Jazzmin’s faz show na Tupi or not Tupi

azzmin’s reúne instrumentistas vindas do universo popular e erudito combinando os conhecimentos em uma nova e refinada experiência timbrística

Com uma formação particular, Jazzmin’s diferencia-se das big bands tradicionais resultando em uma timbre singular. Esse som bem característico das madeiras, da flauta, o clarinete e o clarone, a trompa e até mesmo do vibrafone amplia, diferencia e proporciona ao grupo arranjos únicos.

A sonoridade do nome Jazzmin’s faz referência à flor jasmim e também ao termo em inglês “jazz means”, que quer dizer “jazz significa”, uma das propostas da banda: trazer uma nova visão ao estereótipo conhecido das big bands, muitas vezes, formadas majoritariamente por homens.

A pianista e arranjadora Lis Andrade afirma que, nesse sentido de ressignificação, “a proposta principal do trabalho é quase militante. O objetivo é fazer o trabalho da mulher instrumentista ser mais visível, pois notamos certa invisibilidade feminina no universo das big bands”.

E foi a partir desse contexto que 17 mulheres, entre alunas, ex-alunas e professoras da Escola de Música do Estado de São Paulo – EMESP Tom Jobim – reuniram-se para apresentar o melhor da música instrumental brasileira.

No show do dia 04 de outubro, quarta-feira, às 21h, o repertório será voltado à música popular instrumental com um olhar predominante para a brasileira em arranjos feitos especialmente para formação do grupo.

As artistas apresentam as primeiras canções autorais, como 7 a 1 (Gê Cortês), sobre a partida da Copa do Mundo de 2014, na qual a Alemanha venceu a Seleção Brasileira, um choque para o mundo futebolístico e pouquíssimo explorado pelo universo da arte. As melodias como Fácil vem (composição e arranjo Newton Carneiro), Doralice (composição Dorival Caymmi com arranjo Tiago Costa) Quando eu te vejo (composição e arranjo Rodrigo Morte), entre outras.

A big band feminina é formada pelas integrantes: Marta Ozzetti (flautas); Paula Pires e Fabrícia Medeiros (clarinetes e clarone); Paula Valente, Bia Pacheco, Mayara Almeida e Tais  Cavalcanti (saxofones); Kelly Vasconcelos (trompa); Grazi Pizani e Estefane Santos (trompetes); Cynthia Borgani e Sheila Batista (trombones); Glaucia Vidal (vibrafone); Lis de Carvalho (piano); Renata Montanari (guitarra), Gê Cortes (baixo); Lilian Carmona e Bruna Barone (bateria).

A mistura de gerações é um dos pontos fortes da big band, além disso praticamente todas as instrumentistas têm formação acadêmica sólida, com experiências diversificadas, contribuindo para o repertório da banda.

1.a saxofonista e flautista Paula Valente é integrante da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de SP desde sua fundação. É professora da EMESP – Tom Jobim e da escola do Auditório Ibirapuera, onde também é regente da Orquestra Juvenil do Auditório (Obinha). Tem Mestrado e Doutorado pela USP com temas voltados à linguagem da música popular, com ênfase no Choro.

2. Nascida em São Paulo, Lilian Carmona foi a primeira mulher baterista profissional do Brasil. Tocou e gravou com artistas de expressão como Gal Costa, César Camargo Mariano, Baden Powell, Toquinho, Michel Legrand, George Shearing e Leny Andrade, entre outros. Convidada especial de várias orquestras, como a Royal Philharmonic of London. Nos musicais da Broadway, participou das orquestras de A Bela e a Fera, Sweety Charity, Os Produtores e Hair Spray.​ Integrou o corpo docente da Unicamp e ULM Tom Jobim. Atualmente ministra aulas na EMESP e prepara o lançamento do seu CD solo intitulado The First! pelo selo SESC.

3.Ge Cortes tocou na Orquestra Jazz Sinfônica, na banda Altas Horas e na banda Kali, além de muitos outros trabalhos com o baixo elétrico e o acústico. ​​Atualmente cursa a Pós–Graduação em Música Popular pela Faccamp e trabalha como freelancer. Na Jazzmin’s Bigband, além de baixista, também compõe e escreve arranjos. ​​​​​www.gecortesbx.wix.com/gecortes

4.Marta Ozzetti nasceu em São Paulo. É integrante da Orquestra Jazz Sinfônica desde 1991 e professora da EMESP Tom Jobim. Tem mestrado em Performance em Flauta Transversal pela UFMG. É uma das autoras de dois livros didáticos do Projeto Guri do Estado de SP dedicados ao ensino coletivo de instrumentos de sopro. É integrante do grupo Trio que Chora. Em 2014 lançou o CD Duos – música brasileira para flauta e piano – que reúne compositores da atualidade e com o qual integra a lista dos 10 melhores CDs de instrumentistas do ano pelo site www.melhoresdamusicabrasileira.com.br

