CUSPE LITERÁRIO – ‘Braguilha’, por Marina Filizola

    Não se trata de ser uma pessoa revolucionária. Que enxerga na frente. Não. Na maior parte da vida só consegui enxergar a braguilha da minha calça. Se estava aberta depois de sair do banheiro. E banheiros eram, de longe, meu lugar favorito no mundo. E na maioria das vezes que eu entrava em…