Débora Gil Pantaleão: o dia em que meu pai se matou, mas continuou. vivo.

 

Peasant Burning Weeds, de Vincent van Gogh

Peasant Burning Weeds, de Vincent van Gogh, 1883

 

 

o dia em que meu pai se matou, mas continuou. vivo.

um
remonte
gente
que
vislumbra
o
fim
antes
do
início
meu
pai
e
aquela
arma
dizendo


com
a
sua
mãe
e
fui
um
passageiro
uma
anciã
vivendo
desde
os
primeiros
dias
cheia
de
casa
nas
costas

debora-gil

Um comentário sobre “Débora Gil Pantaleão: o dia em que meu pai se matou, mas continuou. vivo.

Deixe uma resposta para mararomaro poesia Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s