‘União e Olho Vivo’ revisita 50 anos de teatro popular

Um dos grupos mais importantes do teatro mundial, o Teatro Popular União e Olho Vivo, abre as portas de sua sede localizada no Bairro Bom Retiro, para expor sua história e celebrar cinquenta anos de resistência. Um convite à população para uma imersão nesta incrível trajetória com o teatro popular, que perpassa períodos importantes da história do Brasil!

 unnamed-1

TUOV – TEATRO POPULAR UNIÃO E OLHO VIVO CELEBRA 50 ANOS

 

Meio século de teatro, aventuras e muita resistência é um pouco do que poderá ser visto a partir do próximo dia 04 de fevereiro na sede do TUOV (Teatro Popular União e Olho Vivo) no Bom Retiro, quando será aberta a exposição TUOV 50 ANOS – EM BUSCA DE UM TEATRO POPULAR.

Como escreveu certa vez Augusto Boal, o diretor e dramaturgo do TUOV, César Vieira, fez o que muitos tentaram e poucos conseguiram: conduziu por décadas um trabalho de pesquisa teatral autêntico, à margem da crítica e dos holofotes das grandes produções e orçamentos, voltando os esforços para levar o teatro para aqueles que dificilmente tinham acesso a ele: os bairros populares e afastados da grande São Paulo.

Essa história nem sempre devidamente lembrada, agora poderá ser conhecida pelo grande público. Com o apoio do Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, o TUOV montou uma grande retrospectiva de suas andanças em busca do teatro popular. Na abrangente mostra, resgatou-se um material até então inédito de fotos, vídeos e depoimentos (de Antonio Cândido, Iná Camargo, Zé Renato, entre outros) que atestam a dura luta por uma arte engajada, levando o teatro para salões paroquiais, associações de bairro, misturando sem cerimônia o teatro com reivindicações por pavimentação de ruas, creches e moradia digna.

Na exposição, revela-se outra faceta do TUOV. Sua prodigiosa carreira internacional que vai desde os esforços pela interligação latino-americana de grupos teatrais até a repercussão das montagens e dos roteiros em países como França, Itália, Polônia e Egito.

Em paralelo ao TUOV, Idibal Pivetta (nome verdadeiro de César Vieira), teve uma intensa militância como advogado no período da ditadura, engajando-se pela liberdade de presos políticos e pela memória dos desaparecidos do regime militar. Esta luta também é contada na exposição, pois confunde-se com a própria existência do TUOV. Como, por exemplo, quando Pivetta enfrenta um ministro da ditadura militar para conseguir a liberação de um texto seu. Também quando intermediava pela OAB uma greve de costureiras, propondo que o TUOV fizesse uma apresentação para arrecadar fundos para a greve.

A curadoria da exposição ficou a cargo de Alexandre Benoit, arquiteto que acompanha o grupo há mais de dez anos e que foi responsável pelas publicações que reuniam o vasto acervo. Como ele faz questão de dizer, “foi um trabalho coletivo, como tudo no TUOV sempre foi, coube a mim apenas cuidar para que nada de essencial ficasse de fora”. Além de imagens e vídeos, serão expostos figurinos e cenários, adereços, prêmios e objetos reunidos nestes 50 anos. “É um pouquinho da história cultural brasileira que estará sendo apresentada aqui no Bom Retiro”, diz Benoit.

“Entendemos que nossa maior justificativa para realização do projeto é seguir na trajetória de resistência e luta através de um teatro inteiramente popular, pensado e destinado a todo instante ao público e à cidade de São Paulo, principalmente seus bairros populares e periféricos”, conclui César Vieira.

Na inauguração da exposição, serão apresentadas músicas do repertório do grupo e do Samba do Bule, grupo mais jovem que nasceu do TUOV e com quem dividem o espaço.  E, como não poderia faltar, na mais clássica tradição do teatro popular, será servido um lanche, como aqueles que acompanharam o TUOV em seu meio século de andanças pela periferia de São Paulo.

 

SERVIÇO: “TUOV 50 ANOS – EM BUSCA DE UM TEATRO POPULAR”

Ocupando todos os espaços da sede do TUOV no Bom Retiro (da praça Augusto Boal, até os camarins e a cozinha comunitária, passando pelo galpão de espetáculos) a exposição reúne mais de 300 imagens, vídeos, áudios, figurinos e adereços cênicos, para contar um pouco dessa história, lançando luz sobre as aventuras, alegrias e a resistência do TUOV. Além do que foi o TUOV até aqui, a proposta busca também apontar para o futuro, pois a luta por uma arte popular é tão atual hoje como nos anos 70, e o TUOV (agora com o Samba do Bule e o Sítio da Cultura Popular) demonstra a mesma disposição para seguir por mais 50 anos sulcando os mares da fantasia, desfraldando as bandeiras da utopia!

unnamed

Abertura: 04/02/2017 – 15h às 21h

Temporada: 04/02/2017 a 02/07/2017- quarta a sábado – 14h às 18h (excepcionalmente o domingo 02/07/17 de encerramento)

Classificação: Livre

Informações: teatropopularuniaoeolhovivo@gmail.com

Local: Teatro Popular União e Olho Vivo, Rua Newton Prado, 766, Bom Retiro – São Paulo- SP

Telefone: 011 3331-1001

Mais informações: uniaoeolhovivo.com.br / http://www.facebook.com/tuovivo

 

Contato Assessoria de Imprensa – Luciana Gandelini – lucigandelini@gmail.com – 99568-8773

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s