FLIM – Festa Literomusical do Parque Vicentina Aranha chega a sua quarta edição em 2017

flim 8

FLIM, Festa Literomusical do Parque Vicentina Aranha chega a sua quarta edição em 2017. Ela ocorrerá nos dias 15, 16 e 17 de setembro, e segue o seu percurso inicial em realizar uma Festa Literomusical para explorar os desafios do fomento à leitura com a música e a poesia compondo sua programação. Assim como as edições anteriores, a FLIM 2017 contará com três dias de uma intensa e diversificada programação cultural gratuita com mesas literárias onde escritores e especialistas se encontram para debater temas da atualidade sob mediação de um convidado; shows musicais, teatro, atividades lúdicas como caminhadas poéticas e contações de histórias para crianças, lançamento de livros, saraus e oficinas atraem a participação do público juvenil, somando mais de 50 atividades num fim de semana.

A missão de firmar-se como um festival de qualidade no circuito alternativo de fomento à literatura vem sendo conquistada com a linha curatorial que teve nos primeiros anos com Alberto Martins, escritor, tradutor e editor respeitado e premiado no segmento literário. A edição 2017 da FLIM inova ao convidar um novo curador com atributos e características bem diferentes. Marcelino Freire deve trazer pluralidade e uma atmosfera bem contemporânea à festa. Autor, entre outros, dos livros “Angu de Sangue” (Ateliê Editorial) e Contos Negreiros (Editora Record – Prêmio Jabuti 2006), publicado em 2013 na Argentina, pela Editora Santiago Arcos e com tradução de Lucía Tennina, e no México, pela Librosampleados, com tradução de Armando Escobar. Criou a Balada Literária, evento que, desde 2006, reúne escritores, nacionais e internacionais, pelo bairro paulistano da Vila Madalena. É um dos integrantes do coletivo EDITH, pelo qual lançou, em julho de 2011, o livro de contos “Amar É Crime”. No final de 2013, publicou seu primeiro romance, intitulado Nossos Ossos (Record), publicado também na Argentina, pela editora Adriana Hidalgo, e na França, pela editora Anacaona, e com o qual ganhou o prêmio Machado de Assis 2014 de Melhor Romance pela Biblioteca Nacional. Coordena oficinas de criação literária desde o ano de 2003.

flim 15

Como marca de sua contemporaneidade a FLIM 2017 elege o tema Translinguagens, que representa uma síntese das várias formas que a linguagem pode se apresentar, atravessando a literatura, se conectando a outros meios de expressão, envolvendo a arte escrita, desenhada, pintada, expressa com tinta, com palavras, com o corpo. Segundo o curador da festa, “A literatura mistura e celebra todos os gêneros, todas as pessoas, religiões, geografias, línguas e linguagens em um só lugar. Diante do livro o leitor está diante de uma camada infinita de compreensão, o que o fará receber a vida de uma maneira mais ampla, solidária, igualitária, questionadora. Quando lemos um livro, estamos recebendo dele todas as artes ao mesmo tempo. Literatura é cinema. É teatro, pintura. É dança. Tudo, e muito mais, expresso em sua só; palavra feita de muitas palavras. Abrimos o livro para melhor ler o mundo à nossa volta. O mundo é um livro aberto. É só entrar. E se aventurar”, declarou Marcelino.

A FLIM é 100% acessível, não apenas contempla gratuidade, mas incentiva a participação de portadores de deficiência através de divulgação e inclusão de atividades como: programação divulgada e impressa em braille. Todas as mesas tem tradução em libras, atendendo o público portador de deficiência auditiva.

Em sua primeira edição, realizada em setembro de 2014, a FLIM teve um público de 14 mil pessoas, em 2015 a participação de 20 mil pessoas e na terceira edição, alcançou 28 mil participantes. A expectativa de público para a FLIM 2017 é de 30 mil pessoas. Com o perfil construído e customizado para atingir maior diversidade de público e atendimento com qualidade, a FLIM convida a população, com uma atenção especial às escolas da rede pública de ensino a participarem desta grande celebração da literatura, garantindo o ingresso de pessoas todas as classes sociais, promovendo o acesso ao exercício de direitos culturais independente de condições socioeconômicas, étnicas, de gênero, domicílio, ocupação ou faixa etária.

flim 16

Desde sua criação, a FLIM encontra sua viabilização através da união de iniciativas públicas, privadas e parcerias. Em 2015 a FLIM foi contemplada pelo Governo do Estado de São Paulo com o prêmio Proac para Festivais de Artes para a edição de 2016, destacando-se como evento cultural de expressão relevante para a região do Vale do Paraíba. Cientes de que o prêmio recebido em 2015 não poderia se repetir, naquele mesmo ano a Associação para o Fomento da Arte e da Cultura – AFAC, inscreveu a FLIM em projeto na Lei de Incentivo do Estado de São Paulo para a edição de 2017, e por meio do PROAC ICMS captou valor parcial para a realização da quarta edição que já conta com o patrocínio da GERDAU, POLIEDRO, Construtora Tavares Filho, Vale Sul Shopping, IOV – Instituto de Oncologia do Vale e parceria de instituições como SESC, SESI, SENAC e Fundação Cultural Cassiano Ricardo, apoio da UNIMED, GPM Comunicação, Hotel Ema Palace, Haruf Especialidades Árabes e Nibs Juice Bar, promoção da Rádio Jovem Pan e Jornal O Vale, gestão cultural da AFAC e realização pelo Governo do Estado de São Paulo, Secretaria de Estado da Cultura e Prefeitura Municipal de São José dos Campos.

Em 2017, a FLIM tem como convidados confirmados a jornalista Adriana Couto, apresentadora do programa Metrópolis da TV Cultura, que atuará como mediadora das mesas literárias; e o conceituado músico Antônio Nobrega em um espetáculo em homenagem à Ariano Suassuna. Em breve a programação completa.

flim 1

Parque Vicentina Aranha

Foi inaugurado pela Santa Casa de Misericórdia em 1924 como Sanatório Vicentina Aranha, um dos maiores centros para tratamento de tuberculose da América Latina. É tombado como patrimônio histórico pelo COMPHAC (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Artístico, Paisagístico e Cultural do Município de São José dos Campos) e Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e turístico). Desde 2006, funciona como Parque Vicentina Aranha e é gerido pela Prefeitura Municipal de São José dos Campos, tendo desde 2011 a AFAC – Associação para o Fomento da Arte e da Cultura – como Organização Social de Cultura, a qual desenvolve atividades culturais no espaço e promove a recuperação das edificações com obras de manutenção e restauro.

Parque Vicentina Aranha conta com o patrocínio do Instituto de Oncologia do Vale, Gerdau, Degraus, Hospital e Maternidade Policlin, Gráfica Copcentro, e a promoção do Jornal O Vale e Rádio Jovem Pan.

20526225_1402664679828857_3977170031334755233_n

FLIM 2017 – Festa Literomusical do Parque Vicentina Aranha

Abertura
15/08 | Sexta-feira
Horário: 18h

Programação FLIM
15/09 (sexta) | Horário: 18h às 22h
16/09 (sábado) | Horário: 10h às 22h
17/07 (domingo) | Horário: 10h às 15h
Local: Parque Vicentina Aranha
Todas as mesas literárias contam com tradução simultânea em libras.
Página oficinal: http://www.facebook.com/flim.sjc
Entrada Franca

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s