5. Renata Montanari tem se dedicado à criação e divulgação da música instrumental brasileira desde os primeiros estudos no CLAM. Nascida em São Paulo, foi integrante do Grupo Kali, já se apresentou e gravou ao lado de artistas como Oswaldinho do Acordeon, Léa Freire, Bocato, Nana Caymmi, Leila Pinheiros, Rita Lee, Milton Nascimento e fez parte da Avon Women Orchestra. Ministra aulas de violão e Harmonia na EMESP e no Solo Centro Musical. Seu primeiro CD Entre o Som e o Silêncio foi lançado em 2014. Faz parte da nova edição do trio de violões D’Alma. ​​​ www.renatamontanari.com

6. Nossa pianista Lis de Carvalho é também arranjadora, compositora, bacharel em Piano, atualmente cursando pós-graduação em Música Popular na FACCAMP e professora do curso de Piano Popular e Harmonia na EMESP (Escola de Música do Estado de São Paulo). Participou como pianista/tecladista e compositora do Grupo Kali. Tem várias de suas composições gravadas em sete CDs e dois DVDs com Celso Pixinga e participação em diversos CDs de música instrumental e vocal, gravados ao lado de músicos como Sizão Machado, Maestro Gil Jardim, Bocato, Léa Freire, Teco Cardoso, Giba Favery. Participou do SESC Instrumental no lançamento de seu CD autoral Caminho de Dentro, cujo DVD foi apresentado por Nelson Ayres.

7. No teatro musical, Bruna Barone foi baterista das orquestras de espetáculos como Raia 30, Chaplin, Crazy For You, Cabaret e estará em Cantando na Chuva , que estréia em agosto. Ministra aulas de bateria no IBVF (Instituto de Bateria Vera Figueiredo), no IP&T (Instituto de Percussão e Tecnologia) e faz parte coluna de estudos da revista Modern Drummer Brasil. Apresentou-se em festivais como o Batuka! Brasil International Drum Fest e Brasil Tap Festival. Atua como freelancer e possui um projeto de bateria e sapateado.

8. A saxofonista Mayara Almeida estudou na EMESP Tom Jobim no curso de saxofone popular com a Paula Valente e no Conservatório Municipal de Guarulhos no curso de saxofone erudito com João Geraldo (Jotagê). Atualmente faz bacharelado em música na Faculdade Integral Cantareira e é aluna do Vitor Alcântara. Atua como professora e intérprete, além de participar de gravações e apresentações com diversos grupos e formações instrumentais, tais como a Banda Sinfônica de Guarulhos, Orquestra da Vila, Roda de Choro de Guarulhos, Banda Nhocuné Soul, Grupo de Gafieira de Sizão Machado. Atualmente é integrante da Banda Rosas e Jeans, Jazzmin’s Big Band e Empresa Jazz São Paulo.

9. Fabrícia Mikaela de Medeiros – claronista e clarinetista graduada em clarinete pela Faculdade Mozarteum de São Paulo (FAMOSP), formada pela Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP). Atualmente é professora de clarinete e monitora do naipe de madeiras na Orquestra Infanto Juvenil Guri Santa Marcelina. E monitora no curso de certificado da Técnica Alexander Consciência Corporal para Músicos – CCPM, com a professora Eleni Vosniadou.

10. A trompista Kelly Vasconcelos iniciou os estudos musicais no Conservatório de Tatuí, possui bacharelado e licenciatura em música pela Faculdade Mozarteum, aluna da classe de Mário Sérgio Rocha. Participou de festivais e encontros de música erudita como o Festival de Inverno de Campos do Jordão, Festival Música nas Montanhas, Munasp e Femusc. Participou do Grupo de Metais de Orquestra mantido pela Fundação OSESP além de ter integrado as principais orquestras jovens de São Paulo.

11. Paula Pires é mestra em clarinete solo, com nota máxima, pela Hochschule für Musik und Tanz Köln, na classe do professor Ralph Manno. Iniciou seus estudos musicais em sua cidade natal, Belo Horizonte. Após cursar parte da sua graduação na UFSJ – MG, concluiu seu bacharelado em clarinete pela UNESP, orientada pelo professor Sérgio Burgani. Foi bolsista de pós-graduação do DAAD (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico) e premiada com a bolsa de aperfeiçoamento técnico e artístico da FUNARTE para estudos acerca de Karlheinz Stockhausen. Atualmente é clarinetista da Orquestra do Theatro São Pedro e professora de clarinete na EMESP Tom Jobim – SP.

