DAMA DO LODO: ‘Coisas que Ninguém acredita’, por Marina Filizola

Tudo Bem, eu sei, sou hétero. Pelo menos fui algum dia. Mas tenho certeza que foi exatamente ali que me apaixonei por ela: do primeiro olhar parafusado até o tchau inadmissível. Em algum momento impreciso, pra não dizer equívoco, houve transmissão dentro do nosso encouraçado universo paralelo. E submergimos nos nossos desejos. Mergulhamos de cabeça.…