Cinco poemas de Daniela Delias

  LANÇAS aconteceu de chover tanto que cogumelos imensos nasceram no concreto justo hoje que não diria dos punhais sobre o sonho vesti minhas luvas cerquei-me de lanças vi meu coração partido há coisas que simplesmente nascem: não se pode dissuadir a vida de sua natureza terrível   ★★★ ROTEIRO armar as palavras não ditas…

Cinco poemas de arrudA

me regem as nuances das estações nenhuma certeza o caos dos planetas a arquitetura das falésias se desenhando nas costas de um peregrino me regem as nuances das estações o caminho das nuvens nas linhas da testa todo tempo do mundo uma pausa um segundo o tempo que nos resta a vertigem dos cometas em…

Ubirathan Do Brasil: dentro da gente também anoitece

  dentro da gente também anoitece  você ainda engole diamantes invisíveis e lambe a lâmina amolada do amor, perde tempo com trovões e álcool dentro da barriga, consome cogumelos mexicanos e galopa numa égua sem cela rumo à loucura, rumo á ciranda dos urubus anunciando a extinção das cabeças dos homens só os ratos são…

Poeta em Queda: funerais em caixinha de fósforo

  funerais em caixinha de fósforo eram nossas as falhas espalhadas pela arquitetura da mesa, as minúsculas ausências, os vãos na atmosfera em atitudes de calar. não eram nossos os pedaços de morte que esperavam à espreita, cão farejando presa, faca fincada em queijo. a morte nunca nos pertence. a nós, apenas as cinzas, as…