12. A saxofonista Beatriz Pacheco é formada pela Escola do Auditório Ibirapuera, foi aluna de Jotagê Alves, Nailor Azevedo Proveta, Douglas Braga e Paula Valente. Integrou a Banda Sinfônica Jovem do Estado de SP, participou como convidada da Orquestra Sinfônica de Heliópolis, Orquestra Sinfônica da USP (OSUSP) e Orquestra Sinfônica Municipal de SP (OSM). Participou com a Orquestra Furiosa do Auditório no I e II Encuentro Internacional de Orquestas y Coros Infantiles y Juveniles para El Bicentenario (Argentina) e da gravação do Samba Book de Zeca Pagodinho. Atualmente é integrante do grupo Chorando em Ré Menor, do duo Soprando Cordas, da Big Band da EMESP. Líder do Quarteto Saxofonando, com o qual participou do Concurso de música clássica Pré-Estreia, conquistando o 2° lugar e do CIQUASAX em Brasília ficando em 3º colocado. É assistente de regência no Auditório Ibirapuera e graduanda em Musicoterapia pela FMU.

13. A percussionista Glaucia Vidal é formada em percussão na Universidade Estadual Paulista – UNESP, já se apresentou junto a diversas orquestras do país, inclusive como solista. Atualmente é percussionista da Orquestra Jazz Sinfônica, atua como monitora de percussão na Oficina do Monobloco – SP e está no espetáculo teatral Senhor das Moscas, no Teatro Popular do SESI.

14. A trombonista Sheila Batista é formada em Composição Musical pela Faculdade de Artes Alcântara Machado – FMU FIAM FAAM e FISP em 2011. Começou a estudar trombone em 2014 e atualmente é aluna de Sidnei Borgani na Faculdade e Conservatório Souza Lima, onde cursou as aulas de Prática de Banda de Sopros com Mauro Casellatto e Jazz Performance com Gilberto de Syllos.

15. A cantora jazzista e trombonista Cynthia Tignor Borgani (Cindy Borgani) é natural de New York, EUA. Formada pelas universidades de Yale, Stanford e Berklee College of Music. Mudou-se para o Brasil em 1993, desde então, vem desenvolvendo seu trabalho musical neste país. É professora de canto e improviso vocal na Escola de Música Novo Tempo, UNICAMP e na Faculdade Souza Lima – Berklee.

16. A saxofonista Taís Cavalcanti é formada em saxofone pela Escola Fundação das Artes. Tem bacharelado em saxofone pela Faculdade Cantareira, aluna do professor Vitor Alcântara. Foi saxofonista da Orquestra Jovem Tom Jobim. Atualmente ministra aulas no projeto social EMEC e é integrante de alguns grupos instrumentais de São Paulo. Um deles é o duo de Choro Cartas Brasileiras, que lançará seu primeiro disco autoral neste ano.

17. A trompetista Estefane Santos, estuda na Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP Tom Jobim) desde 2014, tendo aulas de instrumento com Daniel D’ Alcântara. Fez parte de alguns grupos instrumentais, tais como a Orquestra da Vila, Banda Sinfônica de Guarulhos, Big Band da EMESP. Atualmente é trompetista na Big Band S/A, Jazzmin’s Big Band e na Orquestra Jovem Tom Jobim, onde se apresentou com músicos como Josué dos Santos, Jorginho Neto, Sidmar Vieira, Edu Ribeiro e Letieres Leite

Tupi or Not Tupi – O novo espaço, que iniciou suas atividades em março deste ano, chamado Tupi or not Tupi, trabalha em duas frentes: música no palco e pratos da cozinha brasileira nas mesas. A cozinha tem assinatura do chef Alexandre Romano.

A Tupi or not Tupi situa-se no coração da Vila Madalena. É uma casa construída na década de 1950, em um terreno de 500 metros quadrados, sem muros e com pequenos ambientes que levam a um salão principal com capacidade para 110 pessoas sentadas. Conta com projeto de design de Lee Dawkins, supervisão acústica de Clemente Zular e equipamentos do Estúdio Loop. A Tupi or not Tupi é hoje considerada uma das melhores acústicas para uma casa de shows na cidade de São Paulo.

18402841_360580664343893_2691134222601734959_n

Big band Jazzmin’s

Dia 04/10/2017, quarta-feira, às 21h

Ingresso: 35,00

TUPI OR NOT TUPI
Endereço: Rua Fidalga 360, Vila Madalena, tels. 3813-7404

Capacidade: 110 lugares

Compra de ingressos pelo site: www.tupiornottupi.net

Classificação: Livre
Acesso a deficientes
Todos os cartões de crédito e de débito
Manobristas à porta

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s