“O fim do mundo começa sempre no café do bairro”, cinco poemas de Raquel Nobre Guerra

★★★ O fim do mundo começa sempre no café do bairro. O vietnamita eleva uma maçã acima da cabeça como se me atravessasse nesse seu gesto corso. Gente que está viva, diria, pasto para as sensações e isto não quer dizer nada senão que sigo a forma dos objectos mortos para que as coisas passem.…

Diego Moraes realiza lançamento do livro “Eu já fui aquele cara que comprava vinte fichas e falava ‘Eu te amo’ no orelhão” em São Paulo

O coletivo paulistano Corsário-Satã ganha o segundo título de seu catálogo: Eu já fui aquele cara que comprava vinte fichas e falava ‘Eu te amo’ no orelhão, do escritor amazonense Diego Moraes. O primeiro, Nominata Morfina, de Fabiano Calixto, que estava esgotado, recentemente ganhou reimpressão. Ambos os autores estarão na Balada Literária, numa conversa junto…

Marcelino Freire: “A literatura que eu escolhi fazer já tem me levado a lugares aonde eu nem imaginava estar”

Considerado um dos maiores contistas da literatura contemporânea, o escritor Marcelino Freire está lançando seu primeiro romance, intitulado “Nossos Ossos” (Editora Record). Artista múltiplo, Marcelino constrói um enredo que envolve amor homoafetivo, violência paulistana, nostalgia do Nordeste, teatro e a relação familiar. O romance conta a história de Heleno, dramaturgo que no passado saiu de…