3 poemas de Débora Gil Pantaleão

escena decima

te
asseguro
también
yo
la
conocí
en
otros
tiempos
dentro
de
gaiolas
gigantes
comendo
pássaros
minúsculos
cuspindo
pelos
cómo
se
permite
interrogarme

sem alça

manejar
os
dentes
como
quem
trafega
vagas
as
mãos
os
pés
os
dentes
engomar
a
roupa
inconsciente
os
dentes
rangendo
a
mala

quando me dói em setembro amarelo

aqui
é
aqui
bem
no
limite
da
pele
espaço
entre
eu
e
o
mundo
entre
eu
e
você
corpo
preso
ao
espaço
e
ao
tempo
quatro
andares
não
não
me
deixem
subir

debora-gil

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s