Marcelo Flecha: O teatro como mediador

O teatro não precisa de mediação. Ele é o mediador do humano com o mundo. Ele faz a mediação entre o espectador e o incompreensível universo que o entorna. É dele a responsabilidade de traduzir o ininteligível, de apresentar o espanto, de aflorar o entendimento. Se passarmos a construir cênicas que exijam a mediação de…

Marcelo Flecha: Dez mil espectadores!

Próximo a completar 8 anos em cartaz, o espetáculo Pai & Filho se encontra em curta temporada aqui na sede da Pequena Companhia de Teatro (Rua do Giz, 295, Centro), ontem, hoje e amanhã (sábado, domingo e segunda), às 19h, com uma série de peculiaridades que servirão como fio condutor das micro-reflexões fragmentadas que me proponho na…

Marcelo Flecha: Dramaturgia da escuta

Em 2018 a Pequena Companhia de Teatro estreia seu novo espetáculo – ainda sem título definido –, que parte do conto A outra morte, de Jorge Francisco Isidoro Luis Borges Acevedo. A montagem tem sua feitura dramatúrgica a partir da Transposição de Gêneros, sistema de adaptação literária desenvolvido pela Pequena – sobre o qual verso muito neste…

Marcelo Flecha: O espectador manda em você?

  O que faremos? Sempre acreditei que um dos principais objetivos do teatro fosse provocar o espectador, exigir dele uma postura independente, dialética; convocá-lo a saltar para instâncias tortuosas; convidá-lo a saborear um dilema; instigá-lo a se posicionar sobre um balizamento retrógrado; apresentar-lhe um novo paradoxo; tirá-lo da zona de conforto – essa zona tão…