Ana Mira: Não há espaço na vida no espaço

 

Summertime – Edward Hopper

NÃO HÁ ESPAÇO NA VIDA NO ESPAÇO
A vida no espaço é montar a casa no escuro e contar
estrelas no teto que pode muito bem ser o chão.

É olhar pela janela desenhada no vácuo esperando o
dia que não vai amanhecer porque nunca anoiteceu.

Viver no espaço caso esteja em órbita é girar em uma
velocidade alucinante sem nunca ter vertigem.

É aceitar o circulo infinito do destino. O eterno
retorno e a eterna partida na mesma vida.

A vida no espaço caso seja longe de algum planeta é
vagar como vagamos em nossa própria existência.

E se acaso for perto de alguma estrela é queimar em
silêncio como em uma paixão.

Viver no espaço é gritar eu te amo com toda a força
e a palavra sair vazia da boca.

Viver no espaço é ser alfabetizado dentro do silêncio
no idioma da asfixia.

★★★ 

Ana Mira pensou em ser jornalista. Tentou ser moderna. Tentou ser perfeita. Mas é insegura com a verdade. Não está no Facebook. E ama seus defeitos.

Anúncios

Um comentário sobre “Ana Mira: Não há espaço na vida no espaço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s