Lançamento nacional de ‘Sangue Negro’ da escritora Noémia de Sousa é destaque em festa literária na Biblioteca dos Barris

II Pré-Balada Literária da Bahia  – 11 e 12 de novembro

14938208_1223548097715256_4540313773832568477_n

Evento já consagrado no calendário cultural nacional, a Balada Literária de São Paulo ganha pelo segundo ano consecutivo um esquente baiano: é a Pré-Balada da Bahia, que acontece nos dias 11 e 12 de novembro, no Quadrilátero da Biblioteca Pública dos Barris. Com curadoria dos escritores Marcelino Freire e Nelson Maca, o evento homenageia a poeta moçambicana Noémia de Sousa (1926-2002), e lança em primeira mão a aguardada edição brasileira de Sangue Negro (Kapulana Editora), seu único livro publicado em vida. E também recebe o escritor Aldino Muianga, conterrâneo de Noémia, para bate-papo literário.

 Considerada uma das vozes mais importantes da literatura africana de Língua Portuguesa, Noémia de Sousa, que chegou a morar no Brasil, é conhecida como a mãe dos poetas moçambicanos. Destacou-se na luta pelo fim do colonialismo em seu país e na construção do movimento da Negritude. Também jornalista, publicava seus versos em jornais, revistas e folhetos políticos. Sangue Negro (Kapulana Editora) reúne 46 poemas escritos entre 1948 e 1951 e foi publicado, originalmente, em 2001, pela Associação dos Escritores Moçambicanos. No Brasil, seus poemas só tinham sido publicados em poucas antologias.

Por isso a importância do lançamento de Sangue Negro pela editora paulista Kapulana, especializada em literatura africana, que inicia por Salvador uma série de lançamentos. O livro conta com ilustrações da artista Mariana Fujisawa, prefácio da brasileira Carmen Tindó e estudos dos moçambicanos Fátima Mendonça, Francisco Noa e Nelson Saúte. Editora responsável pela primeira publicação brasileira, Rosana Morais Weg destaca que o conjunto oferece uma seleção de poemas, ao mesmo tempo “doces e fortes”. Ela afirma que um dos desafios da edição brasileira foi a formalização ortográfica. “A Kapulana optou por manter a grafia original dos textos, sem atualizações, de forma a que as particularidades da poesia de Noémia não se perdessem”.

Grande divulgador da poesia de Noémia de Sousa no Brasil, o escritor Marcelino Freire destaca a importância da iniciativa. “Haja emoção. Ver o livro da Noémia finalmente lançado no Brasil. E ver este lançamento nacional acontecer na Bahia. Terra que a poeta moçambicana amou. Onde teve amigos como Jorge Amado. Onde ouviu samba. Encheu de música ainda mais a sua poderosa poesia. Grande acontecimento literário do ano este, que devemos celebrar”, diz, emocionado.

Programação – O lançamento de Sangue Negro é uma das atividades do segundo dia da pré-Balada, que conta com três mesas de bate-papo e sessão de performances poéticas. A programação começa às 10h, com a mesa Palavra e Corpo em Movimento, mediada pela professora Milena Brito (UFBA). Ela conversa com os escritores Alex Simões, Jocélia Fonseca e Mc Aspri, do grupo dev rap RBF, autores que levam a experiência do texto para suas apresentações orais.

Na segunda mesa, às 14h, o escritor e criador da Balada Literária Marcelino Freire bate-papo com autores da nova geração da literatura brasileira. Estarão com Marcelino os autores locais Ana Bárbara Neves, Lívia Natália e Saulo Dourado e o paulista Jorge Ialanji Filholini, criador do site Livre Opinião. Após a mesa, Jorge Ialanji Filholini lança seu primeiro livro de contos, Somos Mais Limpos Pela manhã (Editora Demônio Negro).  Na última mesa do dia, Nelson Maca conversa como o escritor moçambicano Aldino Muianga, 66 anos, autor de vários livros de contos, novelas e romances. No Brasil, a editora Kapulana já publicou seu livro O Domador de Burros e Outros Contos. Após a conversa, o autor lança A noiva de Kebera, também de contos.

