POEMA LIVRE: ‘baião de dois’, de Juliana Bernardo

baião de dois

minha mãe casou
esmalte misturinha
vestido branco de segunda mão
cabeça redonda cintura fina
nas palavras dela
meu pai atrasado
fusca preto
terno de boêmio feito no alfaiate
na festa
um quintal de chuva
um arrepio de papel
sem lembrancinha sem piano
meu pai e minha mãe
arroz e feijão
abraçados no prato

juliana-bernardo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s