O poema de Tamires Frasson

Artista: Kayli Quinn

 

Silêncio!
Deixem-me ouvir o barulho
Causado pela minha confusão interna.
Ruídos do acúmulo de entulho,
Destroços adquiridos da vida externa.
A cada dia que passa,
Corro tentando me salvar
De toda essa desgraça.
Há tanta coisa a ser resolvida,
Tanto desastre, tanto desinteresse,
Tantas pessoas sem teto e sem comida.
Não cabe mais em mim meus problemas,
Não cabe mais a mim meus dilemas.
Percebo o que realmente importa,
Passo a analisar com cautela cada resposta.
Perco-me na subjetividade das frases curtas,
Busco dar sentido a minha luta.
Particularidades inúteis,
Egoísmo, soberba
E outros sentimentos fúteis.
Mãos atadas, passos lentos…
A favor ou contra o vento?
Óculos para enxergar o óbvio,
Ou a beleza do que é utópico?
Perfume para disfarçar o cheiro da dor,
Suave aroma que disfarça o rancor.
A complexidade em tentar colocar pra fora
O que não cabe mais dentro.
Paredes impermeáveis,
Infiltrações inaceitáveis,
Bagunça, tormento.
Não sou dona de mim,
Quanto menos de meus pensamentos.
Nesse mundo não possuo nada,
E nem pretendo!

★★★★

Quer ficar por dentro de tudo o que acontece no Livre Opinião – Ideias em Debate? É só seguir os perfis oficiais no Twitter, InstagramFacebook e Youtube. A cultura debatida com livre opinião.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s