Sesc Pinheiros na Virada Cultural: 13ª edição traz diversidade programática

 

Programação da 13ª edição traz diversidade programática, com sessões da temporada de Ubu Rei, com Marco Nanini, e apresentações musicais como Bloco Ilú Oba de Min e Fanta Konatê, com influências da diáspora africana

Exposição: Todo Poder ao Povo! Emory Douglas e os Panteras Negra

Nos dias 20 e 21 de maio, o Sesc Pinheiros participa  da 13ª edição da Virada Cultural. Com 17 atividades gratuitas a partir das 18h do sábado, a programação diversificada ocorre em diversos espaços da unidade até às 18h do domingo.

Dentre os destaques estão as apresentações musicais da cantora guineense Fanta Konatê com a Troupe Djembedon, o Bloco Ilú Oba de Min, o grupo Höröyá e a orquestra Abayomy; as apresentações de teatro de Ubu Rei, com Marco Nanini, Rosi Campos e Cia Atores de Laura; a improvisação de dança vintage, inspirada nos anos 80 e 90, Jam 2mm e a exposição Todo Poder ao Povo! Emory Douglas e os Panteras Negras, que terá horário estendido no sábado, até à meia noite.

Fanta Konatê

PROGRAMAÇÃO POR HORÁRIO

Sábado, dia 20

10h30 às 23h59 artes visuais TODO PODER AO POVO! EMORY DOUGLAS E OS PANTERAS NEGRAS |Espaço Expositivo – 2º andar
18h teatro CABARÉ DE GALA | Praça
19h às 19h15 artes visuais MAPPING – DANÇA TEMPO MOVIMENTO|Fachada do Sesc Pinheiros
19h15 música FANTA KONATÊ E TROUPE DJEMBEDON| Praça
20h30 teatro A DOMADORA |Auditório
20h30 dança JAM 2MM | Praça
21h teatro UBU REI | Teatro Paulo Autran
21h30 música ABAYOMY  | Praça
23h às 23h30 artes visuais MAPPING – DANÇA TEMPO MOVIMENTO |Fachada do Sesc Pinheiros
23h30
música  CRACA, DANI NEGA E O DISPOSITIVO TRALHA | Praça

Domingo, dia 21

10h30 às 18h30 artes visuais TODO PODER AO POVO! EMORY DOUGLAS E OS PANTERAS NEGRAS |Espaço Expositivo – 2º andar
11h às 12h
artes visuais VISITAS MEDIADAS A EXPOSIÇÃO TODO PODER AO POVO! EMORY DOUGLAS E OS PANTERAS NEGRAS |Espaço Expositivo – 2º andar
12h
música FLAMINGO DEL FUEGO TRIO  | Praça
13h30 música GAROA DO RECÔNCAVO   | Praça
14h às 17h artes visuais NOÇÕES BÁSICAS DE CUSTOMIZAÇÃO DE SHAPES DE SKATE E/OU CAPACETES| Sala de Oficinas -2º andar
14h às 16h artes visuais LAMBE-LAMBE PARA CRIANÇAS: A ARTE URBANA COMO EXPRESSÃO POÉTICA DO ESPAÇO PÚBLICO| Sala de Oficinas – 2º andar
14h30
música HÖRÖYÁ  | Praça
15h teatro crianças FIM? |Auditório
16h Música BLOCO ILÚ OBA DE MIN  | Praça
17h
teatro crianças FIM? |Auditório
17h às 18h artes visuais VISITAS MEDIADAS A EXPOSIÇÃO TODO PODER AO POVO! EMORY DOUGLAS E OS PANTERAS NEGRAS  |Espaço Expositivo – 2º andar
18h teatro UBU REI | Teatro Paulo Autran

Rosi Campos e Marco Nanini em ‘Ubu-Rei’

PROGRAMAÇÃO POR LINGUAGEM

T E A T R O

CABARÉ DE GALA
Dia 20 de maio de 2017. Sábado, às 18h
Local: Praça
Livre
Grátis
Com Lume Teatro

Números circenses e teatrais fazem parte desse cabaré. Um espetáculo único, onde os atores Ricardo Puccetti e Naomi Silman improvisam com o público e criam um fio dramatúrgico com os números de cada artista participante.

