário, idealizador, professor e editor nesse instituto, um polo de criação e arte – instituição pioneira no ensino de quadrinho na América Latina, que abrange escola, estúdio e editora. Ainda, desde 1995 participa da Convenção Internacional de Quadrinhos de San Diego, Califórnia. Em 2011 e 2014 esteve na New York Comic Com (NYCC). No Brasil, é convidado da Feira Internacional de Quadrinhos (BH), Gibicon (Curitiba), Fest Comicx (SP), Anime Friends (SP) e CCXP (SP). Seu lançamento mais recente é a minissérie Pátria Armada, que retrata uma versão alternativa do Brasil em guerra civil, com personagens superpoderosos.

OUTRAS QUARTAS-FEIRAS

HQs em rede é o assunto levado à Sala Itaú Cultural no dia 13, por Carol Rosetti e Fábio Coala, que cultivam público na internet e disponibilizam sua produção quadrinística online. Ela, que decidiu ser ilustradora aos quatro anos, quando ganhou uma caixa de lápis de cor dos seus pais, é autora do Projeto Mulheres– engajado em questões feministas. Ele, trabalha com tiras humorísticas, no site Mentirinhas, sobre o cotidiano e histórias longas dramáticas. O endereço na internet já foi indicado ao Troféu HQMIX 2014, na categoria Webcomics. Os participantes desta conversa entenderão como é a relação dos autores com a rede e até que ponto isso influencia suas criações.

Apesar de mais conhecidas por lidar com o ficcional, a realidade também pode estar presente diretamente nas histórias em quadrinhos. No debate A Realidade nas HQ, o foco é o jornalismo em quadrinhos, de Alexandre de Maio, e a utilização de elementos históricos nas HQs, do roteirista Daniel Esteves. O encontro é no dia 20.

Influenciado pela cultura hip hop e comprometido com temas sociais, Alexandre de Maio, passou a desenvolver jornalismo em forma de HQ em 2010, em veículos como o site Catraca Livre e a revista Fórum. Com a Agência Pública produziu diversas matérias deste tipo e ganhou o Prêmio Tim Lopes de Jornalismo Investigativo com a reportagem Meninas em jogo, sobre a exploração sexual infantil em Fortaleza.

Em 2014, a matéria em quadrinhos sobre a Copa do Mundo foi publicada na revista francesa Courrier Internacional. No mesmo período produziu material para a Folha de S. Paulo, Greenpeace, revista Placar, O Estado de S. Paulo e foi finalista do Prêmio Abril de Jornalismo em duas categorias. No ano passado, criou quadrinhos especiais sobre as olimpíadas para a revista Veja e desenvolveu o projeto de fact-checking Truco no Congresso, para a Agência Pública. Também, foi finalista em três categorias do Prêmio Gabriel Gárcia Marquéz de Jornalismo.

Daniel Esteves, além de roteirista, é professor de Histórias em Quadrinhos, criador do curso HQ em FOCO e do selo Zapata Edições. Escreveu várias HQs: Por mais um dia com Zapata, KM Blues, São Paulo dos Mortos, Nanquim Descartável, O Louco, a Caixa e o Homem, A luta contra Canudos, Herança Africana no Brasil, entre outras.

Recebeu o HQ Mix como roteirista revelação e duas vezes o Angelo Agostini, como melhor roteirista nacional.

Na quarta e última mesa da programação, no dia 27, o bate-papo fica a cargo de Ana Recalde, editora do Pagu Comics – selo nacional de quadrinhos feitos somente por mulheres, e Marcelo D’Salete, autor de CUMBE (176 páginas, 2014) – que versa sobre o período colonial e a resistência à escravidão no Brasil. Foi publicado também em Portugal e França. A discussão trazida nesse momento é a da Representatividade e as HQs: tratar de raça e gênero é uma questão que envolve toda a sociedade e é cada vez mais recorrente no universo dos quadrinhos. Os artistas contam de que forma isso está presente em seus trabalhos.

