11ª Mostra Mundo Árabe de Cinema será realizada de 10 a 28 de agosto

13906844_1276292952382478_1374659657621208457_n

O Instituto da Cultura Árabe, em parceria com o Ministério da Cultura, o Centro Cultural Banco do Brasil e o Serviço Social do Comércio – SESC, patrocínio do Banco do Brasil e copatrocínio da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, promoverá, de 10 a 28 de agosto, a 11ª Mostra Mundo Árabe de Cinema. A abertura será realizada no dia 10, no CineSesc, com a exibição do filme “Homens de Argila” e presença do diretor marroquino Mourad Boucif, e a programação ficará em cartaz de 11 a 28 deste mês no Centro Cultural Banco do Brasil – CCBB-SP, CineSesc, Centro Cultural São Paulo e Biblioteca Mário de Andrade. A curadoria é de Geraldo Adriano Godoy de Campos.

Como tem sido desde sua primeira edição, o diálogo, a hospitalidade e a abertura ao “outro” continuam presentes nas produções que integram a Mostra, convidando o público a refletir sobre a atualidade de nosso mundo, que vivencia conflitos, deslocamentos humanos e xenofobia, e tornando o “conhecer o outro” fator essencial de nossos tempos.

Geraldo Adriano Godoy de Campos explica o eixo de curadoria em 2016. “Contempla o tema do tempo e da busca pelas imagens, em uma relação na qual o passado irrompe em instantes de forma intempestiva. Esse olhar dos cineastas é essencial para a criatividade política de que necessitamos atualmente”, ressalta.

Esta edição traz cinco sessões temáticas – Panorama Mundo Árabe; Cinema Palestino; Diálogos Árabe-Latinos; Imagem, Tempo e História e Pequenos Olhares – e encontros com convidados brasileiros e árabes (veja programação abaixo). “Um dos objetivos da Mostra é buscar espaços de diálogo entre as obras de diretores árabes e brasileiros”, ressalta o curador.

A abertura da mostra ocorrerá no Cinesesc-SP, no dia 10, a partir das 20h. A obra que inicia o evento é “Homens de Argila”, filme do Marrocos feito em coprodução com Bélgica e França (trailer:https://www.youtube.com/watch?v=Me5H4s_i_Ug) . “Durante a Segunda Guerra Mundial, os franceses foram às suas colônias para recrutar pessoas para lutar contra o nazismo. Cerca de 950 mil pessoas da África do Norte foram lutar contra a Alemanha e essa é a história dessas pessoas”, explica Campos sobre a produção de 2015. O diretor do filme, o marroquino Mourad Boucif, irá participar da sessão.

A Mostra

Idealizada por Soraya Smaili e com curadoria de Geraldo Adriano Godoy de Campos, a Mostra vem se destacando ano a ano por apresentar uma programação de filmes contemporâneos com importante repercussão em festivais internacionais, que abordam a diversidade do mundo árabe em temas políticos, sociais e culturais dos países árabes, bem como sua relação com o Brasil e América Latina.

Consolidada no calendário cultural de São Paulo e referência como evento cinematográfico, a Mostra Mundo Árabe de Cinema consagrou-se como evento internacional, aproximando o público da produção cinematográfica do mundo árabe e de outros países que abordam a temática árabe, como produções europeias e latinas.

A Mostra foi revelando-se ano a ano, desde sua criação, como uma ação que ganha potência nos encontros, nas pontes e nos diálogos, como afirma o curador Geraldo Adriano Godoy de Campos. Em 2016, a insistência no diálogo e na hospitalidade e a abertura ao Outro são princípios a serem preservados. O ICArabe, como instituição da sociedade civil brasileira, busca pesquisar, saborear, elaborar e transmitir traços culturais guiados por princípios humanistas, em um mundo com desafios cada vez maiores, seja nos países árabes, seja no Brasil.

