Poema Livre: o sol não espera por ninguém, por Ubirathan Do Brasil

o sol não espera por ninguém 

uma porrada de coisa acontecendo
e a sardenta chega me oferecendo uma flor tóxica
com o gato no colo e uma risada franca no meio da cara
[andorinhas se auto-detonam numa aurora boreal]

nada mais me satisfaz
burramente relincho

ela dançava daft punk
e estuprava meus olhos
míopes e estratosfericamente
vermelhos
[um quadro azul podre despendura da parede e se arrebenta no chão]

vai, volta pra outro lugar
[o semáforo da avenida principal é consumido pelo fogo]
te encontrar é pior que hepatite
pior que chifrada de rinoceronte
te ver é apineia antes do mergulho
é serralheiro errando o corte
de madeira nobre

todo amor é defeito de nascença

a cuzona busca o caminho do meu quarto
começa a cheirar meu lençol
xingar entre os edredons
começa rasgar meus travesseiros
chutar escrivaninha
tv de tubo
álbuns antigos
vitrola
livros
rasga correspondências
boletos atrasados
vai pra cozinha
panela
pratos y xícaras
taças, copos americanos

nada é mais brasileiro
que um copo americano

ela libera o gás do fogão
[leonard cohen na trilha da vida]
abre gaveta
fósforos fósforos
é preciso
preciso de fogo, fogo, fogo
ou da sua pica

pixa em mim
grafita meu cu
me dá, me dá
sua piroca em fogo

fecha a gaveta
abre outra gaveta

a faca
essa é a faca
da nossa jugular
esfaqueia
esfaqueia esse filme
chama seus amigos pra novena,
rezadeira, choradeira & o escambau
chama o maracatu, maculelê
tira a zica
para de tirar chinfra
esfaqueia esse filme
faça a janta
cuida do gato
eu arrumo o quarto
e troco a lampada do abajur
casa comigo
e queima esse roteiro
queima, esfaqueia, reza, amor

amanhã nasce uma cerejeira no quintal
Exu vai abençoar nossas intrigas, rastros, segredos e mistérios
um cacique de pele colorida protegerá os animais dentro da gente
& os deuses esquecidos serão nossas paredes
a saudade é um cubo de gelo no sol

me chama de bianca
camila
maria
marta, marília
marcia ou cida
queima esse roteiro

me chama:
de samba
rock n roll
me come em blues
te fodo em jazz
me chupa em funk sem y

esfaqueia esse filme
me chama:
carol
mariana, me chama de cravo vermelho
joana, camila, janaina ou luzia

só me chama
pois o sol tá baixo demais
e a lua triste esfria seu coração de turista maldito

ubirathan-do-brasil

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s