Paulo Scott ao Livre Opinião: “O escritor brasileiro contemporâneo não é um ingênuo”

“O escritor brasileiro contemporâneo não é um ingênuo, sabe o quão marginal é escrever em português, o quão necessário é produzir algo que sustente uma identidade, uma singularidade; é um momento rico, na prosa e na poesia. É preciso estar atento e procurar, ir além dos releases, das listas dos confirmados, das turmas, dos apadrinhamentos,…