A DOMADORA

Dia 20 de maio, sábado, às 20h30
Local: Auditório – 98 lugares
Grátis
Retirada de ingressos a partir das 16h do dia 20, sábado, na rede Sesc
Limitado a dois ingressos por pessoa. Sujeito à capacidade total do espaço

Duração: 60 minutos

Não recomendado para menores de 14 anos

Concepção: Paula Picarelli e Otávio Dantas

Direção: Otávio Dantas

Dramaturgia e interpretação: Paula Picarelli

 

Um thriller psicológico que se passa dentro da cabeça de uma domadora de elefantes nos quinze últimos segundos de seu número. No ápice do show a elefanta desce sua pata lentamente até encostá-la na ponta do nariz da mulher. A qualquer momento, o enorme animal pode esmagar sua cabeça, como se esmaga uma uva com a ponta dos dedos. Nesse espaço de tempo dilatado, várias tensões são criadas e a domadora vai encarar seu maior medo: envelhecer. Um processo onde ela vai reconhecer e aceitar a legitimidade de suas emoções mais sombrias.

 

UBU REI

Dia 20, sábado, às 21h e dia 21, domingo, às 18h
Local: Teatro Paulo Autran
Grátis
Retirada de ingressos a partir das 16h do dia 20, sábado, na rede Sesc
Limitado a dois ingressos por pessoa. Sujeito à capacidade total do espaço
Duração: 90 minutos

Não recomendado para menores de 14 anos
FICHA TÉCNICA:

Com Marco Nanini | Texto: Alfred Jarry | Direção: Daniel Herz | Atriz convidada: Rosi Campos | Com a Cia. Atores de Laura  | Produzido por Fernando Libonati| Tradução e adaptação: Leandro Soares | Cenografia: Bia Junqueira| Figurinos: Antônio Guedes |
Iluminação: Beto Bruel |  Direção Musical: Leandro Castilho | Direção de Movimento: Marcia Rubin | Design Gráfico: Gringo Cardia| Produção: Pequena Central

Em um flerte constante com  o non-sense,  o espetáculo apresenta a saga do covarde Pai Ubu, que usurpa a Coroa Real e, ao lado de Mãe Ubu, se  envolve nas mais diversas situações numa busca desenfreada  e voraz pelo poder. Protagonista dessa anárquica farsa, escrita em 1896, por Alfred Jarry, Pai Ubu, com sua peculiar personalidade, é tido como um dos primeiros anti-heróis do teatro. Ubu Rei serviu de influência para o Surrealismo, o Dadaísmo e o Teatro do Absurdo, e ressalta a potência anárquica do humor, como um meio de provocar uma reação imediata do espectador. A montagem marca os 50 anos de carreira do ator Marco Nanini e também comemora os 25 anos de existência da Cia. Atores de Laura, dirigida por Daniel Herz.

 

FLAMINGOS DE FUEGO TRIO
Dia 21 de maio de 2017. Domingo, 12h
Local: Praça
Grátis
Livre para todos os públicos
Duração: 90 minutos
Direção Ricardo Puccetti

Três músicos românticos incansáveis formam o Flamingos de Fuego Trio, um conjunto cômico-músico-tropical, que apresenta clássicos do Bolero, da Cumbia e do Chachacha em versões cômicas. Espetáculo recria um ambiente e estética dos boleros dos anos 50, numa seleção de músicas arrancadas das páginas do cancioneiro internacional. Tudo adocicado com muito humor.

D A N Ç A

JAM 2MM
Dia 20 de maio de 2017. Sábado, 20h30
Local: Praça
Grátis
Livre para todos os públicos
Duração: 60 minutos
Com Cristian Duarte e The Collective Jazz & Guests

Inspirada no Jazz Dance, a Jam 2mm convida o público para uma improvisação em diagonal. Uma experiência estética e performativa vintage alimentada principalmente por hits musicais dos anos 80 e 90.


