LA GARÇONIÈRE – 5ª edição

No dia 27 de agosto será realizada mais uma edição da La Garçoniere, no Estúdio Lâmina, a partir das 20H00, sob curadoria de Luciano CortaRuas e Vanderley Mendonça.

13912435_1200797209978857_4524357333408666179_n

1917

Rua Líbero Badaró, 67, no 3º andar, sala 2: endereço onde Oswald de Andrade (1890-1954) manteve, entre 1917 e 1918, no Centro de São Paulo sua Garçonière (quase 100 anos depois de alterações, o número atual é 452). Com algumas telas de Di Cavalcanti e Anita Malfatti nas paredes, o espaço era ponto de encontro entre seus amigos e sua amante, Maria de Lourdes Pontes, uma estudante de 16 anos, do Colégio Caetano de Campos, chamada por Oswald de Miss Cyclone. O fato de ir sozinha à Garçonière regularmente, sendo uma adolescente, fascinava os que mais frequentavam aquela Garçonière: Mário de Andrade, Guilherme de Almeida, Ribeiro Couto, Di Cavalcanti, Monteiro Lobato, Menotti del Picchia, entre outros. No “covil da rua Líbero” (como a Garçonière era chamada pelo autor de Memórias Sentimentais de João Miramar), entre muita discussão, brigas, amores e manuscritos pelo chão, ao som de uma Grafonola Columbia e poucos discos, aconteceu o grande ensaio do que seria a Semana de Arte Moderna de 1922.

Parte do que fizeram foi contado num livro de registro de impressões: O Perfeito Cozinheiro das Almas deste Mundo, batizado por Pedro Rodrigues de Almeida, um dos habitués. Relatório de surrealidades, o livro-caixa-de-surpresas (apelidado anos depois por Haroldo de Campos), totalizou 203 páginas preenchidas com ditos e desditos, trocadilhos, piadas, desenhos, recortes, caricaturas, poemas, quase-poemas e uma “troca de correspondências” entre os frequentadores da Garçonière, que usavam apelidos: Oswald era Garoa e Miramar; Deisi era Miss Cyclone, Miss Tufão, Miss Terremoto, Tufãozinho ou Gracia Lohe; Pedro Rodrigues de Almeida era João de Barros); Monteiro Lobato era Frei Lupus Ancilóstomo, Conselheiro Acácio, Chico das Moças, Lobe, Rowita, Constante Leitor, Cuscus, Tutu Lambari e Zé Catarro; Menotti del Picchia era Paulo; o poeta Guilherme de Almeida era Guy e o desenhista Ignácio da Costa Ferreira era Ferrignac, Ventania e Jeroly.

Os frequentadores do retiro oswaldiano anteciparam a era modernista, inaugurado naquele livro-objeto, “o cardápio perfeito para o banquete da vida”, como escreveu Guilherme de Almeida. A Garçonière não existiria sem o livro de registro, assim como não existiria sem Oswald. Nas folhas do livro-caixa-objeto, Oswald compôs o primeiro esboço do seu romance “Memórias Sentimentais de João Miramar”, publicado em 1924, a mais experimental obra da literatura modernista. Como todos os transformadores, Oswald de Andrade fundiu vivência e obra na experiência literária: arte & fraternidade. A grande obra é vida.

2016

Avenida São João, 108, quarto andar, esquina com a Rua Líbero Badaró, num prédio muito parecido ao da Garçonière oswaldiana, o artista Plástico e Curador Luciano Corta-Ruas e o Editor e Poeta Vanderley Mendonça inauguraram uma Garçonière (exatos cem anos depois da inauguração do Cabaret Voltaire, em Zurique) e apenas a cem metros de onde funcionou a de Oswald de Andrade, entre 1917 e 1918.

A Garçonière do século XXI, que tem um leve tempero Dadá, abriga amigos, poetas, escritores, artistas e convidados numa das salas do Estúdio Lâmina (galeria e ateliê que reúne artistas residentes de várias partes do Brasil e estrangeiros). Com o mesmo espírito modernista de paradoxo, fraternidade, arte & vida, os organizadores abrem as portas ao público uma vez por mês.

PROGRAMAÇÃO

POESIA 
(para Roberto Piva)

Claudio Willer
Natália Barros
Ana Penteado
Tiago Fabris Rendelli
Roberto Bicelli
Ademir Assunção
Chiu Yi Chih
Gabriel Kolyniak
Vanderley Mendonça
Fabio Weintraub
Marcelo Beso
Wilson Alves-Bezerra

ARTE & FOTOGRAFIA

Coletivo A-Seita
Camila Oliveira

MÚSICA

Jazz Quartet
Rodrigo Gobbet convida
João Nepomuceno (guitarra),
Edu Varallo (bateria)
Vinicius Chagas (saxofone)

Wallacy Willians
Discotecagem: Mauro Farina (Free Beats)

LIVROS

EDITORA URUTAU
Nojo, de (Marcelo) Beso / ilustrações: Matias Picón
O Pau do Brasil, de Wilson Alves-Bezerra

HUSSARDOS CLUBE LITERÁRIO
Na enseada dos teus olhos – 3 poetas Esgrimistas
Plaquette com poemas de Simone Andrade Neves, Vanderley Mendonça e William Zeytounlian

SERVIÇO

LA GARÇONIÈRE
Estúdio Lâmina
Avenida São João, 108 – São Paulo, SP (Esq. Rua Líbero Badaró)
Entrada: R$ 15,00
Bar no local

Mais informações: https://www.facebook.com/events/1766091223630336/

Um comentário sobre “LA GARÇONIÈRE – 5ª edição

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s