Jefferson Pereira: À Margem

À Margem   Eram pretos, Todos pretos. De almas pretas, Cores pretas, Vidas feitas e Desfeitas por Serem pretas (os). Eram vítimas Da violência seca, Da brancura imperfeita. Eram pretos os meninos Da favela de tons cinzas, De almas solitárias e pretas. Eram vermelhos os olhos das Mães pretas, que choravam pelos Meninos mortos pela…