M Ú S I C A

FANTA KONATÊ E TROUPE DJEMBEDON
Dia 20 de maio de 2017. Sábado, 19h15
Local: Praça
Grátis
Duração: 75 minutos
Livre para todos os públicos

Fanta Konatê, herdeira do Império Mandinga (séc. XIII) é uma voz que apresenta a musicalidade das tradições africanas com interfaces contemporâneas.  Cantando em línguas nativas da Guiné em arranjos jazzísticos, é acompanhada pelo djembê, tambor milenar originário da etnia Malinkê (Guiné/Mali), confeccionado em forma de taça a partir do tronco de uma árvore sagrada.  A artista celebra em canto e danças as expressões culturais de um povo que se reúne diariamente para celebrar a vida, desde a gestação até a idade adulta, abordando a fertilidade, o batismo, a circuncisão, o trabalho no campo, o casamento e os ritos de passagem. A partir desses pilares, Fanta Konatê e seu grupo de apoio, a Troupe Djembedon, convidam o público a conhecer sua cultura de raiz e a refletir sobre a diáspora africana no Brasil.

ABAYOMY
Dia 20 de maio de 2017. Sábado, 21h30
Local: Praça
Grátis
Duração: 90 minutos
Livre para todos os públicos

Abayomy é uma orquestra formada por 13 músicos que costuram referências brasileiras em arranjos calcados na força do Afrobeat.  Nesta apresentação, interpretam o repertório do seu segundo álbum, Abra sua Cabeça, produzido por Pupilo. O trabalho traz em suas letras um discurso que aponta as desigualdades sociais e raciais e reflete sobre o sincretismo religioso brasileiro através de versões para cânticos do Candomblé, Umbanda e da Jurema.

Aparecem também no repertório versões de clássicos do afrobeat e de composições de artistas como Jorge Ben, Marku Ribas, Tim Maia, Antônio Carlos & Jocafi e outros diretamente inspirados nas raízes rítmicas africanas.

CRACA, DANI NEGA E O DISPOSITIVO TRALHA
Dia 20 de maio de 2017. Sábado, às 23h30
Local: Praça
Grátis
Livre para todos os públicos
Duração: 90 minutos

As derivas sonoras multiétnicas do músico e artista visual Craca Beat se unem ao manifesto político-poético da MC e atriz Dani Nega no projeto Craca, Dani Nega e o Dispositivo Tralha , que oferece um mergulho sensorial transmidiático.

Acompanhados de banda, trazem um repertório autoral de discursos e tessituras sonoras, em uma proposta musical que vem aliada ao videomapping que Craca – alter ego do produtor musical Felipe Julián- projeta junto ao show.

GAROA DO RECÔNCAVO – SÃO PAULO É BAHIA VIVA – COM CASA MESTRE ANANIAS E MESTRE CONVIDADOS
Dia 21 de maio. Domingo, 13h30
Local: Praça
Grátis
Livre para todos os públicos
Duração: 60 minutos

O grupo Garoa do Recôncavo, herdeiro das tradições de Mestre Ananias – um dos pioneiros da capoeira e da difusão da cultura baiana em São Paulo – apresenta-se ao lado dos mestres Antônio e Elcinho, representantes do samba de roda do Recôncavo Baiano.

O Samba de Roda do Recôncavo Baiano é considerado Patrimônio Cultural e Imaterial da Humanidade pela Unesco, e configura-se como uma das expressões musicais, coreográficas e poéticas mais festivas da cultura popular brasileira. O Garoa do Recôncavo pesquisa a manifestação e difunde suas tradições enfatizando a importância dos mestres e a participação do público, que será convidado a conhecer o samba de roda cantando, dançando e fazendo a marcação dos ritmos em uma dinâmica que explora as peculiaridades dessa expressão.

HÖRÖYÁ
Dia 21 de maio de 2017. Domingo, 14h30
Local: Praça
Grátis
Livre para todos os públicos
Duração: 90 minutos

Höröyá apresenta o repertório do seu disco autoral homônimo, lançado em 2016. O coletivo de música instrumental de São Paulo composto por doze integrantes brasileiros e africanos, tem como matriz as culturas tradicionais de países do oeste da África como Guiné, Mali e Senegal.

O trabalho do grupo costura diversas vertentes da música afro-brasileira, como o samba e os toques de candomblé, o afrobeat da Nigéria e de Gana e a musicalidade afro-norte-americana, como o funk e o jazz.

