Bárbara Rosa: “Vocare” ou O chamado

Portrait of Nusch Éluard, de Pablo Picasso, 1938.

Portrait of Nusch Éluard, de Pablo Picasso, 1938.

Eu queria ter a vocação e coragem para ser freira ou puta!
Gritou Jasmine durante uma briga com o marido, que apesar de seus defeitos a tratava bem.
Ela se irritava, não com ele, mas por não poder suprir suas expectativas e mesmo assim ele não se importar.
Ele a amava, ela não,
muito menos estava em sua frequência
Aliás, ela não gostava nada dele, além do jeito bom e carinhoso que dedicava a ela.

-Você é um cara legal, uma pessoa boa, eu vou tentar ser melhor! Dizia Jasmine
E tentou
Fez terapia, fez ioga, fez reza braba, fez o caralho a quatro
e nada de gostar do marido Antônio.
Ela não casou virgem e inocente de vida
antes tinha conhecido Sérgio
O homem que lhe arrancou suspiros
depois o coração
depois o fígado
e depois o útero.
Sérgio tinha levado isso tudo dela sem olhar pra trás, ela olhava às vezes, e via o abismo que o orgulho dos dois causou.
Tentou pouco a pouco se recompor
seu físico
seu psicológico
e seus Cds de rock que tinha ido na caixa errada na hora da separação.
Nessa fase “Down in a hole” Jasmine tentou se aventurar,
tentou de quase tudo
pra tirar a dor dilacerante do peito
tentou suruba, swing psicodélico, encontro casual, noitada com as amigas, bebidas, drogas ilícitas, encontros místicos, poliamor… ufa
e nada
nada de sorrir tão largamente
sorria até, mas mais contida
e os olhos não brilhavam tanto mais,
o coração-carne-moída ali
e ela no chão do canto do quarto
com uma meia de cada cor
furada no dedão,
com o pijama velho, aquele preferido cheio de furinho de traça,
quase uma over ali mesmo de tanto comer chocolate,
abre um vinho barato
chapa de angústia
manda mensagem de gente carente,
puxa a corda da garganta e compõe seu primeiro blues.

Nota:
Separou-se de Antônio, deixou ele voar. Ele chorou, mas na outra semana já estava nos braços de Neidinha, a vizinha da bunda grande. Jasmine colocou seu violão no saco e se mudou para uma cidade grande, e começou a cantar músicas melancólicas nos barzinhos mais escrotos da cidade manicômio, ela transcendia.

barbara rosa

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s