BANCA DE QUADRINISTAS

Outra programação paralela à Ocupação Glauco é a Banca de Quadrinistas, uma espécie de espaço de convivência e feira de quadrinhos, na qual o público pode interagir diretamente com os artistas presentes e conhecer novas HQs. A banca vai reunir 15 expositores em cada dia, sendo cinco convidados e 10 selecionados entre os inscritos. Podem participar artistas e profissionais da área, coletivos, selos ou instituições ligadas à produção de HQs – neste último caso, com revezamento de artistas durante o período.

As inscrições para a Banca de Quadrinistas já estão abertas, mesmo que a programação aconteça entre os dias 20 e 27 de julho. Elas podem ser feitas pelo site do Itaú Cultural, com carta de intenção, até 3 de julho. A lista dos selecionados será divulgada no dia 6 do mesmo mês.  A feira acontece entre 14h30 e 19h30, em todos os dias.

Entre os convidados estão confirmados alguns dos debatedores da série Caminhos da HQ, como Marcatti, Carol Rossetti, Klebs Junior e seu Instituto dos Quadrinhos, Daniel Esteves e a Zapata Edições, Marcelo D’Salete com a editora Veneta. Além deles, o quadrinista Gus Morais, que ministra oficina de Brincando de Montar Quadrinhos, no Fim de Semana em Família dos dias 9 e 10 de julho, também estará presente.

OFICINA NO FIM DE SEMANA EM FAMÍLIA

Das 14h às 15h30 dos dias 9 e 10, das o sábado e domingo da abertura da Ocupação Glauco, a programação do Fim de Semana em Família oferece a oficina  de Brincando de Montar Quadrinhos ministrada pelo quadrinista Gus Morais. Ele propõe uma experiência lúdica de criação de histórias em quadrinhos, focada no público infantil. Inspirada na dinâmica dos jogos de tabuleiro, nesta atividade os participantes utilizarão adesivos e peças modulares elaboradas pelo instrutor, contendo ilustrações de elementos tradicionais dos quadrinhos como cenários, personagens e diferentes tipos de balões, para criar suas próprias histórias.

Como em um jogo de Tangram, estes adesivos e módulos podem ser reordenados de infinitas formas, potencializando assim a criação de narrativas rápidas e divertidas sem a necessidade do conhecimento de técnicas de ilustração. A oficina é dividida em três etapas, cada uma com meia hora de duração e faz uso de um recurso lúdico (jogo) diferente. São elas: Imaginando com o Tangram, Experimentando com Módulos Narrativos e Criando com Quadrinhos Adesivos.

 charge-glauco

SERVIÇO:

Caminhos da HQ

Dia 6 (quarta-feira): Viver Quadrinhos, com Marcatti e Klebs Junior

Dia 13 (quarta-feira): HQs em rede, com Carol Rosetti e Fábio Coala

Dia 20 (quarta-feira): A realidade nas HQs, com Alexandre de Maio e Daniel Esteves

Dia 27 (quarta-feira): Representatividade e as HQs, com Ana Recalde e Marcelo D’Salete

Às 20h

Duração: 90 minutos

Sala Itaú Cultural

240 lugares

Classificação indicativa: 12 anos

Entrada gratuita

Distribuição de ingressos:

Duas horas de antecedência para o público preferencial;

Uma hora antes do espetáculo para o público não preferencial;

Interpretação em Libras

Banca de Quadrinistas

De 20 a 27 de julho (quarta-feira a quarta-feira)

De 14h30 às 19h30

Sala Multiuso

Entrada gratuita (sem distribuição de ingressos)

Inscrições para expositores podem ser realizadas até 3 de julho, pelo site do Itaú Cultural

Classificação indicativa: 12 anos

Oficina  de Brincando de Montar Quadrinhos

Dias 9 e 10 de julho (sábado e domingo)

Das 14h às 15h30

Piso 2S

Duração de cada oficina:  1h30

Entrada gratuita

Inscrições com 30 minutos de antecedência

Interpretação em Libras

Um comentário sobre “Debates sobre HQ’s, encontros com quadrinistas e oficina na Ocupação Glauco

  1. Pingback: Ocupação Glauco: Assista os depoimentos sobre o cartunista | Livre Opinião - Ideias em Debate

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s