A instrumentação segue a diversidade das influências do grupo, apresentando um amplo leque timbrístico e instrumentos tradicionais africanos como ngoni, dunun, djembe, balafon, krin, sabar e tama soando junto com a brasilidade dos atabaques, berimbaus e cuíca, acompanhados por guitarras, baixo, saxofones, trombones e trompetes.

Formado por Rômulo Nardes, Alysson Bruno, Bangaly Konate, André Ricardo, Adilson Fernandes, Jefferson Cauê, Nando Vicêncio, Tobias Kraco, Richard Fermino, Sintia Piccin, Eliezer Tristão e Wesley Gonzaga, o grupo empresta o nome de uma palavra de origem Mandeng, cultura do oeste da África, que significa “liberdade”, “autonomia”, “dignidade” e foi o termo usado durante a luta anti-colonialista na Guiné para a afirmação de seus caminhos e ideais.

Ilú Obá de Min

BLOCO ILÚ OBA DE MIN
Dia 21 de maio de 2017. Domingo, 16h
Local: Praça
Grátis
Livre para todos os públicos
Duração: 90 minutos

Fundado pelas percussionistas Beth Beli e Adriana Aragão, o Bloco Ilú Oba de Min é composto exclusivamente por mulheres, apresenta-se celebrando a cultura afro-brasileira e destacando a participação feminina no mundo. O bloco foi fundado em 2005 e desde então sai às ruas de São Paulo propagando os valores da entidade feminina da qual faz parte, Ilú Obá de Min – Educação Cultura e Arte Negra, cujos objetivos são preservar e divulgar a cultura negra no Brasil mantendo diálogo cultural constante com o continente africano, além de abrir novos espaços de maneira lúdica visando o fortalecimento individual e coletivo das mulheres na sociedade.

Embora não tenha nascido dentro de um terreiro, como os afoxés, o bloco trabalha com os fundamentos da cultura do povo de santo e do culto aos orixás.

 

A R T E S   V I S U A I S

TODO PODER AO POVO! EMORY DOUGLAS E OS PANTERAS NEGRAS
Dias 20 e 21 de maio de 2017. Sábado, das 10h30 às 23h59 e domingo, das 10h30 às 18h30
Local: Espaço expositivo (2º andar)
Grátis
Livre para todos os públicos

A presente exposição, com curadoria do coletivo colombiano La Silueta, apresenta um conjunto de obras criadas pelo artista Emory Douglas, no período em que era diretor artístico, designer e ilustrador do periódico The Black Panther, e assumia o título de Ministro da Cultura do Partido dos Panteras Negras. O partido dos Panteras Negras foi uma importante organização política extraparlamentar americana, fundada em 1966 e dissolvida em 1982, na cidade de Oakland, Califórnia. Seus integrantes foram idealizadores de manifestos ideológicos com reivindicações sociais, econômicas e políticas para a comunidade afroamericana nos Estados Unidos.

VISITAS MEDIADAS A EXPOSIÇÃO TODO PODER AO POVO! EMORY DOUGLAS E OS PANTERAS NEGRAS
Dia 21 de maio de 2017. Domingo, 11h e 17h
Local: Espaço Expositivo (2º andar)
Grátis
Livre para todos os públicos
Duração: 60 minutos
Inscrições no local com 30 minutos de antecedência. 20 vagas por horário.
Com Equipe Educativa Da Exposição

Horários fixos de visitas na exposição “Todo Poder ao Povo! Emory Douglas e os Panteras Negras” mediadas para públicos espontâneos durante os finais de semana.

 

NOÇÕES BÁSICAS DE CUSTOMIZAÇÃO DE SHAPES DE SKATE E/OU CAPACETES
Dia 21 de maio de 2017. Domingo, das 14h às 17h
Local: Sala de Oficinas (2º andar)
Grátis
Inscrições no local com uma hora de antecedência. 10 vagas.
Não recomendado para menores de 14 anos
Com Eduardo Natário

A oficina tem como objetivo fornecer noções básicas para customização de pranchas de surf, shapes de skate e/ou capacetes, com a concepção do layout, execução do traçado , pintura com canetas especiais e colocação de verniz protetor.  Os participantes podem trazer os capacetes, pranchas, shapes ou skates para serem customizados, ou realizar o exercício da oficina em superfícies provisórias de teste.

