Tamires Frasson: Segunda-feira

Sunrise in Asgardstrand - Edvard Munch

Sunrise in Asgardstrand – Edvard Munch

SEGUNDA-FEIRA

José acordou cedo
Tomou seu café
Escovou os dentes
E contrariado
Foi para mais um dia de trabalho.

No busão, refletiu sobre a rotina
Que o consomia a cada dia:
Trampo puxado, patrão folgado, estudos atrasados
Contas, casa, família…
“Não dá nem tempo de pensar em rebeldia!”

Durante o almoço, José resolveu acompanhar as notícias pela TV:
“A roupa branca da bela dama, lixeiras valiosas, PM gentil,
linda reforma trabalhista, democracia progressista, pensamento coletivo doentio…”
Mesmo não tendo muita instrução,
José era um rapaz esperto
E sabia bem o que era manipulação.

Fim do expediente.
Enquanto retornava para casa,
Vários pensamentos o incomodavam.
Ele se questionava sobre a realidade que apavora
Mas que a mídia não mostra.

Ordem e…. regresso!
Nem sempre é fácil correr pelo certo.
A cada dia, uma pólvora,
Bomba prestes a explodir,
Justificativas falhas e hipocrisia sem limites.

Salário mínimo que não paga nem o pão,
Jornada de trabalho pesada,
Não sobra espaço para diversão.

– Estudar é luxo, José,
Trabalhar é que é revolução!
– Seja escravo do sistema
E não lute pela sua liberdade de expressão!
– Abaixa a guarda aí
E sente só a repressão!

Cansado, chegou ao ponto final.
Os próximos passos o levariam para seu destino fatal…
Bala perdida
Que só encontra jovem, pobre, negro da periferia.

iiiiih, foi mal…
As circunstâncias não deixaram José ser notícia de jornal.

tamires-frasson

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s