Cia do Pássaro leva à cena saga de africano escravizado no Brasil, em ‘Baquaqua – Documento Dramático Extraordinário’

O espetáculo retrata a trajetória real de Mahommah Gardo Baquaqua, que chegou ao Brasil em 1845 e foi submetido à escravidão em Pernambuco; em 1847, conseguiu fugir do cativeiro durante uma viagem para Nova York, refugiou-se no Haiti e anos depois voltou aos Estados Unidos, onde estudou e lançou a sua autobiografia, que, na atualidade, inspirou a peça

Baquaqua_foto1 Felipe Stucchi

Baquaqua (Foto de Felipe Stucchi)

 

 O Itaú Cultural apresenta no dia 19 de setembro (terça-feira), às 20h, Baquaqua – Documento Dramático Extraordinário, peça da companhia Cia do Pássaro. Com direção de Dawton Abranches, que assina a dramaturgia junto com Dione Carlos, e elenco formado pelos atores Alessandro Marba e Breno da Matta, a narrativa é inspirada em An Interesting Narrative. Biography of Mahommah G. Baquaqua, única autobiografia conhecida de um africano escravizado em terras brasileiras. O espetáculo propõe, assim, compreender as relações de poder e de submissão na sociedade atual.

 

Baquaqua traz a história real de Mahommah Gardo Baquaqua, africano que foi enviado para o Brasil em um navio negreiro e desembarcado em uma praia no norte de Pernambuco em 1845. Passados dois anos, depois de passar por outras localidades do país, ele foi enviado em viagem para Nova York, quando fugiu e foi morar no Haiti durante uma época de turbulência política. Sob a proteção da American Baptist Free Mission Society, ele voltou para os Estados Unidos e inscreveu-se no New York Central College, em McGrawville, onde estudou entre 1850 e 1953.

 

Como membro de uma família muçulmana na África, Baquaqua aprendeu a escrever em árabe e ajami. No Brasil ele aprendeu português, assim como algum francês e créole haitiano durante os dois anos que passou no Haiti. Em Nova York, absorveu o inglês o suficiente para ler e escrever cartas e sua autobiografia lançada em 1854.

 

Para trazer à tona todo o clima desta trajetória, o cenário de Baquaqua é inspirado em obras do artista plástico Arne Quinze, que realiza trabalhos em madeira e faz o público se sentir em um navio negreiro. A iluminação mantém a proposta de simplicidade da encenação, cuja trilha sonora original e a sonoplastia ambientam os locais por onde o personagem passou durante a sua trajetória.

 

Sobre a Companhia

Fundada em 2011, a Cia do Pássaro – Voo e Teatro nasceu a partir da reunião de artistas interessados em desenvolver parcerias com novos autores e pesquisadores para estudar e desvendar estéticas, conceitos e formas acerca do fazer teatral. Desde então, vem se mantendo de forma independente, através de projetos em parcerias com outros artistas e companhias de teatro, favorecendo e fomentando o fazer artístico com a produção de mostras, vernissages, lançamentos de livros, espetáculos musicais e teatrais.

 

Em 2012, instalou sua sede na região central da cidade de São Paulo, onde tem desenvolvido projetos que renderam indicações a prêmios como o Prêmio Aplauso Brasil, nas categorias: melhor espetáculo, melhor figurino, melhor arquitetura cênica, melhor atriz coadjuvante e melhor dramaturgia. Em 2015, foi contemplada com o prêmio do Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo para a realização do espetáculo Baquaqua – Documento Dramático Extraordinário, estreado em 2016.

Baquaqua_foto2 Felipe Stucchi

Baquaqua (Foto de Felipe Stucchi)

Ficha Técnica
Dramaturgia: Dawton Abranches e Dione Carlos
Elenco: Alessandro Marba e Breno da Matta
Direção: Dawton Abranches
Assistência de direção: Dione Carlos
Cenário e figurinos: Pedro de Alcântara
Iluminação e operação de luz: Alice Nascimento
Trilha sonora: LP Daniel
Orientação musical e de movimentos: Laruama Alves
Consultoria de pesquisas: Bruno Véras
Costureira: Maria de Lourdes Ventura
Painel e aquarelas: Renato Caetano

Terça Tem Teatro
Baquaqua – Documento Dramático Extraordinário
com a Cia do Pássaro – Voo e Teatro
Dia 19 de setembro, às 20h
Duração: 70 minutos
Classificação Indicativa: Livre
Sala Itaú Cultural (224 lugares)
Entrada gratuita
Distribuição de ingressos:
Público preferencial: duas horas antes do evento | com direito a um acompanhante
Público não preferencial: uma hora antes do evento | um ingresso por pessoa
Interpretação em Libras

Itaú Cultural
Avenida Paulista, 149, Estação Brigadeiro do Metrô
Fones: 11. 2168-1776/1777
Acesso para pessoas com deficiência física
Ar condicionado
Estacionamento: Entrada pela Rua Leôncio de Carvalho.
Se o visitante carimbar o tíquete na recepção do Itaú Cultural:
3 horas: R$ 7; 4 horas: R$ 9; 5 a 12 horas: R$ 12
Com manobrista e seguro, gratuito para bicicletas.
http://www.itaucultural.org.br
http://www.twitter.com/itaucultural
http://www.facebook.com/itaucultural
http://www.youtube.com/itaucultural
http://www.flickr.com/itaucultural

Assessoria de Imprensa:
Conteúdo Comunicação
Fone: 11.5056-9800
Cristina R. Durán: cristina.duran@conteudonet.com
Amanda Viana: amanda.viana@conteudonet.com
Karinna Cerullo: cacau.cerullo@conteudonet.com
Roberta Montanari: roberta.montanari@conteudonet.com
No Itaú Cultural:
Larissa Correa
Fone: 11.2168-1950
larissa.correa@terceiros.itaucultural.org.br
Carina Bordalo (programa Rumos)
Fone: 11.2168-1906
carina.bordalo@terceiros.itaucultural.org.br
http://www.conteudocomunicacao.com.br
http://www.twitter.com/agenciaconteudo
http://www.facebook.com/agenciaconteudo

libras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s