Eduardo Natário é arquiteto formado em 1987 pela Universidade Mackenzie , ex-sócio proprietário e responsável técnico pelo detalhamento dos projetos da empresa Flyramp arquitetura e projetos, especializada em projetos e construção de pistas de skate, desde 2002 no mercado, com mais de 220 pistas construídas no Brasil.

MAPPING – ESPAÇO TEMPO MOVIMENTO
Dia 20 de maio de 2017. Sábado, 19h  e 23h
Local: Fachada do Sesc Pinheiros
Grátis
Livre para todos os públicos
Duração: 15 minutos
com Cia. Gelmini de Videodança

Trabalho inspirado na relação da dança com a imagem e o espaço urbano a partir da teoria da relatividade e física quântica: a proposta consiste em dialogar com cinema e a dança no espaço urbano, atrair olhares passantes. A física entra como um impulso filosófico para os limites do conhecimento e Espaço Tempo Movimento traz as tensões desses limites aos limites entre a dança e a imagem onde ambas estabelecem uma relação de pertencimento ao mesmo espaço e como a teoria da relatividade nos faz refletir sobre nossos referenciais e, consequentemente, nossos afetos.

 

PROGRAMAÇÃO PARA CRIANÇAS


Teatro
FIM?
Dia 21 de maio, domingo, às 15h e às 17h
Local: Auditório (3º andar)
Grátis
Livre para todos os públicos
Retirada de ingressos a partir das 16h do dia 20, sábado, na rede Sesc
Limitado a quatro ingressos por pessoa. Sujeito à capacidade total do espaço
Duração: 50 minutos
Direção – Iarlei Rangel
Assistente de Direção – Lígia Campos
Elenco – Kleber Bianez e Rani Guerra
Com o Grupo Esparrama

O mundo acabou. Tudo está destruído e só sobraram lixões, campos de guerra, muros, restos lamacentos de um rio doce e… Duas baratas: Beatriti e Margueriti que, juntas, comemoram este fim. Elas acreditam que agora o mundo será apenas das baratas. Mas o que não sabem é que outros dois seres esquisitos e muito atrapalhados também sobreviveram: os palhaços Batatinha e Nerdolino, que agora perambulam pelo mundo com um mapa, uma semente e muita esperança. Empenhados em encontrar um novo começo para a humanidade, os dois não desconfiam que as baratas estão criando divertidas armadilhas para “ajudá-los” a entender que o mundo delas é bem melhor sem eles… Será o Fim?

Artes Visuais
OFICINA DE LAMBE-LAMBE PARA CRIANÇAS: A ARTE URBANA COMO EXPRESSÃO POÉTICA DO ESPAÇO PÚBLICO
Dia 21 de maio de 2017. Domingo, das 14h às 16h
Local: Espaço de Oficinas da Exposição (2º andar)
Inscrições no dia e local da atividade.
Com Átila Fragozo e Renoir Santos

A oficina tem como foco prático a criação e o ensino de todas as etapas das técnicas de lambe-lambe para crianças, da elaboração à aplicação. Serão abordadas as principais características da arte urbana, seu potencial enquanto suporte de poesia, seu histórico, seus códigos, sua recepção e sua importância para o contexto sociopolítico atual.

 

SESC PINHEIROS
Endereço: Rua Paes Leme, 195.
Bilheteria: Terça a sábado das 10h às 21h. Domingos e feriados das 10h às 18h.
Tel.: 11 3095.9400.

Estacionamento com manobrista: Terça a sexta, das 7h às 21h30; Sábado, das 10h às 21h30; domingo e feriado, das 10h às 18h30. Taxas / veículos e motos: Credenciados plenos no Sesc: R$ 12 nas três primeiras horas e R$ 2 a cada hora adicional. Não credenciados no Sesc: R$ 18,00 nas três primeiras horas e R$ 3 a cada hora adicional.
Transporte Público: Metrô Faria Lima – 500m / Estação Pinheiros – 800m

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s