Codinome: Liberdade, de Jefferson Pereira

Codinome: Liberdade

Defini tua alma como
A liberdade.
Senti a brisa do sorriso,
Que era largo e farto.
Fartura de sentimentos, todos
Imbrincados na tua quietude.
É como um texto, uma literatura.
Diria que fostes o rio que corre
Nas tantas imaginações da vida.
É que o rio é farto de alegria.
Escolhi-o como a liberdade
Escolhe-te, o rio que corre
É teu nome: liberdade.
E fiz do teu farto sorriso
Um gesto de breve ternura.
O tempo tem cura nas tuas
Solturas, na largueza das tuas
Angústias – na brisa da loucura.
★★★
Jefferson Pereira – Paulista. Esconde-se em Taboão da Serra, na Grande São Paulo. Jornalista independente. Faz poesia para suportar o caos urbano e a natureza humana. Aventura-se na música também.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s