Marcelo Gleiser vem ao Brasil para lançar novo livro

unnamedMarcelo Gleiser era um menino de 11 anos que morava em frente à praia no Rio de Janeiro, gostava de pescar e, místico, sonhava em voltar a encontrar a mãe, a quem perdera alguns anos antes. Ele foi crescendo e questões como o surgimento do universo, a origem da matéria que formava as estrelas, os planetas e as pessoas e a possível existência de vida fora da Terra dividiam sua atenção num cotidiano que incluía também, além do estudo, as aulas de vôlei e os acordes em seu violão. Marcelo virou físico, fez Mestrado e Doutorado, escreveu vários livros, ganhou prêmios, foi morar nos Estados Unidos e passou a dar aulas numa das universidades mais prestigiosas do país, a Darmouth College. Ao descobrir a pesca fly e passar a praticá-la, em viagens pelo mundo, encontrou mais uma forma de conexão com a natureza, a quem nunca perdeu de vista, e de reencontrar aquele menino das areias do Rio. Dessa experiência, ele escreveu “A simples beleza do inesperado”, um ensaio em que reúne memórias de infância, reflexões sobre a ciência, a fé e os limites do conhecimento.

“A pesca é um símbolo, no livro e na minha vida. Ela representa a solidão do homem perante uma natureza incerta, perante uma vida incerta, da qual pouco sabemos ou podemos prever. O peixe vive num mundo paralelo ao nosso, invisível, e não sabemos se iremos ou não fisgá-lo. Ele representa a vida que podemos ou não ter, emergindo duma dimensão oculta, imprevisível. Essa é a nossa dúvida existencial, o estar vivo sem saber por quanto tempo, o resgatar o passado como um tesouro do que passou, buscando por um futuro ainda mais precioso”, diz Gleiser, em entrevista ao blog da editora.

Logo no início do livro, ele escreve que “vemos pouco à nossa volta” e devemos, ao contrário, manter os olhos em alerta, a curiosidade viva e o coração e a mente abertos para percebermos a “simples beleza do inesperado”. Mesmo sabendo da impossibilidade de apreender o todo, estar atentos às coisas mais simples da vida parece ser uma das mensagens do livro. “A ‘simples beleza do inesperado’ é o que ocorre na vida da gente sem grandes planos: as surpresas, encontros, paixões que não temos como prever, mas que, de certa forma, dão rumo à nossa existência. Tanto da mágica da existência é perdida na rotina do dia-a-dia, nos conflitos desnecessários, no estresse destrutivo dos desencontros. A missão do livro é fazer com que as pessoas resgatem sua essência, dando um pouco de tempo ao que realmente importa, o viver com intensidade, o se relacionar com os outros e com o mundo natural de forma generosa e apaixonada”, discorre.

O autor diz ter escolhido a física para “passar a vida engajado com o mistério” e, nesta obra, ele recupera um pouco do livro anterior, “A ilha do conhecimento”, para reforçar a ideia de que a ciência, a principal ferramenta para o homem encontrar respostas às indagações sobre o universo, tem limites estritos. Ele confessa que assumir essa incompletude do saber, que limita a razão e dá força aos mistérios da fé, não é uma postura comum entre os cientistas. “Quando comecei minha carreira, sabia que era apenas um lado da moeda, que me faltaria algo. Com o passar dos anos, fui entendendo e explorando os limites do saber como uma espécie de portal para o mistério, para o que não sabemos e, em certos casos, nem podemos saber. Acho que isso revela meu lado espiritual, o menino místico que era durante a adolescência. Ao escrever, ficção ou não-ficção, abro a porta para um outro lado da minha personalidade que complementa o lado científico e racional. Feito a moeda, preciso dos dois para existir.”

O físico vem ao Brasil na última semana de outubro para dar palestras, fazer lançamentos e divulgar a obra, que chega às livrarias este mês, pela editora Record. Veja abaixo a agenda do autor:

24 de outubro (segunda-feira) – Debate e lançamento no auditório do jornal Folha de São Paulo, a partir das 19h.

25 de outubro (terça-feira) – Lançamento com sessão de autógrafos na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, a partir das 19h

26 de outubro (quarta-feira) – Lançamento com sessão de autógrafos na Travessa do Leblon, a partir das 19h

27 de outubro (quinta-feira) – Palestra no seminário People Connections, da Câmara de Comércio Americana do Rio de Janeiro

27 de outubro (quinta-feira) – Participação no encontro Sempre um papo, em Belo Horizonte, a partir das 19h30

28 de outubro (sexta-feira) – Participação no encontro Sempre um papo, em Araxá, a partir das 19h30

29 de outubro (sábado) – Palestra na cúpula Carl Sagan do Planetário do Rio o Planetário do Rio, a partir das 15h, no IV Encontro de Ciências do Universo.

TRECHO DO LIVRO

“As coisas que mais gosto de fazer — física, pesca fly, tocar violão, escrever, correr trilhas — são atividades solitárias. Não que seja um típico cientista esquizoide, que evita o contato social. Minha busca pela solidão não serve a esse propósito. Não é uma busca pela solidão em si, ou uma tentativa de me isolar de tudo e todos. Busco a Natureza, a sua companhia. Através da física, tento decifrar seus segredos; através da pesca fly e das minhas corridas em trilhas, tento me engajar com seus ritmos; através da música, tento recriar suas harmonias; e, através dos meus textos, tento recriar minhas experiências, registrando-as de forma mais permanente.

Essa devoção multifacetada, essa busca por uma conexão com algo que é muito mais vasto do que posso apreender, só pode ser considerada uma expressão de amor. Einstein a chamava de experiência do mistério, “a emoção cósmica religiosa”, que, para ele, era a mais profunda que podemos ter, algo de inefável que sentimos ao contemplar a vastidão da Criação. (Por Criação com “C” maiúsculo represento a totalidade da Natureza.) A meu ver, esta é a forma mais pura de espiritualidade, a profunda emoção que sentimos ao vivenciar Nossa conexão com o resto do Universo. Da Natureza viemos, na Natureza existimos, para a Natureza retornamos. Talvez esse possa ser meu epitáfio.”

SOBRE O AUTOR

Marcelo Gleiser é cientista de renome mundial e professor titular de filosofia natural e de física e astronomia na Dartmouth College. É autor, entre outros livros, de A ilha do conhecimento, Criação imperfeita, A dança do universo e O fim da Terra e do Céu, os dois últimos vencedores do Prêmio Jabuti. Foi articulista da Folha de S. Paulo e participa frequentemente de documentários para a TV no Brasil e no exterior.

Mais informações em seu site: http://marcelogleiser.com/

★★★

A SIMPLES BELEZA DO INESPERADO
Marcelo Gleiser
Páginas: 196
Preço: R$ 39,90
Editora: Record

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s