berátna :cinko :criançada é zika. Por Santiago Santos

FF-#400-FB

.parecem dois crianços, pelo tamanho, e não usam roupa refrigerada como todo mundo .o + alto tem quatro braços, num deles um pistoleto, noutros dois facónes longomonstros .o menor tem dois braços mas eles não terminam em mãos e sim em bloquetos revestidos de onde saem duas lâminas .fodeu gostoso

¹.não tenho pikas contra ustedes, na vera_digo_.façam o que quiserem, tão livres, só quero abrir

.descolo o cabeço do tubo que me mocoza e o maior tá co pistoleto mirado em mim mas não atira .volto a mocozar mas enfim olho pro tubo e há um anfíbio, ou gente-anfíbio, os olhinhos grudados no vidro bem onde tô .pulo pra trás .os dois crianços continuam me encarando, ou parecem me encarar, não dá pra ver o cabeço deles dentro dos capacetos fumês .não fazem mención de atacar, então nem volto a levantar o pistoleto .o menor passa uma lâmina no pescoço da felony e o cabeço cai no colo .trampo feito sem erro agora

.o menor vai até o fundo do saleto, uma das lâminas retrocede e desaparece dentro do bloqueto e alguns tocos que lembram dedos surgem das extremidades .ele começa a manipular a tela .logo vejo um sequêncio de vids das câmeras internas .felony rola sangrando pra dentro da porta, se levanta e vai correndo até os fundos .eu entro logo atrás, co pistoleto em punho .faço o reconhecimento do primeiro saleto enquanto felony libera a tranca da porta onde eles tão mocozados .me aproximo de felony, eles aparecem, me mocozo atrás do tubo

¹?tão vendo .eu só queria pranchar ela .nem sabia que ustedes existiam .que isso aqui existia

.o menor continua manipulando a tela .as imagens das câmeras pulam e fotos dos cientistas do lab ganham destaque .a de tóide é alargada e ocupa a tela toda .o garoto se vira pra mim, ou vira o capaceto na minha direção, e aponta a foto

¹.tóide forman_digo

.o maior abaixa o pistoleto e ca única mão livre aponta a tela também

¹.é o tóide forman_volto a dizer_.ele me contratou pra pranchar a felony, que tá aí no chão .foi isso que eu vim fazer, só isso .recebi pra fazer o serviço e pronto

.a guarda deles suavizada, posso meter um balaço em cada. mas algo me diz que não vai ser suficiente, então fico na santapaz

¹?quem são ustedes ?o que tavam fazendo aqui

.o menor manipula a tela .surge a foto dum prédio .não conheço direitudo o complexo b, mas reconheço o endereço porque foi dos poucos lugares que frequentei

¹.é o prédio do tóide

.o maior enfia o pistoleto atrás da cintura do calço, e coloca os facónes numa bancada .o menor já tá ca outra lâmina recolhida .não querem zika .o maior passa a manipular a tela também .roda um vid de fazhora, ca data de três anos atrás na ponta, e dentro de um tubo tem um crianço com quatro braços, encolhido, electrodos e fios plugados no corpinho .ele tá sem o capaceto e parece um crianço normal a não ser pelas veias estouradas e o lábio leporino .corta prum vid dum guri menorzín numa mesa de operações, as mãozinhas amputadas e os bloquetos sendo analisados por tóide + felony + vários cientistas .o prédio volta a ocupar a tela

¹.sei onde é .saquei .só preciso abrir no final ?combinado

.o maior levanta os quatro dedóns fazendo sinal de joia e anda na direção do primeiro saleto .o menor pega dois casacos com gorro do armário do banheiro .lá fora se vestem, mocozando os corpinhos cabeçudos .a porta fica escancarada .o maior vira o contêiner de lixo cheio no chão e o montagal se esparrama pela rua .o menor derrama algo de dentro do bloqueto e logo tá tudo pegando fogo .os tronxos logo logo farejam

.seguimos pelas ruas até um ponto de carreto auto-dirigível .abro a porta traseira e eles se enfiam .sento na frente .falo o endereço de tóide e o carreto acelera .eles olham pra fora pelos janelos, cada um prum lado, inexpressivos atrás dos capacetos escuros, acho que pirando pakas no festival luminoso dos holos .a pele dos braços e pescoços é cinzenta e há esporos, espiños em alguns pontos

.o carreto para diante do prédio

¹.é esse aí_digo_.horizonte 34, apartamento 14

.os dois saem, duas silhuetas cruzando a calçada e entrando no prédio .saio do carro também, olhando as barracas e identificando o yaki de aanssaq onde fiz o primeiro reconhecimento meses atrás, quando o alvo ainda era tóide .ironiamonstra .peço um pra viagem e saio garfando, na direción da fronteira .tronxo de alfândega fecha o olho quando a gente desce de complexo, ainda + com grano, zika é subir .grano é só metade do combinado pro pranchamento, mas melhor que nada .na esquina ouço o barulho e olho pro prédio e vejo brilhando no ar os estilhaços do janelo junto com dois pedaços de gente que eram tóide forman despencaindo na noite

.vida de moco tem dessas, na vera .cê nunca sabe co que pode topar


Esta é a quinta e última aventura de berátna. Confira a lista completa:
– berátna :uno :lar doce lar
– berátna :dos :moco é profissa
– berátna :tri :tempo na xilindra
– berátna :kuátro :tudo por grano
– berátna :cinko :criançada é zika

santiago-santos

Parceria Flash Fiction
Arte da vitrine por Jean Fhilippe

Leia mais textos de Santiago Santos

flash-fiction

Livre Opinião – Ideias em Debate
jornal.livreopiniao@gmail.com

Quer ficar por dentro de tudo o que acontece no Livre Opinião – Ideias em Debate? É só seguir os perfis oficiais no TwitterInstagramFacebook e Youtube. A cultura debatida com livre opinião

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s