Tiago D. Oliveira lança o livro ‘Contações’ neste sábado em Salvador

Capa - Contações

Neste sábado (12), às 15h00, no Espaço Elementuá, em Salvador (BA), acontece o lançamento de Contações (Patuá), novo livro do poeta Tiago D. Oliveira. A obra desenvolve narrativas que assumem a estética de poemas para contar o que em muitos momentos se torna um híbrido de ficção e memória. São pequenas mitologias que se espraiam neste tempo para guardar personagens e temas que se fundiram ao imaginário no tempo e espaço de um país que é constantemente alcançado pela inversão de valores em sua violência habitual.

A escrita serve como ato de registro para guardar um tempo e moldes que alimentam a transformação de real para o lúdico, do lúdico para o real. São relatos, constatações, imaginações que contam enquanto assumem a poesia como direção. O Brasil é o pano de fundo do livro. Um país de outro tempo que grafa nas páginas deste livro uma tentativa para lembrar que ainda é possível a reinvenção do dia, da vida.

Tiago D. Oliveira nasceu em 1984, em Salvador-BA, é professor, poeta e escritor. Tem poemas publicados em blogs, portais, revistas e jornais especializados. Participou de antologias no Brasil e em Portugal, dentre elas: Contos nos is (Edições Ecopy, 2011, Portugal), Entre o sono e o sonho – tomo I e II ( Chiado Editora, 2013, Portugal), Entre o sono e o sonho (Chiado Editora, 2016, Portugal). Publicou Distraído, poesia (Editora Pinaúna, 2014) e Debaixo do vazio, poesia (Editora Córrego, 2016).

Foto 1 - Tiago D Oliveira

 

Leia um poema do livro Contações

 

Velha 

 

não há nada
pelos caminhos
que te fortaleça
mais do que aquilo
que te fez partir.

seguir já não é
escolha, filho.

não siga o coração,
nem a cabeça, siga
o sol. vá e tome
três banhos de folha,
manhã, tarde, noite.

sopre o vento devagar,
que há de se respeitar
quem sabe mais do que nós.

 

*

não é só de flores
que vivemos, ninguém
vai comer flor, afinal.

bota os dois pés no chão.
pé mesmo, de estivador.

que não há riqueza maior
que pedir a benção
a pai e mãe
em qualquer tempo.

bom dia, seu tempo!
o tempo disse para o tempo:
tudo com o tempo tem tempo.
o tempo só não é bom
para quem não pode esperar.

quem espera
sempre alcança:
boa broca no ouvido
para aprender
a sair do lugar.

 

*

aqui, depois do centro,
tem gente boa e ruim.
que ninguém é só um nessa vida.
que tem gente que deita e dorme.
num não – que vejo e num calo.
rogo para as plantas.
que no balançar de um galho
resolvem de imaginar em nós
uma resposta para tudo.
que as folhas saem,
dá para ficar olhando
a maneira como elas caem.
que tem um riso em cair.
depois saber do vento para voar
de novo, todo o caminho contrário,
para cima, para frente –
que é para frente que se vai.

vai e toma dois banhos de folha:
para abrir pela manhã, outro
de noite, para os livramentos.

*

cai chuva. que não há
chance melhor do que esta.
de traz para frente, de frente para traz,
a veia é um rio de força e guerra.
solta as amarras, meu filho,
que a memória é um chão de afetos,
possibilidades e nada mais.
após a sopa / luz azul / reviver:
de traz para frente, de frente para traz,
a vida é osso / radar / ovo / arara / omissíssimo,
como o olhar falhando quando tinha duas mãos para dar.
e mesmo que nada aconteça,
não seja um manipanso de araque.
como este aí, pendurado
na parede da sala de estar.

poema

 

Lançamento de Contações

Autor: Tiago D. Oliveira

Data: 12 de maio

Horário: 15h00

Local: Elementuá Espaço Coletivo (R. da Fonte do Boi, 05 – Rio Vermelho, Salvador – BA)

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s