Nascido em Moçambique, Aldino Muianga participou de antologias de contos em Portugal, Brasil, Suíça e França. Coordenou a página literária da revista SAPES, no Zimbábue, em 1991 e 1992. É membro da Associação dos Escritores Moçambicanos. Atualmente, reside na África do Sul, onde exerce a profissão de Médico-Cirurgião e docente na Faculdade de Medicina da Universidade de Pretória. Ganhou os Prêmios José Craveirinha, em 2009, de Literatura da Vinci, em 2003, e TDM, em 2002.

Após as mesas, será o momento especial de lançamento de Sangue Negro, de Noémia de Sousa, com a leitura de poemas da autora pelas jovens Lúcia Santos e Luíza Santos, que integram o Sarau Bem Black e a equipe do Slam Lonan. A sessão contará com a presença da editora Rosana Morais Weg, responsável pela Editora Kapulana. Completando a homenagem, o grafiteiro Zezé Olukemi e o artista plástico Pablo Dinada pintam a imagem e versos de Noémia de Sousa.

Noite de performances.

Encerrando a II Pré-Balada Literária da Bahia, acontecerá um encontro de performances protagonizado por participantes do evento. Mediados pelo poeta Nelson Maca, sobem ao tablado os artista da palavra Alex Simões, Jocélia Fonseca, Marcelino Freire e Mc Aspri (RBF). O momento contará também com as poetas Lúcia Santos & Luiza Santos, que voltam a ler Noémia de Sousa.

Sarau Bem Black EspecialHomenagem à Independência de Angola

Realizado excepcionalmente numa sexta-feira, o Sarau Bem Black de novembro presta uma homenagem à Independência de Angola, que se comemora no dia 11 de novembro. O recital tem inicio às 17h com a exibição do filme Papa Cèsaire, da cineasta guadalupense Sarah Maldoror, que foi casada com o poeta angolano Mario Pinto de Andrade e é considerada uma das grandes expressões do cinema produzido no continente africano. O documentário narra sobre a vida e obra do escritor e militante martiniquense Aimè Cèsaire, criador do conceito Negritude.

 Depois da exibição, a programação poética e musical da noite segue com  o lançamento do livro Por Onde Começar – Antologia de Verso e Prosa (Cogito), do poeta baiano Jairo Pinto. Nelson Maca comanda a seqüência poética que destacará autores angolanos como Agostinho Neto e Mário Pinto de Andrade, e será aberta a todos na platéia. Permeando o sarau como um todo, a discotecagem ficará por conta do Dj André Lopes, que traz expoentes da música angolana.  O sarau será encerrado com  pocket- show da artista soteropolitana Alexandra Pessoa.

Local: Quadrilátero da Biblioteca Pública do Estado – Barris

Entrada Gratuita

Programação

Sexta-feira, 11/11

Filme – Papa Cèsaire, de Sarah Maldoror (Guadalupe-Angola)

19h – Sarau Bem Black  Especial – Homenagem à Independência de Angola
Lançamento do livro  Por Onde Começar, de Jairo Pinto
Pocket Show de Alexandra Pessoa
Intervenção visual: Pablo Dinada e Zezé Olukemi

Sábado, 12/12
10h – Mesa 1: Palavra e Corpo em Movimento
Milena Brito conversa com Alex Simões, Jocélia Fonseca e MC Aspri RBF (confirmar)

14h – Mesa 2: As Novas Letras

Marcelino Freire conversa com Saulo Dourado, Jorge Ialanji Filholini (SP), Ana Bárbara e Lívia Natália

16 h – Mesa 3: Bate-papo com Aldino Muianga (Moçambique)
Nelson Maca conversa com o escritor Aldino Muianga

Lançamento do livro “A noiva de Kebera”

17h – Lançamentos

Sangue Negro – Noémia de Sousa
Presença da editora Rosana Morais Weg (Kapulana)

Leitura de poemas de Noémia de Souza por Lúcia Santos & Luíza Santos
Intervenção visual: Pablo Dinada e Zezé Olukemi

19h – Performances – Nelson Maca convida
Lúcia e Luíza, Marcelino Freire, Jocélia Fonseca e Alex Simões

 Balada 2016

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s