Aline Bei: O Pause

te ouvi chamando de mistério o que Não aconteceu entre nós,
eu chamo de medo
e tomando coca cola na fila do cinema chamo também de Indisposição amorosa, nada a ver com sexo,
sexo é uma conta de matemática que deu certo e logo depois
esquecemos dela, justamente por isso.
falo mesmo é da inércia do não estar apaixonado, pra mim é como boiar no mar e o ouvido oco,
finalmente um sossego morando na cabeça,
tão bom quanto morrer
em paz.
tem também a memória da dor de amar, depois de uma Queda
ninguém anda de bicicleta com o peito livre igual.
tem também que eu preciso de tempo
pra escrever,
tempo dentro de mim,
com você eu não teria. seria tudo sobre nós nas semanas que passássemos juntos
e que mesmo que fossem anos
começariam sendo semanas.
teria também os dias que não estaríamos juntos mas a saudade de você lá
me consumindo,
te procuraria desconcentrada
no fundo
de uma xícara, ficando velha te procurando em
objetos,
obsessiva e com sono mas sem conseguir dormir: porque é assim que o amor Faz. isso
os filmes não contam.
escreveria eu te amo (amando a ideia do amor e não exatamente você)
no nublado do box do banheiro e o banho quente querendo me matar.
te encontrei na padaria: você fingiu não me ver.
passei pelas suas costas e fiz nascer um vento na sua nuca que você sentiu, eu sei que sim, as pessoas ao lado achando que somos desconhecidos.
é horrível morarmos no mesmo bairro, antes a grande vantagem de ficarmos juntos,
fazíamos tudo a pé.
você já deve ter encontrando um colo enquanto pensa de vez em quando que talvez teria sido bom entre nós. bom é pouco. bom faz esquecer os problemas por um tempo curto demais.
me arrependo toda vez que começo a querer me apaixonar, devia ter te avisado, que me fiz fria por
proteção,
meu avó foi o primeiro que me amou e meteu
a mão
em mim.
é lento
meu processo de começo de amor
então dá pra dizer:

-Pare.

pra mim mesma e me escutar com atenção.
já foi rápido me apaixonar, agora
prevejo os sinais e
paraliso as coisas em mim sem sofrer. estou ficando velha e a gente aprende isso ficando velho.
até por uma cidade quando estou viajando e começo a me apegar demais à ruas, sentindo frisos na pele parecidos com rugas mesmo antes de partir,
ou até em livros, durante a leitura,
pensando já no próximo capitulo,
o que acontecerá com marta? essa personagem maravilhosa
que lembra tanto minha mãe.
não deixo mais o amor entrar escancarado assim, livremente pousado nos meus órgãos, Chega.
tive amigas dilaceradas depois do fim de um amor, sentaram até em bancos de igreja
procurando uma reposta e o silêncio na gruta
com cheiro de incenso,
e jesus com prego
no pé e nas mãos, o sangue no meio das pernas porque o amor
Acaba,
ainda que ele se transforme em algo bonito também feito amizade.
ou um poema.
ou 2 estranhos como eu e você na padaria.
o amor acaba e eu não queria passar por isso de sentir o amor acabado, gastando dinheiro com
poetas que leem
seus cordéis pelas ruas, tentando me apaixonar por aquele argentino que vende brincos
só porque ele parece um pouco você e sempre me diz
que eu poderia ter a prata que eu quisesse da barraca dele.
pra quê passar por isso e morrer um tanto sendo que já morrerei de qualquer maneira num belo dia e finalmente?
não, menino,
chega. as músicas sobre a terra são tão mais bonitas que as músicas sobre seus olhos. prefiro guardar de você o seu antes,
sua expectativa de encontrar companhia em mim já que seu rosto é todo solidão de alguém que mudou de cidade recentemente
e da janela do seu flat a vista ainda é nova de alguns ângulos, você ainda
se surpreende.

alinebei

Confira os textos anteriores da escritora Aline Bei

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s