OSSOS DO OFÍDIO: ‘É Esta a Nossa Língua’, por Marcelino Freire

  Uma língua para a crise. Para quem não acredita que a gente se levanta. E vai à luta. Língua para quem acha que festa literária nasce da vontade burocrática. De um escritório frio. Longe da rua. Aqui, ó. Uma língua para quem sofre de cansaço. Vive sem amor. Só. Não vai além do eixo…

Brado retumbante: resistência à ditadura em dois contos de Caio F. Abreu

Caio Fernando Abreu, escritor brasileiro, dramaturgo e jornalista, apresenta uma visão dramática do mundo moderno e é considerado um “fotógrafo da fragmentação contemporânea”. Escrevia muito sobre sexo, medo, homossexualidade e solidão, além dos temas sociais e históricos, já que o escritor presenciou os efeitos do golpe militar de 1964. Em 1968 foi perseguido por partidos direitistas e, assim, em 1970…