Após uma década de existência, frisa Godoy de Campos, a Mostra Mundo Árabe de Cinema segue formulando perguntas para as quais todas as respostas simples e precipitadas são pouco úteis. “A escolha dos filmes, assim como a organização das atividades paralelas, orienta-se pela convicção de que esses cineastas e suas sociedades têm muito a nos dizer. Com sua arte, suas imagens e narrativas, desfazem os olhares calcificados por representações midiáticas estereotipadas que nos apresentam cotidianamente o diferente como ameaçador. Instiga-nos, portanto, pensar essa programação como um mosaico de obras e ideias capazes de abrir caminhos possíveis para o encontro do Brasil com o mundo árabe, tanto naquilo que nos aproxima, como nas trocas sobre aquilo que nos distancia.”

O presidente do ICArabe, José Farhat, ressalta o crescente êxito da iniciativa ao longo de uma década. “A Mostra tem sido um sucesso ano após ano. Não houve um ano em que ela não fosse melhor que a anterior. São filmes de primeiríssima qualidade, que fizeram sucesso em certames internacionais.”

Para acompanhar as novidades da Mostra, acesse:
Página do Facebook: https://www.facebook.com/Mostra-Mundo-Árabe-de-Cinema-329005973932264/?fref=ts
Programação de filmes, espaços e horários de exibição:
http://www.mundoarabe2016.icarabe.org/
www.icarabe.org

Sessões temáticas:
Panorama Mundo Árabe
Contempla uma seleção da produção cinematográfica recente dos países árabes, com filmes que são, em sua maioria, inéditos no Brasil. Movimentos humanos e olhares atentos a episódios históricos relevantes para a região são algumas das temáticas que percorrem o conjunto dos filmes. Destaque para os filmes “Os Homens de Argila”, “Ondas 98”, “Orquestra cega”, “Os poços”, “Zinzana” e a animação “O Profeta”, baseada no livro do escritor libanês Khalil Gibran.

Cinema Palestino
A sessão “Cinema Palestino”, uma das janelas de exibição permanentes da Mostra, persiste no objetivo de mesclar filmes clássicos e contemporâneos de cineastas que seguem espalhados pelo mundo, ou que enfrentam a ocupação como realidade cotidiana, fazendo do próprio cinema uma forma muito particular de territorialidade. Em 2016, a Mostra exibe “Memória Fértil”, de Michel Khleifi, um dos filmes mais significativos da história do cinema palestino, “Amores, Roubos e Outras Complicações” e o curta “Ave Maria”, indicado ao Oscar 2016.

Ave Maria: trailer https://www.youtube.com/watch?v=4zkWieC8Z8w
Entrevista com o diretor Basil Khalil: http://www.icarabe.org/noticias/11a-mostra-mundo-arabe-de-cinema-leia-a-entrevista-com-basil

Diálogos Árabe-Latinos
Sessão emblemática da concepção que sustenta a própria Mostra Mundo Árabe, na medida em que oferece anualmente o cinema como espaço e potência de encontros, de laços e de cruzamentos entre a América Latina e os países árabes. O filme chileno “Hamule”, de Mauricio Misle, insere-se no recorte geral da curadoria de 2016, uma obra que faz coincidir a busca pelas imagens com o movimento constante de retorno e reinvenção da própria temporalidade.

Imagem, Tempo e Memória
Mais do que nunca, precisamos ver e construir algum sentido naquilo que vemos. Esta sessão agrupa uma seleção de filmes que abordam a busca pelas imagens como encontro com outras temporalidades. Os cineastas escavam as possibilidades de representação, como ato de produção de sentido, perante a fragmentação da vida contemporânea. Destaque para a trilogia de ficção científica de Larissa Sansour: “Êxodo no Espaço”, “Estado-Nação” e “No futuro eles se alimentaram da mais sofisticada porcelana”.

Pequenos Olhares
Os três curtas-metragens exibidos nessa sessão nos presenteiam com sonhos e inquietações daqueles que tentam rabiscar futuros possíveis em meio a escombros e esperanças. São três curtas de animação, dois iraquianos e um palestino, produzidos a partir dos desenhos de crianças.
“Crianças da Guerra”, “Desenhando por Sonhos Melhores” e “O Superman Iraquiano”.

SERVIÇO

CineSesc – Rua Augusta, 2075, São Paulo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s