Record publica “Confissões de um jovem romancista”, de Umberto Eco

unnamedUmberto Eco publicou seu primeiro romance, O nome da rosa, em 1980, quando tinha quase 50 anos. Nestas Confissões de um jovem romancista, escritas trinta anos depois de sua estreia na ficção, o autor rememora sua longa carreira como teórico e seus trabalhos mais recentes como romancista e explora essa bem-sucedida interseção.

Originalmente, os quatro ensaios deste livro foram palestras do programa Palestras Richard Ellmann sobre Literatura Moderna, na Universidade Emory, em Atlanta, Estados Unidos. Eco começa explorando a fronteira entre ficção e não ficção — passeando por esse limite de forma ao mesmo tempo divertida, sincera e brilhante. Uma boa não ficção, acredita, é estruturada como um romance policial, e um romancista habilidoso pode construir mundos extremamente detalhados por meio de observação e pesquisa. A mistura entre real e ficcional se estende também aos habitantes desses mundos inventados. Por que nos emocionamos tanto com a jornada de um personagem? Em que sentido Anna Karenina, GregorSamsa e Emma Bovary “existem”?

Levando o leitor por uma viagem através de seu método criativo, relembra como elaborou seus ambientes ficcionais: começou com imagens específicas, determinou o período, a ambientação e as vozes, e compôs histórias que atrairiam tanto leitores sofisticados quanto os mais populares.

Ao mesmo tempo medievalista, filósofo e estudioso da literatura contemporânea, Eco surpreende ainda mais quando considera os prazeres da enumeração, revelando a origem de seu afeto pelas listas, e cita enumerações presentes em seus livros, comparando-as aos grandes catálogos da história da literatura mundial.

Em ensaios compactos e ainda assim excepcionais, este “jovem romancista” mostra-se um mestre que tem muito a ensinar sobre a arte da ficção e o poder das palavras.

Reconhecido como um dos mais importantes escritores e pensadores dos últimos tempos, Umberto Eco (1932-2016) foi filósofo, semiólogo, crítico literário e professor de semiologia na Universidade de Bolonha. Grande parte de sua obra se encontra publicada no Brasil pela Editora Record.

TRECHO

“O que eu faço nos anos de gestação literária? Reúno documentos; visito lugares e traço mapas; tomo nota da planta de prédios, ou talvez de um navio, como no caso de A ilha do dia anterior; e faço esboços do rosto dos personagens. Para O nome da rosa, fiz retratos de todos os monges sobre os quais escrevia. Passo esses anos preparatórios numa espécie de castelo encantado — ou, se preferirem, num estado de recolhimento autístico. Ninguém sabe o que estou fazendo, nem os membros da minha família. Dou a impressão de estar fazendo muitas coisas diferentes, mas estou sempre focado em capturar ideias, imagens e palavras para minha história.”

CONFISSÕES DE UM JOVEM ROMANCISTA

Umberto Eco

Tradução: Clóvis Marques

Páginas: 154

Preço: R$ 39,90

Editora Record

(Grupo Editorial Record)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s